Tudo o que você precisa saber sobre a Mudança de Frequência da Terra em setembro de 2015

mudança de frequênciaNeste agora

Estamos para lá da metade do ano de 2015, com a aparente impressão de que “muito tempo se passou” desde aquele dezembro de 2012.

Você já está formado, casado, empregado, desempregado, divorciado e refez tudo isso, não necessariamente nessa mesma ordem.

O fato é que, de alguma maneira bem estranha, você cresceu. Não é o mesmo. O mundo também mudou — e muito!

Nada pôde ficar do mesmo jeito depois da Transição Planetária e muitos continuam esperando por algum acontecimento “realmente” fenomenal para crerem que as coisas são diferentes. E “realmente” pertence ao terreno da realidade, do real…

A cruz no céu, o aviso final, o som das trombetas. É isso?

É por esse tipo de aviso que espera para perceber que já passamos da fase do jogo onde dependíamos apenas dos dados externos?

Tenho boas e muito boas notícias. Qual você quer primeiro?

Num próximo agora

O Dr. Simon Atkins é um cientista atmosférico. Ele é CEO da AFC – Advanced Forecasting Corporation — uma empresa de consultoria e gerenciamento de riscos climáticos e trabalhou no NOAA (National Oceanic and Atmospheric Administration) — a emblemática agência climática dos EUA.

Ele deve saber alguma coisa e, provavelmente, tem um nome a zelar. Ou não. Ele pode ser um lunático em busca de fama midiática. Será? Tenho minhas dúvidas.

Mas esse meteorologista disse numa entrevista a uma rádio, em maio deste ano, que:

(…) na segunda metade de setembro ocorrerão eventos cósmicos e climáticos extraordinários e que farão com que o final de 2015 seja um período extremamente significativo na história do planeta Terra.

Sabe que a palavra “climáticas” não me é todo surpreendente. Já vivemos num momento diferente em termos de clima e é impossível prever qualquer coisa nesse sentido. Além disso, meteorologia é pura profecia. São “previsões”, baseadas em históricos e não estou com isso menosprezando o trabalho sério e árduo que esses cientistas fazem. Contudo, continua sendo previsão. Mas quanto à “cósmicas”, aí eu tenho que parar para pensar. No mínimo, para ouvir.

O que veio depois dessa entrevista

Uma declaração como essa não passa despercebida. Não existe nenhuma possibilidade nesse mundo totalmente interligado de que o Dr. Atkins se declare ignorante quanto ao veredicto de setembro. Nem poderia. A essa declaração, outras fontes se juntaram e o que era uma previsão alarmante — vamos falar dela, daqui a pouco — virou uma seta em direção ao infinito, flamejante e potente, criando realidades e desmanchando camadas de informação pré-combinadas.

Nada do que conto aqui é novidade. O Dr. Atkins fala disso abertamente e em programas de televisão desde fevereiro deste ano e depois de maio, os blogs conspiratórios começaram a vasculhar todo o material sobre o assunto, espalhando em vários idiomas as previsões, cada vez piores, aumentadas pelo medo — e pelo desejo de fim, diga-se de passagem…

É aqui que entram dois fluxos de informação, para corroborar a previsão do cientista, constantemente citados pelos sites, mas sem maiores aprofundamentos: o Projeto CHANI e o Web Bot Project. Eles são tão intrigantes quanto a fala de Simon Atkins.

O Projeto CHANI

CHANI são as letras iniciais de Channelled Holographic Access Network Intarface.

Trata-se de uma coleção de dados recolhida entre 1994 e 1999 por um corpo de pesquisadores que estava num local da África, realizando uma tarefa de segurança para uma corporação.

Vigiados 24 horas por dia e sem acesso externo, eles contavam com tecnologia de ponta e num determinado momento começaram a receber comunicações de uma Entidade fora do tempo/espaço/dimensão.

Como eles sabiam disso? Ela disse.

Como ela disse?

Através dos computadores da base.

O quê??? WTF!!!

Isso. Durante 5 anos ininterruptos os pesquisadores acessaram informações autômatas, via computador, e estabeleceram uma conversação que gerou mais de 20 mil perguntas e 95% de respostas.

Não havia humano intermediando isso. Não havia emoção envolvida. Não havia um cérebro físico da 3D com seus próprios conhecimentos respondendo às questões. Era simplesmente digitar as perguntas e esperar que o cursor piscasse, devolvendo as respostas.

Simples assim.

Quer dizer… O processo era simples assim. As respostas, bem… São tão desconcertantes quanto qualquer comunicação feita a partir da 5D e eu digo isso com conhecimento de causa.

O Projeto Web Bot

Em 1997, Clif High e George Ure, criaram um potente mecanismo de busca na internet que captava, a partir de palavras-chave, tendências de mercado. O objetivo deles era comercial.

Ao longo do tempo, porém, ele perceberam que não se tratava de verificar se as pessoas estavam falando de A ou B, mas sim, do poder que esses comentários tinham de antecipar fatos e concretizá-los no tempo e no espaço, ou seja: na realidade. Quem sabe, um Cyber Nostradamus…

Eu sou suspeita para falar do projeto porque sou uma de suas fãs. Entrei em contato com ele no começo de 1999 e fiquei absolutamente assombrada com o que se descortinava: a realidade se formando com o poder de palavras virtuais.

Segui o site durante muito tempo e depois, porque era tão complicado quanto as equações que nunca entendi, me esqueci.

Em 2001, ele virou assunto novamente; de uma forma ou de outra, o Web Bot foi capaz de prever, com mais de um ano de antecedência, o ataque de 11 de setembro.

Se o celular que você comprou há dois meses já está obsoleto, imagine o salto tecnológico que o projeto deu desde lá.

Hoje, o Web Bot continua sendo o relatório da Matrix que nos cerca. Ele prova que o mundo que entendemos como real é tão somente a materialização de tudo o que se pensa, fala e sente.

Suspirou de dúvida?

Eu nem comecei ainda… É melhor fechar esse artigo e ver vídeos de gatinhos fofos, porque esses, até eu torço para que sejam reais!

Simon Atkins + Projeto CHANI + Projeto Web Bot

Então, é o seguinte: eu não sei quem começou com isso. Se foi o cientista que olhou o Web Bot, ou se foi o CHANI que contou antes, ou se o que o cientista disse, foi captado como materializável pelo Web Bot, o resumo da ópera é que as três fontes chegam à mesma conclusão: setembro de 2015 é definitivo para o planetinha azul porque haverá a alteração da frequência da Ressonância Schumann.

E vamos entender o que é isso fazendo um Ctrl + C | Ctrl + V de um artigo anterior (2013), aqui do nosso site:

O físico alemão Winfried Otto Schumann constatou, em 1952, que a Terra é cercada por um campo eletromagnético poderoso que se forma entre o solo e a parte inferior da ionosfera, cerca de 100 km acima de nós. Esse campo possui uma ressonância (dai chamar-se ressonância Schumann), mais ou menos constante, da ordem de 7,83 pulsações por segundo. Experimentos mostraram que a frequência fundamental da RS é aproximadamente igual a 7.8Hz, e as frequências harmônicas superiores são 14, 20, 26, 33, 39, 45 e 51Hz.

A frequência de base da Terra, ou “pulsação” (a Ressonância Schumann), está aumentando drasticamente. Embora varie entre regiões geográficas, durante décadas a média foi de 7 a 8 ciclos por segundo. Essa medida já foi considerada uma constante. Comunicações globais militares foram desenvolvidas a partir do valor dessa frequência. Recentes relatórios estabeleceram a taxa num índice superior a 11 ciclos. A ciência não sabe por que isso acontece – nem o que fazer com tal situação. Greg Braden encontrou dados coletados por pesquisadores noruegueses e russos sobre o assunto — que, por sinal, não é amplamente tratado nos Estados Unidos. A única referência à Ressonância Shumann (RS) encontrada na Biblioteca de Seattle está relacionada à meteorologia: a ciência reconhece a RS como um sensível indicador de variações de temperatura e condições amplas de clima. Braden acredita que a RS flutuante pode ser fator importante no desencadeamento das severas tempestades e enchentes dos últimos anos.

Ahá! Já falamos muito disso, minha gente… Falamos em 2012 inteiro, falamos no ano seguinte, falamos nos encontros, falamos nos vídeos, falamos nos grupos da internet.

Alguns dados espalhados por aí dizem que esta frequência já está em 13 há muito tempo e o próprio Atkins acredita que ela possa chegar em setembro, a 14, sendo suficiente para…

A Mudança dos Pólos Magnéticos da Terra

— Oi, muito prazer, eu sou um urso polar. Moro no Pólo Norte. E você?

— O prazer é meu! Sou um pinguim. Moro no Pólo Sul.

— Está tão chato aqui… Vamos trocar?

— Como? É muuuito longe…

— Não trocar de lugar, pinguim, vamos trocar de pólos!

Eu consigo imaginar esse diálogo. E consigo pensar que, mesmo que para os dois, as coisas não mudem muito, para TODOS os outros habitantes do meio do caminho, seja um tanto quanto incômodo.

Pegue o tal do fiozinho vermelho e o outro, preto e troque-os de lugar. Não precisa fazer isso na caixa de luz de sua casa. Faça na bateria de seu carro…

As coisas são feitas para funcionar com os pólos do jeito como estão (e aí falo da sua bateria, que espero que não tenha invertido, ou do planeta). Qualquer tentativa de troca, pode ocasionar um bzzzzzz estalante.

E assim, mesmo que muitos estudiosos digam que esta não seria a primeira inversão de pólos do planeta e que as outras não extirparam a vida existente, eu acho que eles são bem otimistas por detrás de suas teses meticulosamente revisadas no conforto de gabinetes aquecidos e iluminados.

A ordem dos fatores, nesse cenário, é:

  • Mudança Magnética (Ressonância Schumann)
  • Inversão dos Pólos Magnéticos (nossos ursos e pinguins imaginários desentediados, então)
  • Ventos Solares (por causa do magnetismo enfraquecido)
  • Colapso energético e de comunicação (ventos solares e tempestades eletromagnéticas afetam diretamente os sistemas elétricos e antes disso, satélites, que são os primeiros a serem atingidos. Não reclame mais da sua operadora, por gentileza, antes de passar por uma tempestade eletromagnética!)

As consequências mínimas — e esperadas, até por eles — seriam:

  • tempestades geomagnéticas
  • atividade sísmica intensificada
  • erupções vulcânicas
  • secas e enchentes

Para os seres vivos, a frequência faz diferença e altera desde os batimentos cardíacos até os ciclos de funcionamento cerebrais. Quanto maior o ciclo, mais rápido o coração bate e mais o cérebro funciona…. Quanto mais o cérebro funciona, mais ativos os seres ficam e que pena, agressivos também.

Bom… E?

E nada.

Apenas por chegar até aqui na leitura, seu coração já bate mais rápido e seu cérebro já está mais ativo.

Tudo isso porque, mesmo que inconscientemente, você está espalhando adrenalina pelo corpo porque sente que deve correr.

Pode correr. O planeta continua arredondado e se tiver força suficiente para dar a volta até setembro, chegará no mesmo ponto.

O que é que você ainda não sabia, disso tudo?

E mesmo assim, sabendo — porque temos sede de saber, de nos informar, de conhecer o que está por detrás de cada página de site conspiratório — onde é que você vai se esconder?

Eu acho graça quando algum ser que está no trabalho interno, cuidando do que sente, pensa e fala, crescendo internamente, e sempre diz assim: “— Ai, eu fico fora dessas notícias de tragédia! Eu não assisto filmes violentos! Eu não quero ficar perto de pensamentos negativos! Não vejo mais nem noticiário!” me pergunta se tal catástrofe vai ou não acontecer.

É como aquela criança que morre de medo de fantasma e não perde um filme de terror!

Não é porque um site fala de coisas energéticas ou espirituais que é completamente isento do veneno do medo. Por outro lado, o objetivo não é colocar medo e assustar, é colocar-lhe frente à própria realidade que nós mesmos criamos e que agora, temos que dar conta de vivenciar.

Pare de pensar que a ignorância lhe salva. Não, ela não salva. Não saber de algo não lhe protege. Saber também não.

A única forma de se lidar com isso é sem medo, sentindo e fluindo, sem resistência. É na posição de graveto sendo levado pelo rio, leve, solto, sem esbarrar em nada e sem machucar os outros seres que também viajam e não na postura de tronco, que impede a passagem, que devemos nos colocar.

Quanta chuva forte uma folhinha já enfrentou? E o que acontece com ela quando o sol volta a brilhar?

Até onde sei não sou folha, mas posso aprender a me dobrar com a experiência dela.

NÃO ESTAMOS AQUI À TOA. OS PLANOS SÃO MUITO GRANDES; AS MUDANÇAS SÃO BEM MAIS IMPACTANTES DO QUALQUER TERREMOTO E ACONTECERÃO NA TERRA SIM, MAS NA TERRA INTERNA, DENTRO DE CADA UM.

É melhor que tenha entendido, porque eu não sei desenhar.

A data estipulada pelo Dr. Simon Atkins para que o auge disso aconteça é 24 de setembro.

Pois eu estarei esperando por você no ponto de encontro de chegada para o nosso maravilhoso final de semana de descobertas, tomando um café bem forte e comendo uma empadinha, no dia seguinte.

E quando começarmos os trabalhos, em 25 de setembro, às 21:00 horas, você vai conhecer as ferramentas para lidar com a alteração de frequência, saber quais são os planos e as grandes mudanças daqui para frente e entender, de vez, qual é a sua parte nisso tudo.

Até lá, sigo sendo Luz. Seja Luz você também!

Referências:

Para ir ao encontro dias 25, 26 e 27 de setembro de 2015, inscrição até 10/08 com valor promocional e depois disso, com 20% de acréscimo, clique na imagem:

Tudo o que você precisa saber sobre a Mudança de Frequência da Terra em setembro de 2015

 

Programa de rádio sobre as previsões do Dr. Simon Atkins (em inglês):

Artigo Unaversidade que cita a Ressonância Schumann

Excelente material — em inglês — sobre o CHANI

Web Bot Fórum – discussões abertas, mas as previsões fechadas, com assinatura e compra de boletins.

 

8 Comments
  1. uma delícia a forma como escreve, deiferente de você, prefiro desenhar, adorei o convite pra dança. O vento tá forte, vamos com fé

    • Gratidão, André!!! E como sua habilidade é complementar, quando quiser enviar para nós uma de suas imagens, teremos o maior prazer de colocar num dos artigos, creditando ao seu perfil. Seja Luz!

  2. Maravilha! Quanto mais gravetinhos boiando, melhor!
    Gratidão, Alê querida!
    Abração de luz!

  3. Reply
    Janice Valeria Pedro 07/08/2015 at 4:43 PM

    …então Ale, meu resumo de vida, até o momento, me direciona para o sentido de: – Não o de seguir como um galho errante em meio a correnteza, mas o de pairar acima do que chamamos de realidade, com a serenidade necessária para silenciosamente acontecer. Não o de ir à busca de uma doutrina para seguir, mas ouvir a todas e lhes render a justa reverencia… (entende agora…) e livremente seguir… Não o de decidir entre o medo e o amor, pois eles estão lá, queiramos ou não; mas prestar muita atenção em mim mesma e saber identificar todas as minhas artimanhas internas, que poderiam me fazer optar, (o livre arbítrio…) por não ser… Porque todo o resto existe, através deste exercício de se amar! Amamos-nos assim: com lucidez, com suavidade, com respeito, com a abertura necessária para perceber este sopro de entrada, sua trajetória e sua passagem, com a leveza que só a luz nos proporciona e com uma profunda consciência de que, tudo, absolutamente tudo, contribui para o desenvolvimento do nosso motivo de, por aqui estar… Não posso dizer que está ou, tenha sido ou, ainda será algo fácil… Nunca é! Exatamente por toda essa inconsistência que nos acompanha e sempre nos acompanhará. Jamais teremos respostas que nos sejam satisfatórias, as diversas possibilidades assim não nos permitem. Mas, enquanto estivermos sorrindo corajosamente em frente a tudo, com o rosto erguido em desafio mudo, sempre ouviremos alguém dizendo: “Eis-me aqui filho meu, Eu te dei uma alma formidável”. GRATIDÃO POR SERMOS COMO SOMOS!

  4. Grupo Era de Cristal, vocês arrasam sempre! E que permaneçamos Luz, porque a Luz transcende! E é fantástico estarmos aqui e fazermos parte disso tudo! Gratidão, gratidão, gratidão!

  5. ola quando tera o proximo encontro?

  6. Este artigo tem ontinuação? Preciso saber mais sobre o assunto… Por favor, vcs tem alguma orientação? Grata

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Unaversidade