A Verdade da realidade

Texto: Marcelle Sampaio | Ilustração: Gisele Caldas

Ilustração Gisele Caldas

Ilustração Gisele Caldas

Se tem um conceito entre as Leis do Codex, que de início sacudiu minhas estruturas profundamente, derrubando um mundo inteiro, para então expandir minha percepção, criando toda uma visão completamente nova para minha vida, foi o conceito de Realidade.

Me lembro muito bem!

“A realidade só existe individualizada no espaço mental de quem a formou e não tem dimensão. “

A Lei é sucinta, direta, no entanto o comentário dos Pleiadianos sobre a mesma nos leva bem além da sacudida de mundos, nos convidando a tomarmos consciência do que criamos como realidade, já que somos responsáveis por ela.

Partindo do fato de que tudo é energia, e de que toda energia emitida finaliza-se numa forma, como diz a Lei dos Protótipos, incluindo aí sentimentos e idéias, já se torna claro que a atenção com o que estamos emitindo em forma de pensamentos e sentimentos é de fundamental importância.

“A Realidade é um conceito mental e individual, não existindo um consenso relacionado à ela.”

Mas como assim? A realidade não é coletiva? O que é verdade então?

Pensei eu, em voz alta, num rompante de ansiedade ao começar a ler o Codex pela primeira vez!

No meu não entendimento era exatamente aí que tudo se tornava uma grande confusão, e é onde hoje, muitas soluções aparecem.

Eu não conseguia entender como poderia viver uma realidade assim tão individual, onde eu era a responsável por ABSOLUTAMENTE TUDO que eu já experimentei viver. Sem algozes.

Eu não queria assumir essa Verdade.

Um dia percebi que resistir à Ela não estava facilitando em nada minha realidade. A solução do conflito, veio da decisão de olhar para dentro e começar a escolher com consciência o que eu estava emitindo, informando energeticamente e consequentemente, dando forma em seguida.

Passei também a avaliar minha realidade percebendo o que não está em consonância com o que quero viver, para agir como responsável pelas mudanças necessárias, atualizadas com meu Agora. Trabalho diário, que à princípio me cansava, me desgastava com a idéia de ter que me vigiar o tempo todo. Com o tempo vem se tornando um novo modo de viver, que dá trabalho sim, mas também um prazer em estar atenta na construção do que estou criando como realidade.

É como se eu tivesse mudado a lente através da qual vejo o meu mundo. Sim, também sou parte de uma realidade coletiva que se transforma a partir das realidades individuais. E sobre isso esclarecem:

“Em primeiro lugar a realidade é apenas um conceito na mente de quem a formou. Muitos dos seres que formam a realidade têm um poder grande de convencimento e passam este conceito pelas gerações, que a entendem como algo real.”

E que belo é saber que a evolução planetária que escolhemos viver nesse Novo Ciclo se dá em “pleno desenvolvimento individual com vistas ao coletivo”.

Ainda nos comentários do Codex, sobre a Realidade é dito claramente que o que cada ser conhece como realidade necessita ter uma base criada na mente que compreenda aquilo como realidade, ou seja, nossa experiência constrói nossa realidade que por sua vez é o suporte para ser viver as experiências.

Dentro disso não nos favorece em nada a máxima de São Tomé. “Ver para crer” somente nos impede de expandir nosso conceito e experiência de realidade. Na nossa gama de percepção dos sentidos decodificamos diversas vibrações diferentes nos informando o que reconhecemos como um objeto, uma música, uma pessoa, uma emoção. Apesar de serem diferentes em sua vibração e portanto em sua forma, todos são energia/informação.

Indo mais fundo nisso:

“Se querem avançar no processo de verificar outras coisas além das que conseguem tocar, ver, ouvir ou cheirar, têm que formar essa dimensão em suas mentes…Como conseguiriam entrar em contato com outro tipo de realidade? Apenas se isso coubesse dentro daquilo que entendem como possível.”

O que você acredita ser possível? Você se arriscaria a ir além do conhecido, e permitir que sua mente dê o salto para além do abismo?

Ao alcançar essa compreensão, o conceito de verdade que tanto se misturava com realidade para mim, se transformou por completo.

Para criarmos a própria realidade é preciso manipular energia, certo?

Sendo verdade “a consequência de se apresentar uma idéia, fato ou situação sem manipulação”, como diz a Lei da Honestidade, e também o aspecto contrário à ilusão, como diz a Lei da Consciência,

então Verdade , em qualquer nível, me leva docemente para a própria Fonte Criadora. 

Seja LUZ!

Comments

  1. zeneide

    Quando paramos de resistir as situações se tornam mais claras em nossa vida, e podemos sentir as mudanças, a partir de nosso comportamento…E como sempre é trabalho diário como lembrou a Marcelle, no artigo, mas “também um prazer em estar atenta na construção do que estou criando como realidade.” isso é bom demais..gratidão

  2. Vera Lúcia Rodrigues de Souza

    Nossa!!! Realidade e Verdade, um nó que desatamos aos poucos, estudando o Codex, no entanto, confesso, lendo este artigo me senti estagiando na 5ª Dimensão. Gratidão!!!

  3. Claudia Sampaio

    “então Verdade , em qualquer nível, me leva docemente para a própria Fonte Criadora.” – Que muito lindo, Irmana <3 !!!! O que me encanta nos seus textos é como consegue fazer com que a teoria "encarne", fique corpórea e aí trabalha cada aspecto por mais sutil que seja ancorado no presente, no movimento, Trabalho de Bailarina Cósmica. Artista de Luz. Gratidão, Querida *.*

  4. Claudia Sampaio

    Gisele, sua ilustração é outro artigo de luz traduzido em Arte. Presente duplo. Um Pincel Encantado que inquieta nossos depósitos profundos, aqueles grudados lá no fundo dos nossos copos e traz mais cor, consciência, alquimia, sabor e amor para nossas vidas. Maravilhosa. Gratidão, Amada.

  5. marcelle sampaio

    Gratidão pelos comentários. Ouvir como o artigo chega até vocês, é uma verdadeira delícia para meu coração! Compartilhamos essa realidade, que bom!

  6. Cristina de Araujo

    Marcelle, também quando li esse conceito no Codex, tudo pareceu-me mais claro, e passei entender como um fato era visto sob diversos pontos de vistas e as pessoas discutiam qual realidade estava correta?
    Se ela é individual, não tem o que discutir qual é o correto!
    Obrigada, Seja Luz