O Amor em voo duplo

Amor
Ilustração Gisele Caldas

Eram tantos os muros a proteger meu coração desiludido…
Ter vivido a paixão como simbiose o adoeceu matando a semente do que poderia vir a ser um Amor.
E na solidão acompanhada disfarçada de euforia, que se acreditava alegria, fui construindo muros.
Cinza.
A ilusão de proteção fragilizava ainda mais o coração, embora o discurso fosse muro, fosse forte, impenetrável.
Digo ilusão, porque não existe lugar onde o Amor não chegue.
E com certeza, ele chegaria até alguém que ama o compartilhar da vida a dois, como eu.
Eu queria a volta do Amor em mim.
Mas movida pelo medo enclausurei o coração.
Um dia distraída, num susto, reencontrei o aceno do Amor em um velho amor.
Um amor que não pode ser vivido. Um tesouro guardado.
Tão bem guardado que parecia um silêncio.
O encontro que faria o muro ruir…
Camada por camada.
Como um bálsamo o encontro com o Amor foi curando o coração, mesmo em meio à desconfianças e medos.
Muitos medos.
Na convivência do dia-a-dia a consciência dos bloqueios ao fluxo do Amor foi brotando, e à medida em que fui desistindo de resistir, fui sendo tomada pela vontade genuína de libertar o coração e deixar que todo aquele Amor dentro do peito fosse entregue, devolvido.
Tudo o que queria era poder sentir sem medo, todo o Amor que estava recebendo, permitindo que aquele poder amoroso fosse integrado e vivido em mim.
Em nós.
Então ele, o próprio Amor, foi me presenteando com a coragem necessária para a entrega ao prazer de boiar à deriva, de flanar nas alturas e mergulhar fundo, tendo seu fluxo contínuo como continente.
Seguindo nesse aprendizado em voo duplo, onde a cada dia escolhemos o Nós, te liberto das minhas projeções do passado para que tu sejas quem És, enquanto me sinto livre para ser quem eu Sou.
Seja Luz!
Ame e se deixe amar!

2 thoughts on “O Amor em voo duplo

  1. Ah o AMOR …alimento indispensável a todos nós !

  2. ❤ *.* Vôo mágico… Lindo lindo… Gratidão, Marcelle e Gisele. ❤

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: