Só um momento

Texto: Gustavo Andriewiski | Ilustração: Gisele Caldas
 
Ilustração: Gisele Caldas

Ilustração: Gisele Caldas

Por um momento eu fecho os olhos… E tudo fica claro

Cada passo se transforma em escolha

Cada erro, em experiência

Cada tropeço, em oportunidade

A religião desaparece

A fé se abandona na luz da essência

A dúvida se dilui como palavras em um poema

A ilusão se revela

E o medo…?

À luz do Amor, da Lei do Amor, por que continuo a escolher a resistência?

Por que escolho temer a morte, a dor, a solidão?

Quantas vezes já morri, me anulei, me transformei e renasci?

Quantas vezes meu coração se partiu e doeu, quantas dores já provoquei e esqueci?

Quantas luzes acendi, nas trevas que somente a solidão proporciona?

Por que resistir?

É só escolha. É só um momento.

Por um momento eu abro os olhos… e escolho amar a tudo. Escolho que o amor não tem que ser perfeito para ser amor, que não tem que ser a maior expressão do universo nem a sublimação da existência, porque Amor é tudo o que há.

Eu escolho amar cada gesto obsceno, cada nota desafinada, cada parte do mundo que eu não entendo. Então eu permito:

– E que a distância entre os opostos seja preenchida pela ausência do meu julgamento.

Eu permito e, magicamente, eles se unem.

E a dor serena, a solidão conforta e a morte…

Não existe.

Comments

  1. Claudia Sampaio

    Gratidão, Gustavo… Você sintetizou com esta Poesia um sentimento que refleti por causa do tema e só consegui sustentar por um nanomilionésimo de segundo – compaixão (não julgar e não resistir), ontem. De tão milagroso, descomunal, intenso… Parece que o peito vai explodir, mas ao mesmo tempo, é como se fosse voar, uma das coisas mais paradoxais que já experimentei na vida. E também fiquei absorta na relação Amor – Coração – Fibonaccis, Gisele rs, que você traduziu nesta Imagem tão linda… Nem sei como agradecer… Sincronicidades abençoadas. Vocês são Luz pura <3

  2. Tereza Sigwalt

    – E que a distância entre os opostos seja preenchido pela ausência do meu julgamento. Maravilhoso Gustavo!

  3. Iara Bichara

    Querido Gustavo, sensibilidade e coerência nesse maravilhoso texto, ultrapassam o objetivo do tema. Parabéns, pura emoçāo!

  4. marcelle sampaio

    Gu, meu amigo…sensacional seu texto! E hoje, como falamos e trabalhamos nisso aqui em casa! A resistência, a não resistência, a morte, o amor, a unidade …meu amigo estamos muito juntos! Lindo, inspirado, disse TUDO.

  5. Kateline Santos

    Gustavo, os meus parabéns por nos brindares com a tua consciência tão clara como água, pois realmente tornar mais claro do que escreveste sobre a Lei do Amor, acho muito dificil!!! Gratidão!