Você sabe o que é LIBERDADE?

liberdadePor Iara Bichara

Repassando as notícias da semana, em um programa jornalístico, deparei-me com uma constatação simples, mas que me deixou pensativa sobre a semelhança da intenção primeira de todas elas: a liberdade.

Apesar de utilizarmos esse termo com frequência, nem sempre sabemos exatamente o que ele significa. São tão diversas as situações em que a palavra liberdade é usada, que nos esquecemos de procurar o seu fundamento que implica em nossa participação pessoal e no compromisso que dela deriva: a responsabilidade.

Segundo o Dicionário Priberam da Língua Portuguesa:

“Li·ber·da·de
(latim libertas, -atis)
substantivo feminino
1. Direito de proceder conforme nos pareça, contanto que esse direito não vá contra o direito de outrem.
2. Condição do homem ou da nação que goza de liberdade.
3. Conjunto das .ideias liberais ou dos direitos garantidos ao cidadão.
4. [Figurado]  Ousadia.
5. Franqueza.
6. Licença.
7. Desassombro.
8. Demasiada familiaridade.”

Como sinônimos, dependendo da situação em que ela é utilizada, temos: independência, caminho aberto, prerrogativa, ideias livres, liberdade de consciência, autonomia, regalia, emancipação, soberania popular, liberdade de ensino, democracia, privilégio, liberalismo, liberdade de culto, liberdade de pensamento…

Pois então, o jornal televisivo semanal estava recheado de assuntos que, apesar de tratarem de acontecimentos completamente diferentes, tinham um motivo em comum que ora era desrespeitado, ora exacerbado, ora deturpado, por pura falta de conhecimento do seu verdadeiro teor.

Senão, vejamos o que há em comum quando uma criatura, em um ato de insanidade, ocasiona a morte de 150 pessoas; ou quando se revoga a liberdade condicional concedida a um preso de guerra que viola o compromisso assumido; ou quando cidades inteiras são deixadas à mercê de doenças por falta de coleta de lixo; ou quando todo um país vive a insegurança de uma economia à deriva das decisões políticas? Assuntos completamente diferentes, mas que mantém em seu cerne o mesmo conceito: a liberdade.

Experimentem fazer o exercício desta reflexão lendo, ouvindo, vendo, sentindo o que se passa ao nosso redor…

Apesar da nossa origem comum, cada ser possui características próprias. Duas árvores pertencentes à mesma espécie, quando vistas individualmente, apresentam tamanhos de folhas, raízes e flores, diferentes em tamanho, em cor, em proporção. Isto ocorre em todos os reinos, sejam eles animais, vegetais, minerais ou fungos… Porém, desde que estes serem se juntem para formar uma organização, ou no caso dos humanos, uma sociedade, existem regras que estabelecem a convivência dentro de um padrão.

No caso do nosso assunto em questão – liberdade, a fórmula que resume a condição essencial da ordem nas sociedades ditas “livres”, vem da locução latina “sub lege libertas”, cuja tradução é: a liberdade debaixo da lei.

E não é da lei punitiva que estamos tratando, mas da lei maior que rege todas as inter-relações entre os seres e que determina as consequências dos seus atos.

Somos livres quando nos responsabilizamos por nossas ações e, com o nosso exemplo, auxiliamos na expansão desse conhecimento, respeitando e observando continuadamente o cumprimento dessas determinações. Portanto, podemos resumir em três palavras o conceito de liberdade: responsabilidade, respeito e compromisso.

Para reflexão, deixo para vocês mais uma locução latina: “Observantia legum summa libertas”, que traduzindo quer dizer: a suma liberdade é a observância das leis.

Que as Leis do Codex nos auxiliem a trilhar o caminho puro e verdadeiro da Luz!

Seja Luz!

6 Comments
  1. Impressionante como passamos a vida toda repetindo uma palavra sem saber verdadeiramente o que ela significa! Adorei o artigo e vou prestar mais atenção às minhas próprias noções de liberdade… Gratidão.

    • Alê, sempre é tempo de refletirmos e ajustarmos os conceitos. Grata pelo comentário. Beijos.

  2. Que bela reflexão…Momento para rever nossos conceitos, aprender mais e divulgar essas lições, muito apropriado ao momento. Gratidão Iara.

  3. Reply
    Claudia Sampaio 31/03/2015 at 9:26 PM

    Como um novo olhar sobre uma palavra tão disseminada, esteriotipada e banalizada pode modificar toda nossa postura ao vivencia-la! Um olhar que nasce do coração e nos mostra o cerne, revela a estrutura verdadeira de um conceito. Liberdade refletida no Espaço do Coração. Gratidão, Iara pelo artigo. Abraço tímico!

  4. Quem dera que já,hoje, as leis do Codex orientassem nossa visão de liberdade..Grata,Iara.

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Unaversidade