À primavera do Corações

Texto: Claudia Sampaio | Ilustração: Gisele Caldas
Uma das definições que mais me fez refletir sobre o significado de bondade foi: ” é a qualidade correspondente a ser bom, ou seja, a qualidade de manifestar satisfatoriamente alguma perfeição, que se pode aplicar a pessoas, coisas e situações”*.  Neste sentido, bondade atrela-se à perfeição: inteireza, integridade, a ser único e ainda assim harmonizado com o Todo. Exemplo: Uma rosa seria considerada boa (= perfeita) se cheirasse a jasmim e desejasse ter as sementes de um girassol?
Mas, assim agimos, desconexos, quando nos punimos sendo quem não somos. E ao mutilarmos partes de nós mesmos, menos perfeitos, menos inteiros, sem bondade alguma conosco. Quantas vezes uma semente de Amor que existe em nós – dentro do coração, claro! –  encontra incompreensão? Restritivos e despóticos em nossas concepções de bondade, logo a rotulamos como má. São aquelas que nos desafiam crenças e dogmas arraigados.  Uma semente de Amor é uma semente de Verdade. E trará a Verdade à tona, do mesmo modo como reagimos a ela: com serenidade, se fluímos. Com espinhos, se resistimos…   E assim foi comigo…
Espelhando minha escolha: a dualidade. Quanto mais tentava ferir a semente Amor incompreendida, mais ferida ficava, com sua pontiaguda proteção. Na minha ilusória classificação de bem e do mal, os espinhos eram ainda piores. Não percebia a sutileza de sua missão, um recurso delicado da Natureza que tentava me mostrar algo desalinhado: eles feriam ilusões, e isto era o suficiente para maldizê-los como o doente que se revolta equivocadamente com a febre, sem consciência de que ela pretendia alertá-lo sobre um desequilíbrio.
Após tanto medo da minha parte, os espinhos e as flores já se cobriam com meu orvalho triste e teimoso de “sangue, suor e lágrimas de lamentos”. Foi aí que uma voz interior questionou: pra que tanta luta? Tem certeza de que a semente é má? De que os brotos e seus espinhos são maus? Você é má?
Aquilo me fez sorrir, enternecida, e lágrimas de misericórdia verteram. Sobre mim, na semente que crescia, a despeito da minha hostilidade, e até pelos espinhos. Abdiquei do julgamento e da vitimização. Mais consciente e menos reativa, com mais bondade, compreendi que: “Qualquer luta é travada contra mim mesma***”.
Que eu era a semente, a flor, os brotos, o perfume e até mesmo seus espinhos. Pela primeira vez, não reagi mais, deixei que fluíssem e se ramificassem – sem resistências. Renunciei àquela batalha. As flores se alinharam felizes à decisão, injetando uma misteriosa seiva: um bálsamo cicatrizante, através dos espinhos cravados que me curaram de ilusões e me tornaram mais íntegra. E só foram absorvidos pela haste, após transmitirem sua lição. Pouco a pouco, as flores surgiram sem espinho algum.
Por causa disto, os polinizadores vindos de outros corações floridos conseguiram pousar também no meu coração: as abelhinhas resgataram o zelo e a doçura.  As borboletas, metamorfoses e leveza.  Os passarinhos, canções de liberdade. Trocando informações, tecendo teias de energia, e criando vínculos multidimensionais, perfumados e coloridos pelo Amor. Não me senti mais só, nem ferida.  Apenas abençoada e agradecida por integrar este Jardim cristalino que é a Terra. Apenas mais inteira e louvando pela perfeição na singularidade que encontro nos outros seres. Nesta Primavera, desejo que você seja bom consigo mesmo, não se esquecendo do que você verdadeiramente é: LUZ!

* Wikipedia.

*** Lei da Unidade – Codex: “Sendo que tudo parte da mesma Fonte e tudo é Um, não há contra o que se lutar. Qualquer tipo de luta é sempre contra si mesmo, em qualquer nível e qualquer dimensão.”

12 thoughts on “À primavera do Corações

  1. Sempre travamos lutas conosco… que bom entender que essa luta não faz sentido, e deixar de resistir e seguir abençoando cada situação e aprendendo a Ser Luz!…. gratidão por esse compartilhamento de suas vivências.. que também relembra as nossas… Somos um.

    • Somos Um, Querida, gratidão pelo apoio e carinho, Zê. <3

  2. Perfeito, amada irmã….
    “… os polinizadores vindos de outros corações floridos conseguiram pousar também no meu coração: as abelhinhas resgataram o zelo e a doçura. As borboletas, metamorfoses e leveza. Os passarinhos, canções de liberdade. Trocando informações, tecendo teias de energia, e criando vínculos multidimensionais, perfumados e coloridos pelo Amor. Não me senti mais só, nem ferida. Apenas abençoada e agradecida por integrar este Jardim cristalino que é a Terra. Apenas mais inteira e louvando pela perfeição na singularidade que encontro nos outros seres. Nesta Primavera, desejo que você seja bom consigo mesmo, não se esquecendo do que você verdadeiramente é: LUZ! ”
    Seguindo na construção de dias melhores…. de dentro prá fora e na frequência mais abençoada que nos permite “enxergar” além.
    Gratidão! <3

    • “Enxergar além” – adorei, Amada… Eu quem agradeço, Irmã _/_

  3. Lindo depoimento, querida! A serenidade que a bondade para conosco proporciona é que nos permite ter clareza e acertividade nas nossas ações. Primavera total em sua vida! Beijos

    • Ah minha Querida, agradeço este carinho. E sei que esta é a estação na qual você reina, com suas mãozinhas de Anjo para as todas as flores. Uma Primavera muito muito linda pra você. Beijos.

  4. Claudinha querida ,sabemos o quanto é difícil as batalhas que travamos conosco,e o quanto somos cabeça dura até entendermos que toda batalha que travamos é contra nós mesmos .Então vc nos brinda com a sua experiência nos mostrando o encanto e a magia que existe quando nos abrimos para o AMOR ,A BONDADE E A LUZ que todos temos ,afinal somos todos um e partimos da mesma fonte !!!
    GRATIDÃO!SEJA LUZ !

    • Eu quem agradeço seu carinho, Maria Aparecida. Seja Luz!

  5. Fez -me muito bem começar meu dia lendo essas delícias que refrescam o espírito ..acalmam muito… e ainda mais quando estamos meio exaustas de tantas outras coisas…obrigada por proporcionarem um dia mais levinho !!

    • Gratidão, Celia por suas palavras. Espero que esta leveza se torne uma presença constante na sua Primavera.

  6. Adorei seu texto! Adorei a profundidade e a beleza com que você expressou limitações que todos nós carregamos enquanto insistimos em nos manter resistentes, julgando os fatos que se apresentam em nossas vidas. Luz pra você!

    • Gustavo, que lindeza, que bênção! Gratidão. Que a Primavera seja muito abençoada pra vc e sua família linda. Luz pra ti.

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: