Verdes e Vermelhos

árvoreAcordei pensando nas Árvores do parque ao lado — na mesma quadra onde espero a van escolar do meu filho —, com mata nativa. Estas Árvores me chamaram demais a atenção, mais do que de costume. Na ida para a escola.

Olhei para a copa de algumas delas, na bela sobreposição de verdes, tentei me conectar à energia. Na minha mente, a palavra VERDE ressoava com insistência até incômoda.

Em todos estes anos que fico ali, aguardando a perua, nunca ouvi um comentário sequer a respeito do parque. Justo hoje, um turista passou pela quadra, com um certo ar de enfado de quem se perdeu há algum tempo, contou pelo celular onde estava: “ah, tem um monte de mato aqui…” . Não queria julgá-lo, ele não disse nada demais, no entanto aquilo me atingira de alguma maneira.

A paisagem da região é bem contrastante: de um lado arranha-céus que ostentam toda a tecnologia destinada à movimentação financeira, comercial e cultural. Do outro, aquela Mata, oprimida dentro de um cercado, sobrecarregada com a filtragem do nosso ar insanamente poluído.

Observei o tronco das árvores e como era de se esperar, não notei nenhuma coloração vermelha, indicadora de fontes abundantes de oxigênio. E esta frase me ecoou pra lá de bizarra lá de dentro de mim: preciso do VERMELHO.

Mais tarde, logada no face e o mesmo questionamento, porque não vou lá, espairecer um pouco? Na sequência, Asher Quinn, um artista postou uma composição, cujo nome me deixou perplexa: GREEN MAN, num ritmo ancestral e celta, o Homem Verde das Florestas. Fui procurar a tradução, mas só disponibilizaram o livreto. A última estrofe diz:

“There’s a green man

Inside the forest

Singing you his song

There’s a green man

Who lives forever

He’s in you all along.”

“Há um homem verde
Dentro da floresta
Cantando a você sua canção
Há um homem verde
Que vive para sempre
Ele está em você o tempo todo.”

Quando fui buscar meu filho, que voltou na van, por engano, vivemos uma jornada, atrasados para a Celebração do Dia das Mães. Farol VERDE e o nosso ônibus lá do outro lado da Avenida. Lá de dentro do coração, mais uma vez retumbou: PRECISO DO VERMELHO!

E depois, todos os faróis tingimos com nossas preces de VERDE VERDE VERDE, abrindo caminho…

De volta, emocionada ainda com a apresentação do meu filho mais velho, uma amiga querida sem saber de nada havia me marcado num post. Coincidência?? Com vinte túneis extensos absurdamente mágicos feitos com ÁRVORES:

http://www.boredpanda.com/magical-tree-tunnels/

Agora, reflito sobre meu dia, e penso que se tivesse seguido a vontade de visitar o parque, a Mata, a probabilidade de ter me lembrado do evento do colégio teria sido muito maior. Que todas as coisas são de alguma maneira muito intrincada e misteriosamente conectadas.

Nossas percepções estão cada vez mais aFLORadas, através de sincronicidades múltiplas e insights, mas a maioria de nós prefere tapar o nariz a lhes sentir a essência que impregnaria nossas trilhas pessoais com muito mais harmonia, presença e excelência.

A centelha divina que nos habita e comunga do propósito de nossa alma brilha e sinaliza ao longo do caminho: VERMELHO! VERDE!

O melhor canal para sintonizar esta frequência do coração é a MÃE Natureza, a quem deveríamos também prestar homenagem devida em respeito e integração, como nos ensinam as Leis do Codex.

Tal como a canção, com todo o amor, suas Árvores nos nutrem, tocam e nos beijam:

“Did you feel the kiss

In the tall trees swaying

There between the worlds?”

 

“Você sentiu o beijo

No balanço das altas árvores

Lá, entre os mundos?”

Sentiu?

Nossas Árvores realizam uma Alquimia vital… UMBILICAL…

Como pode a Luz que as Árvores, estes Seres VERDES absorveram e trabalharam, ter parado aí bem aí dentro de você no oxigênio da sua preciosa e VERMELHA seiva: seu sangue?

Então agradeça: inspire e expire Amor ♡ Seja Luz!

9 Comments
  1. “Que a paz se instale, que a alegria floresça, que o amor perdure.
    Porque viver não é apenas existir. Porque existir não é apenas respirar.” da pag. Flores Encantadas….Li isso logo de manha e agora esse lindo artigo nos relembrando de estar sempre gratos pela vida… Realmente quando estamos atentos podemos ver e sentir as sincronias que ocorrem a todo momento, as respostas precisas e perfeitas… Sentiu?? pergunta a autora rsrs…. Respondo…Senti sim e sou grata !!!**** “A centelha divina que nos habita e comunga do propósito de nossa alma brilha e sinaliza ao longo do caminho: VERMELHO! VERDE!”***

  2. Lindo,Claudia!E aqui me sentindo abençoada por poder trabalhar olhando as arvores do meu jardim,os pássaros cantando,fazendo circular com amor,o oxigênio pela minha seiva..Grata!.

  3. Lindo e pertinente, eu nunca havia parado pra pensar sobre Verde e Vermelho mas nao sei porque ultimamente estou pensando comprar uma blusa verde e um casaco vermelho!!! Gratidao Claudia, eu tambem estou no ar, Amor e Luz

  4. Reply
    Claudia Dantas Fonseca 08/05/2014 at 9:19 PM

    Querida Claudia,
    Esta semana coincidentemente fui dar uma volta no Parque Ibirapuera, saí em busca da minha reconexão . Fui acolhida pelo verde, pelo silêncio, pelo canto dos pássaros e depois uma grata surpresa encontrei uma conhecida e depois de meia hora de conversê, começamos a dar boas risadas, nos reconhecemos na ” nossa caminhada” paralela e continua. Falamos de textos que geram o sentimento da cor vermelha – a cor que nos alerta o coração de que algo não reverbera em nossa alma, e que é contraria a vibração do amor, e dos textos que são verdes que ressoam em nossas almas e nos trazem acolhimento e fortalecimento. Grata por mais um Artigo verde ressoante vibrante..

  5. Tão lindo e serve como uma alerta as consciências despertas, sem o verde não haverá mais vermelho. Gratidão Claudia…delicia de texto!

  6. As florestas nos alimentam de oxigenio e limpam todo nosso fisico. Abraçar uma arvore,deitar-se nas folhas é uma sensação inesgotável de prazer e me alimenta a alma. Procuro sempre me imaginar assim , e consigo relaxar. Claudinha,nossa poeta linda,obrigado por este lindo Texto hoje!

  7. Reply
    Valéria de Carvalho Pereira 12/05/2014 at 8:13 PM

    Sejamos Luz! Muito grata!

  8. Reply
    Valéria de Carvalho Pereira 12/05/2014 at 8:13 PM

    Sejamos Luz! Muito grata!

  9. Reply
    Uiara Andriewiski 13/05/2014 at 7:06 PM

    Lindo, lindo…e eu e meu marido temos a sorte de ir e vir todos os dias por uma estrada ladeada de florestas…é sempre um momento mágico olhar as árvores que em cada época do ano florecem em vários tons. O verde está sempre lá e dentro de nós mas amamos o amarelo, o Rosa, o roxo e também o vermelho, tons que nos deixam emocionados.

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Unaversidade