Tempo para ouvir a Fonte

20130816-093815.jpgNesta semana o que mais me chamou a atenção foi a quantidade de textos, de conversas, de reclamações, de mensagens falando sobre o tempo.

Assunto inesgotável, quando se fala em tempo como sinônimo de clima, é sempre motivo de insatisfação. Criamos um paradigma de perfeição que engloba céu azul, temperatura agradável, com manhãs quentes, tardes ensolaradas e noites enluaradas e frescas. Inevitavelmente, esquecemo-nos das mudanças de estações, da rotação do nosso planeta e das modificações que causamos ao nosso ecossistema.

Nos noticiários, costuma-se dizer: “amanhã o tempo será bom na região …”, como se não precisássemos também de chuva, de frio, de ventos e de todas as ocorrências que compõem o clima e são necessárias para que o ciclo de dormência, germinação, florescência e frutificação se completem, em todos os reinos da natureza.

Apreciamos e ficamos felizes com um lindo dia de sol, mas se isto se prolonga por um período maior que o costumeiro, nós reclamamos do calor, das noites sufocantes, da sensibilidade da pele, do ressecamento dos olhos e de tudo que vem como consequência da elevação da temperatura. No final do verão, estamos ansiosos por dias mais frescos, mas quando os dias se tornam frios, nossas queixas se voltam para as mesmas coisas que tanto ansiávamos.

Passamos pelas estações sem delas aproveitar a maravilha da renovação.

Com o tempo calendário, hora, dia, também acontece o mesmo. Reclamamos que não temos mais tempo para nada. Cada vez se tornam menos frequentes as visitas que fazíamos e recebíamos. Os parentes, os amigos, os vizinhos transformaram-se numa lista de e-mails e mensagens, classificadas por setores. Raramente os vemos e, quando isso ocorre, é por um curto e breve espaço de tempo. Ficaram guardadas num canto de uma memória muito particular, as lembranças dos longos domingos passados nas casas dos avós – ou tios, dos infindáveis almoços familiares comemorativos, das festas da adolescência, das reuniões com outros jovens casais, dos aniversários dos filhos, dos festejos natalinos e até mesmo das longas conversas telefônicas com os amigos.

Estamos sempre fazendo uma coisa e pensando no que não podemos nos esquecer de fazer em seguida. É comum atender uma ligação e não lhe dar a devida importância, simplesmente por não prestar a atenção merecida, pois os pensamentos estão direcionados para outro foco. Quando estamos trabalhando, pensamos no que iremos fazer quando sairmos de lá. Quando estamos nos divertindo, pensamos para onde iremos depois e assim vamos seguindo uma interminável fila de antecipações.

E no meio desse círculo vicioso que criamos, falta-nos tempo para entrarmos em contato com o divino que habita em nós.

Deixando de lado os limites do tempo e do espaço e considerando que somos UM, o

Tudo que É, a Fonte, devemos nos conscientizar de que em todos os nossos atos, podemos refletir a luz e com ela expandir as nossas possibilidades.

Essa expansão se dá pela atenção, pelo foco que colocamos naquilo que estamos realizando. É através dessa expressão que o divino se manifesta em sua totalidade.

Quando estamos direcionados para colocar o melhor de nós mesmos em uma tarefa, em uma comida, em uma conversa, em uma atitude, em uma explanação, em uma contemplação, em um carinho, estamos utilizando o tempo a nosso favor. Estamos fazendo convergir para a direção de nosso objetivo, a execução consciente de nossa responsabilidade criadora.

Ao dar atenção a uma coisa de cada vez, ao aproveitar cada instante com o que ele oferece de melhor e ao doar as nossas melhores energias para o momento e a situação que estamos vivendo em plenitude, estamos em ligação permanente com a Fonte e emanando a luz que ela nos transmite incessantemente.

Seja Luz!

*** Em TEMPO: já fez sua inscrição para os eventos de agosto e setembro? 🙂 Agora sim é para CORRER! Aqui!

6 Comentários
  1. Importante, providencial e simples assim – o tempo comigo, com o outro, com o mundo.Lindo! agradecida

  2. Maravilha de texto!
    Temos que viver sem pressa, aproveitando cada momento, cada agora, pois daqui há pouco, não será mais agora!!!
    Abração de LUZ!

  3. Estou trabalhando nisso há algum tempo……………..um dos momentos que exercito é tomando banho.Fecho os meus olhos e me pergunto ..o que vc está sentindo?Qual a sensação da agua morna em contato com vc?e outras +.Com isso eu percebi que consigo estar presente.Agora faço isso sempre com a maioria das situações.

  4. Que lindo! Atenção total no Aqui e no Agora.

  5. Presente!

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Unaversidade