Nós, Os Invisíveis

Nas grandes tragédias, as pessoas se unem… No medo, principalmente.

O que a princípio deveria representar oportunidade única de empatia, acolhimento e solidariedade, transforma-se em medo, afastamento, temor e preconceito.

Não estamos num ponto do quebra-cabeças cósmico, no qual verificamos esse fato com base no passado. Está acontecendo agora, com o mundo.

E estamos no mundo!

Fica aparente e cristalino que aquilo que afeta o chinês distante, nem é tão distante assim, apenas parecia ser, com base no holograma da realidade.

Mas não fomos nós que nos empenhamos em transformar o mundo num local globalizado e comum aos seus habitantes?

Os paradoxos das questões globais não são simples.

Vivemos repetindo frases de efeito e conceitos comuns, como, por exemplo: “o efeito borboleta”, “a gota de água que cai no lago”, blá blá blá, mas quando estamos no lago, ou quando o vento da asa da borboleta se faz presente em nosso queixo, a coisa “não era bem assim”.

Tudo o que queremos é a tal da oportunidade.

Buscadores sonolentos quase que torcem para colocar em prática seus estudos e técnicas e só podem fazer isso, em momentos caóticos.

Pense bem… Para que serve sua técnica x, se não para sanar algo?

Será que não estamos trabalhando numa contramão de via expressa, de altíssima velocidade?

Eu tenho como paradigma a curiosidade mórbida que nossos leitores dorminhocos e ainda não Despertos têm em relação às modificações do planeta. Porque nosso foco não é o caos, nem temos visualizações suficientes em vídeos, artigos, redes sociais e quetais. Mas cada vídeo com chamada NIBIRU, TERREMOTO, ARREBATAMENTO ou qualquer desses temas, gera uma avalanche de interesse.

Não, não estamos ocupados disso e você também não deveria estar.

Não se trata de frequência ou vibração, mas de fundamento e princípio.

Se o seu trabalho não parte da Unidade e da Perfeição, excluindo, por isso mesmo, o medo, não é visto.

O que não significa que não importa…

Ele é tudo, menos supérfluo. Ele é o único pedido da Fonte. 

Mas o Cartel do Medo não o tornará visível.

A invisibilidade daqueles que se ocupam do desenvolvimento pessoal com vistas ao coletivo, focando na prevenção e não no conserto do que já está desequilibrado, é notória.

Nós, Os Invisíveis, não estamos preocupados com o Coronavirus.

Sinto muito, mas tudo o que podia ser feito já foi, em termos energéticos e ao nível pessoal, restando apenas que, nesta situação, as individualizações apliquem o que apreenderam.

Os vírus aos quais seremos expostos – e sim, seremos – precisam encontrar terreno árido em cada um de nós.

O que você já fez para desertificar seu organismo, física e energeticamente?

Como está seu “papel pega vírus”, digo, seu campo energético? Pronto para abrigar uma colônia com potencial mortal, denso e repleto de energia de medo, ou tão fluido que até vírus passam?

Como está seu Chakra Tímico? Girando velozmente como uma turbina de jato supersônico, espantando assim qualquer coisa que não se alinhe com os seus propósitos, ou parado feito o exaustor da padaria de bairro, empoeirado e desligado?

Você decide e tem consequências.

No final das contas, amigos, sua escolha de vida neste plano, dimensão e época, já foi feita.

No mais, é entender que qualquer coisa servirá para essa situação, menos seu medo.

E por gentileza, permaneça invisível.

Rir do vírus é sutilizar a situação. Preparar-se para todas as possibilidades é ganhar tranquilidade. Criar planos alternativos frente às circunstâncias que estão por vir é estar pronto para auxiliar, uma vez que você mesmo já está preparado.

Então, nem descarte as hipóteses, nem as tema.

Longe do medo, perto do Amor, sempre, mas desta vez, com capa de invisibilidade.

Seja Luz!

12 thoughts on “Nós, Os Invisíveis

  1. Há muitos meses essa situação já estava se preparando e, justamente por esse motivo, aquela sensação de inquietude, de um tempo desconexo, de tremor sem razões justificáveis, de um bloco invisível passando na nossa rua…
    E, durante toda essa etapa, você insistindo em nos passar as recomendações cósmicas para o crescimento pessoal, para o ajuste dos padrões internos e para o fortalecimento da fé com a confiança na consciência e na Fonte.
    Parabéns aos que ouviram, escutaram e efetivaram suas transformações ou adequações.
    Gratidão, Alê!

  2. Eu insistindo? Nós insistindo! E vamo que vamo. Quem teve ouvidos, ouviu! E eu espero estar entre a tema que escutou… bjbj

  3. Desde que você falou numa live sobre o canal de sobrevivencialismo,fiquei ligada..vem algo por aí.. fui me preparando,de uma forma muito tranquila,já que aprendemos faz tempo a se manter longe do medo.e vamos nessa!

    • E com sua experiência no escotismo, agregar informação útil é o x do momento. Vamos nessa!

  4. como as pessoas de um modo geral, entram em pânico rapidamente!!!
    sigo sem medo, invisível, sem colocar lenha nessa fogueira…
    gratidão Ale !

Comments are closed.

%d blogueiros gostam disto: