Uma experiência sobre AMAR

Acompanho o Movimento Era de Cristal desde o fim dos tempos, em 2012. Muitos estudos, experimentos, tombos, saltos, felicidades e frustrações nestes sete anos de transformações. Escolhi ouvir ao máximo minha essência e ser a mudança que eu queria ver no mundo. Quero contar uma experiência em particular, pois creio que possa inspirar alguém a pôr em prática o que temos ouvido nas poderosas “Lives de Quarta”.

Sugiro que leiam o que segue como um caso para estudo. Não trago receita de bolo. Não pretendo ser exemplo a ser seguido. Apenas compartilho minha realidade e como se deu sua construção. Seria interessante analisar este caso utilizando o método S2VC (Selecione uma ação da pilha de informações// Submeta esta ação a sua consciência// Valide a ação como Verdade ou Ilusão// Certifique-se que é Verdade) e ver em que profundidade chegamos.

Então, vamos lá:

O ano era 2012 e o mundo estava prestes a acabar, assim como meu segundo casamento e minha vontade de continuar exercendo a profissão que havia escolhido para a vida toda. A situação emocional particular era de desorientação total, mesmo que o Calendário Maia ou o Universo não quisessem por um fim àquele ciclo tormentoso fazendo a maior bagunça nas realidades que havíamos criado. Estava me sentindo tão sozinha que as amigas fiéis e minhas duas filhas não davam conta. Tomava decisões no modo automático e dizia a mim mesma que o importante era cumprir os compromissos assumidos. Deixei de acreditar que poderia viver um relacionamento de amor verdadeiro. Desertos.

Até que ouvi uma pergunta interna: o que significa amar? O que queres exatamente com isso? O que eu havia lido, assistido, escutado nas mais diferentes correntes de pensamento, ajudaram a começar a construir esse esclarecimento. “Se você não se amar, isso não será possível a ninguém mais.” “Amor pode ser um sentimento, mas amar é um verbo.” “O amor verdadeiro é incondicional.” “Não se pode amar realmente enquanto estivermos querendo qualquer coisa em troca”.  Parecia tudo muito senso comum, mas era o que tinha para o momento.

Juntei estas pistas e fui na pilha de informações (nesta época nem imaginava a concretude da pilha). Entendi a capacidade pessoal de transformação. Resolvi amar. Simplesmente. Tudo e todos. Tomei a decisão de cortar o que não fazia mais sentido e amar sem restrição tudo o que ficasse. Tipo: só de sacanagem!  

Previ alguns desafios e fui em frente: o vizinho que me criticava – mentalizava amor pra ele; uma filha birrenta – enchia de amor, carinho e compreensão; a mãe que queria me catequisar com sua cartilha de vida – amor e paciência para nós duas; amiga que tinha um cara legal para me apresentar – gratidão e amor pra ela. Por aí foi. E a cada desafio fui percebendo que ia me libertando de angústias profundas. Estava novamente colocando a cabeça para fora e respirando.

Até que chegou o momento de resolver uma situação específica e em uma fogueira de São João, no dia 21 de junho de 2014, lancei uma carta para o Universo, contendo meus mais sinceros desejos de experimentar o amor verdadeiro em um relacionamento a dois. Escrevi com total honestidade o que queria e qual minha capacidade de doação.

Um mês depois (o Universo não tá pra brincadeira!) um colega de trabalho começou a se aproximar e desconfiei que poderíamos ficar amigos. Uma das minhas principais expectativas era de que um relacionamento verdadeiro iniciasse com uma amizade verdadeira. E desde julho de 2014 a REALIDADE que sempre sonhei foi construída com base na VERDADE. A cada vez que relembro essa caminhada me encanta a clareza e simplicidade com que a vida é possível. A gente é que complica buscando informação ilusória na pilha.

AMOR vem da FONTE e é VERDADEIRO.

Continuo estudando e aprendendo. Nada é estático, tudo que eu acredito ser possível será real.

A Live de 4.a a qual se refere a autora do artigo está aqui: https://www.youtube.com/watch?v=9EBoKpUDzN8&t=35s

Autor do Artigo
Roselia Araújo Vianna
Sobre o Autor
Mãe da Laura e da Isadora. Apaixonada pelo Victor, com quem felizmente casou-se. Mora na zona rural de Porto Alegre, portanto é aprendiz de agricultora e cuidadora da terra. Mestre em Comunicação e Marketing, atua profissionalmente com projetos sociais. Em formação como Terapeuta Ayurveda, na Escola Brahma Vidyalaya e estudante de filosofia, por conta própria.
9 Comments
  1. Que linda história, Roselia! Parabéns e que a Luz permaneça em sua vida e continue a iluminar os que a rodeiam!

  2. Gratidao Roselia por compartilhar sua inspiradora experiencia em um texto tao lindo. Tambem sigo o Era desde o final dos tempos, depois de um AVC e a despedida de um filho. Foi de grande suporte pra mim a convivencia com o grupo. Bjos, boa sorte e muita luz pra voce e sua familia.

  3. História inspiradora e exemplo”vivo” de como aplicar os ensinamentos da live!Grata!!

  4. Reply
    Ana Maria Mendes 16/01/2019 at 10:40 PM

    Roselia que depoimento lindo!
    … Tomei a decisão de cortar o que não fazia mais sentido e amar sem restrição tudo o que ficasse….._ Fazendo o mesmo caminho,eu.
    As vezes acho que a vida parece um carrosel….
    Grande abraço de parabéns!

  5. Gente, que lindos retornos! Grata pelas palavras e bênçãos!

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Unaversidade