Deixe ir… Sim ou Não?

Deixe ir… Sim ou Não?

O texto a seguir é atribuído ao ator Anthony Hopkins. Talvez ele seja nosso Pedro Bial ou nossa Clarisse Lispector… Fato é que por mais que procurasse não achei a autoria, o que não desmerece o texto, mas o deixa órfão. A ele:

“Deixe ir as pessoas que não estão preparadas para te amar. Esta é a coisa mais difícil que terás de fazer na tua vida e também será a coisa mais importante. Pare de ter conversas difíceis com pessoas que não querem mudanças.
Pare de aparecer para pessoas que não têm interesse na sua presença. Sei que o teu instinto é fazer tudo para ganhar a valorização de quem te rodeia, mas é um impulso que rouba o teu tempo, energia, saúde mental e física.
Quando você começa a lutar por uma vida com alegria, interesse e compromisso, nem todos estarão prontos para te seguir nesse lugar. Isto não significa que precisas de mudar o que és, significa que deves deixar ir as pessoas que não estão prontas para te acompanhar.
Se és excluído, insultado, esquecido ou ignorado pelas pessoas a quem dás o teu tempo, não fazes um favor a ti próprio ao continuares a oferecer a tua energia e a tua vida. A verdade é que você não é para todos e nem todos são para você.
É isso que torna tão especial quando conhecemos pessoas que retribuem amor. Você saberá o quão precioso você é.
Quanto mais tempo você passa tentando se tornar amado por alguém que não é capaz, mais tempo você perde se privando da possibilidade dessa conexão com outra pessoa.
Existem biliões de pessoas neste planeta e muitas delas irão encontrar-se consigo no seu nível de interesse e compromisso.
Quanto mais você fica envolvido com pessoas que te usam como almofada, opção de fundo ou terapeuta para cura emocional, mais tempo você fica longe da comunidade que deseja.
Talvez se você parar de aparecer, você não será desejado. Talvez se você parar de tentar, a relação termine. Talvez se parar de enviar mensagens, o seu telefone fique escuro por semanas. Isso não significa que você arruinou a relação, significa que a única coisa que a segurou foi a energia que só você deu para mantê-la. Isso não é amor, é apego. É querer dar uma chance para quem não merece. Você merece muito, tem pessoas que não deveriam estar na sua vida.
A coisa mais valiosa que tens na tua vida é o teu tempo e energia, e ambos são limitados. Quando você der seu tempo e energia, isso definirá sua existência.
Quando percebes isto, começas a perceber porque estás tão ansioso quando passas tempo com pessoas, em atividades, locais ou situações que não te convém e não devem estar perto de ti, a tua energia é roubada.
Começarás a perceber que a coisa mais importante que podes fazer por ti e por todos os que te rodeiam é proteger a tua energia mais ferozmente do que qualquer outra coisa. Faça da sua vida um porto seguro, no qual apenas pessoas compatíveis são permitidas.
Você não é responsável por salvar ninguém. Você não é responsável por convencê-los a melhorar. Não é o teu trabalho existir para as pessoas e dar a tua vida a elas! Se te sentes mal, se te sentes compelido, serás a raiz de todos os teus problemas, temendo que eles não retribuam os favores que concedeste. É sua única obrigação perceber que você é o amor do seu destino e aceitar o amor que você merece.
Decida que merece amizade verdadeira, compromisso, amor verdadeiro e completo com pessoas saudáveis e prósperas. Então espere e veja o quanto tudo começa a mudar. Não perca tempo com pessoas que não valem a pena. A mudança lhe dará o amor, a estima, a felicidade e a proteção que você merece.”

Eu refleti sobre as palavras. Pessoalmente e à luz do Codex. Pensando na terceira e na quinta dimensão. Analisando sob o aspecto do ego e da Fonte e cheguei a uma conclusão, uma boa conclusão, aliás. Mas não quero influenciar você. Achei o que achei e quem sabe, compartilho também através de comentários aqui mesmo, como você fará.

Seja Luz!

Para ver o texto em inglês.

Alexandra Lopes

Alexandra Lopes

Escritora, psicanalista, professora e co-fundadora do Movimento Era de Cristal e Unaversidade.

3 comentários sobre “Deixe ir… Sim ou Não?

  1. Interessante a questão:”Deixar ir”… pois, de uma forma ou de outra, tudo segue seu caminho…Então, não se trata de “deixar” ir ou não…irá! A transitoriedade nos pertence com todas as suas propriedades. Quem sabe numa outra dimensão…

  2. A natureza da vida é evolução…”Deixai ir” é evolução….é mudança…

Comentários estão encerrado.

%d blogueiros gostam disto: