Terrorismo energético: vampiros, assaltantes e o velho e previsível medo –

Terrorismo energético: vampiros, assaltantes e o velho e previsível medo -

No nosso último encontro presencial em maio, em São Paulo, uma questão veio à tona e não era de pouca importância: ataques energéticos.

O assunto foi puxado por causa do tema da palestra: “O Chakra Tímico e sua forma de consolidação no Novo Ciclo”.

Sendo ele uma couraça, externa e interna, posicionada à frente do chakra cardíaco, estaria, teoricamente, mais exposto e daí, para imaginarmos que também mais vulnerável, é um passo bem pequeno na lógica cartesiana dos habitantes do velho Ciclo…

Afinal, “estávamos sós antes da reativação da energia da Terra… quem sabe não estivéssemos também à deriva, perdidos num Universo que não só é imenso, como povoado por seres dos quais representamos quase nada”.

O que é essa constatação, além de medo, disfarçado de bons propósitos de preservação?

E por isso, ao falarmos do funcionamento do Chakra Tímico, uma pergunta pontual apareceu:

“— De que forma podemos nos defender agora dos ataques astrais, uma vez que este chakra parece estar exposto?”

Como nada é o que parece ser, à primeira vista, precisamos aprofundar o conceito de “ataque” e de “assalto”. Não são poucos os que se sentem mal em contato com iguais e acham, realmente, que suas energias foram sugadas, exterminadas, extintas. Individualizações que vampirizam, locais que drenam, situações que esgotam, não é mesmo?

Bem, há uma chave tão simples quanto beber água de chuva e ela consiste em permitir!

Assaltos energéticos acontecem porque estamos com atitude reativa e defensiva.

“— Meu, minha, individual! Essa energia me pertence e não vou dá-la a ninguém! Preciso dela! Tenho minhas pessoas queridas a quem escolho doar. Só a elas e quando posso… Nem sempre posso… Sou fraco, preciso repor minhas próprias energias e vem alguém querendo tira-las de mim? Não!”

  • Toda vez que conscientemente escolhemos reter, aqueles que precisam de um aporte irão nos usurpar.
  • Sempre que optarmos por guardar apenas para nós a energia circulante, uma individualização menos carregada, momentaneamente, perceberá isso e se aproximará com o intuito de tirar.
  • Indubitavelmente, locais e situações drenam sim, imediatamente após constatarem que não estamos a fim de trocar, que economizamos para nós e esta condição, nada justa perante o plano universal, força uma saída de energia contra nossa vontade e compreendemos isso como “ataque, assalto, drenagem”.

Pense por um instante: entramos em locais que nos parecem “drenos energéticos”. O que usamos de lá e o quanto doamos?

Vamos ao raso e físico, num primeiro momento, para exemplificar: o ar é disponível, a luz é disponível, a temperatura é ajustável, temos uma base no chão para nos apoiar e leis ao redor para nos mantermos nesse chão… Energeticamente, temos do local o fluxo contínuo e disponível de energia, nos alimentando e um esquema inimaginável para separar as dimensões, as individualizações e as informações, de modo a nos fazer permanecer, com alguma sanidade, na terceira dimensão…

E então, deliberada e conscientemente, escolhemos “nos proteger”. Recebemos os presentes, mas nos negamos a trocar. Somos recebidos pelo ambiente e nada damos em troca, a não ser, uma pura e sincera desconfiança e um padrão de medo tão grande que faz todos os nossos centros de energia apitarem com o tom de “perigo perigo perigo!”

Com pessoas, acontece exatamente o mesmo!

“— Toda vez que converso com Fulano, me sinto esgotado! Quase que vejo a minha energia sendo roubada!”

Já se imaginou doando antes de ser exigido?

Por que pensa que a energia que está doando não retornará a você?

Seria um “assalto”, caso fornecesse a energia por escolha própria?

Atenção, leitores!

Você nem sequer estaria vivo se o Universo pensasse e agisse assim!

ENERGIA CÓSMICA NÃO É FINITA!

A era dos “vampiros” acaba quando não somos mais usurpados e sim, doadores incondicionais de energia, a tudo e a todos.

Ninguém precisa arrancar de nós o que está completamente disponível. Escolhemos ser forntes doadoras, e só isso basta!

O “venha aqui e pegue” é a melhor proteção — se é que ainda pensa nesses termos —, infinitamente mais saudável, em todos os sentidos, do que o “nem pense em chegar perto!”, porque este último, começa com uma promessa e terminará com uma ameaça; nos carrega em segundos para o padrão do medo; nos desalinha em relação a tudo o que queremos como propósito de crescimento e mais importante: nos separa, cada vez mais, do Todo, provocando uma ruptura com a Fonte que, por sua vez, nunca nos viu em separado.

A todos os que precisam se proteger e mantém o padrão do medo, afirmamos: isso vai acabar.

A todos os que ainda pensam que precisam arrancar à força a energia do outro, advertimos: isso vai acabar!

Se eu não impeço a retirada e o outro vê minha energia disponível, isso não é mais ataque… chama-se agora interação, troca, cumplicidade, compartilhamento, congraçamento, relacionamento, e num nível verdadeiro, é o nome que damos ao AMOR, para muito além das formas.

Quer continuar jogando esse jogo de: “tentam me atacar e eu tento me defender”, certo, é uma escolha sua… Porém, não é mais necessária, nem nunca foi, por sinal.

Liberdade e distância do medo são itens conquistados com permissão e consciência.

Às favas com os roubos energéticos!

A partir deste agora, opte por SER LUZ! Terrorismo energético: vampiros, assaltantes e o velho e previsível medo -

SEJA LUZ! 

* nos próximos artigos pretendemos expor nossas observações sobre o funcionamento do  Chakra Tímico e técnicas de recepção e doação de energia. Fiquem conosco.

Seja o primeiro a comentar

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Unaversidade