Solidificando e sublimando

Texto: Claudia Sampaio | Ilustração: Gisele Caldas

ilustra_giselecaldas_SOLIDARIEDADE_2 www.gisele-caldas.blogspot.com

Ilustração: Gisele Caldas

Admiro muito quem inventou esta palavrinha, sendo reinterpretada apenas reagrupando as sílabas. Sol i dar i edade. Ex: Sol – algo inteiro, autogerador de energia. Dar – doar. Edade – maturidade, condição, estado. Mas, vou me ater ao solidar – sólido, etimologicamente a mesma raiz.

Segundo a Wikipédia: “sólido é um estado da matéria, cujas características são volume e forma definidos, isto é, a resiste à deformação. Os átomos ou as moléculas estão próximos, se movendo quase imperceptivelmente, com ordenação espacial fixa.”

“A solidificação é a transição de fase na qual uma substância passa de seu estado líquido ao sólido. A passagem direta do estado gasoso ao sólido (o inverso também) é chamada de sublimação – é característica de substâncias que possuem pressão de vapor no ponto de fusão maior que a pressão atmosférica. Isso ocorre geralmente com substâncias apolares, de alta simetria.”

Hum… Vamos guardar estas características? Ponto de fusão maior que a pressão atmosférica, apolares, alta simetria.

Sublimação também é um termo usado por Freud e guarda muitas semelhanças com a física:

“Mecanismo onde o inconsciente desloca energia psíquica de certas tendências desalinhadas ou inaceitáveis, para realizações socialmente permitidas e até louváveis – nas artes, ciências, esportes, atividades altruístas.  A energia é redirecionada, realocada.”

O que solidariedade, solidificação e sublimação teriam em comum?

São demonstrações de união. No altruísmo sua energia é aplicada para sanar a fome, o frio, a sede, distribuir afeto, atenção, repouso, ou através de um dom seu para que o outro redescubra a própria integridade, inteireza, solidez. É gratificante e o primeiro beneficiado é você mesmo, pois agindo assim, colabora, se portando sólido ao lidar com pressões altamente adversas. Na solidificação, os átomos ou moléculas seguem o mesmo padrão de agrupamento.

E a sublimação? Ela é diferenciada por transcender tanto na física quanto na psicologia.  Vai de um extremo ao outro. Do muito individual (puramente egóico eu diria) à integração com algo maior, o coletivo, o todo, o organismo universal.

Nesta sublimação, a dualidade e a polaridade deixam de existir pela capacidade de se integrar com equilíbrio, sem assimetrias desconexas. Tal como o cubo do gelo seco, você pode dar densidade a um impulso desafiador, criando com_paixão uma obra de arte consistente, por exemplo, que servirá de reflexão à sociedade por séculos, preservada na memória. Ou… Dissolver-se, etérico, como faz a névoa fascinante que se desprende do gelo seco, na sua mais diáfana e sábia individualização que vive sempre a máxima: “todos somos um e o mesmo***”.

Na explicação do Codex é dito que:

“A Lei da Graça verifica o aparente mal que foi causado a um, por outro, não contra aquele ser, e liberta e perdoa o ser em nome de outro, assim criando liberdade e mais espaço de expansão. A Lei da Graça é uma prerrogativa divina, mas quem tem existência e não partiu da Fonte? Aquele ser não está mais atrelado e acorrentado a uma situação. Tem mais espaço para expandir-se.”

Somos solidários conosco e com o outro ao aplicamos esta Lei. Quanto maior o raio da misericórdia mais “sublime é a ação”, sem distinção de estados,  sem antagonismos, abarcando a todos.

Esta  sublime ação demonstra um paradoxo:

Do coração mais derretido nasce o amor mais sólido. Seja Luz!

Beautiful, simple dry ice (gelo seco):

P.S.: peço desculpas pela extensão dos trechos que colei da Wikipédia, mas precisava relembrar ciências com vocês.

*** Frase de Ale Barello.

5 Comments
  1. Clau…. a única palavra + sentimento que encontro ao ler este artigo é: gratidão!
    Gisele…. que perfeição!
    Amo-as! <3 😀

  2. Reply
    Erci Raposo Pimentel Galdino 11/07/2014 at 11:41 AM

    Que aula de ciência, sabedoria e amor! Grata, grata,grata!!!!
    Gisele, como sempre linda ilustração.

  3. Admiro sua facilidade em separar e depois juntar as palavras dando a elas significados com novo olhar…Coisas de fada…gratidão querida !

    Do coração mais derretido nasce o amor mais sólido. Seja Luz! Lindo demais. bj

  4. Reply
    Claudia Sampaio 11/07/2014 at 2:09 PM

    A M E I o seu desenho, Gisele!!! Muito muito! Só comunhão de propósitos e as varinhas encantadas do Aporte Energético e a intuição da Ale explicam rsrsrs…

    Sobre o sublimar… é tanto do denso para sutil, quanto do sutil para o denso… em termos vibracionais. Aquela emoção desafiadora pode seguir os dois caminhos e se traduzir em alguma obra ou gesto que beneficie a todos – depende muito da nossa escolha, da disponibilidade em transmutar através da própria luz interior este material energia informação – fogo alquímico do coração. Um seja luz literal é solidariedade pura !! ☼

    Gratidão pelo carinho e incentivo, queridas: Fátima, Zeneide, Erci, Gisele ♥

  5. Reply
    Claudia Sampaio 11/07/2014 at 7:21 PM

    Algo em comum com as substâncias que passam pela sublimação é a questão do ponto de fusão e a pressão atmosférica. Para sublimar algo, temos que ter a consciência e fazer a escolha de tornar o nosso ponto de fusão (comunhão) com o organismo Universal sempre maior do que a pressão da atmosfera. E geralmente, quem consegue de fato ser solidário, age assim, mesmo sob pressões altas internas e externas. 😀

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Unaversidade