Provoque movimento em sua vida, desistindo

BANNER EVENTO 20 DE MAIO

Planos, planos, planos!

Ainda estamos na fase dos planos para 2018, com o ano avançando rapidamente em meio às horas velozes.

É bom ter planos, mas melhor é cumpri-los!

Em meio a isso, pode ser que você esteja com a impressão de que está tudo parado e nada se move para que você avance em suas metas.

Já conversamos sobre isso. Talvez você não tenha se dado conta de que persegue um objetivo ou meta que não está mais de acordo com seu modo de viver, pensar e sentir nesse agora.

Existem alguns clichês coletivos que são verdadeiras armadilhas, por exemplo:

“Este ano, eu emagreço!”

Isso é perfeito. Sua meta é igual a de 90% dos ocidentais.

O que você pode ter se esquecido é de que no ano passado – ou no anterior – mudou sua alimentação, come de forma mais saudável e consciente.

Então…. Sua meta continua sendo emagrecer?

Será que não está na hora de DESISTIR de emagrecer e focar no ganho que está tendo com sua nova cultura alimentar?

Isso vale para todas as outras metas e objetivos. Quando ficamos obstinados com os clichês ou com sentenças pessoais definidas num passado tão distante que nem nos lembramos mais do motivo de termos desejado aquilo, perdemos o foco no que está acontecendo agora, naquilo que já conquistamos e até no que realizamos!

Desistir, insistir e resistir são irmãos muito diferentes entre si.

Filhos de uma mesma mãe latina que se chama SISTERE – estabelecer, estar fixo – os pais são: DE – privação, IN – “en”, interioridade, valor e RE – voltar, de novo.

Por isso, quando você:

Desiste: se priva de estar fixo em algo

Insiste: interioriza o que está fixo

Resiste: volta a ficar fixo em algo anterior

Penso que muitos de nós já confundimos desistência com fracasso. Pode até ser que ambos os casos tenham acontecido simultaneamente o que formou um padrão que nos leva a crer que desistência é fraqueza.

Uma coisa não tem nada a ver com a outra.

Esses irmãos são filhos de uma mãe que estanca o movimento. Engana-se quem pensa que insistir é movimentar-se em direção a algo. Muito pelo contrário: é estar tão fixo em um ponto que dali não se sai sem, justamente, desistir.

É quando desistimos que o movimento recomeça, porque vamos em busca de novas metas, situações e cumprimentos de desejos.

Se no meio de uma discussão alguém com sabedoria fala: “Eu desisto!”, não está jogando a toalha, está proporcionando movimento a todos que discutem. Saímos de lá para outro ponto emocional, filosófico, mental e físico.

E quando resistimos? Humm… Quando resistimos, nos apegamos novamente ao que já havíamos abandonado e ficamos lá, duplamente parados, feito mulas teimosas.

Para dar prosseguimento a toda sua jornada e não apenas ao distinto e agradável ano de 2018, você tem que permitir o movimento. Nem insistir, muito menos resistir, (assunto extenso do Codex, o não-resistir) temos que desistir, a cada agora do que nos paralisa. E tem muita coisa boa que nos paralisa, diga-se de passagem!

Tem mais alguém da família que você precisa conhecer, o irmão mais velho EXISTIR.

O pai, EX – para fora – faz com que aquele ponto de Luz que somos, se exteriorize, com matéria, substância e consistência e a mãe, ancora e permite a fixação dessa Luz.

Seja Luz e Saiba-se Luz!

Ah! E faça do desistir o melhor exercício de 2018, bem rápido, viu? 🙂

6 Comentários
  1. Então sigamos insistindo em desistir de resistir. Ou algo parecido.

  2. E aí, na desistência, vem o famoso e tão almejado DESAPEGO! Bravo!!!

  3. …e aí vem alguém e insiste em te cobrar: mas… o que você quer ser na vida? E aí… responde o que?
    Não vai entender mesmo… E eu penso: ” O que sou não é suficiente? Ne suffit pas, como diz o francês? Tenho que querer ser alguma coisa mais? Não posso ser apenas eu neste momento, aqui e agora?

Deixe uma resposta

Unaversidade