Pró-ação no Novo Ciclo

Texto: Claudia Sampaio | Ilustração: Gisele Caldas

ilustra_giselecaldas_Proatividade_4 www.gisele-caldas.blogspot.comFoi muito bom que os textos das últimas semanas tenham abordado caridade, bondade, generosidade, antes de adentrarmos no terreno da proatividade. Suas definições incluem:

– “capacidade que alguém ou algo tem de fazer com que determinadas coisas aconteçam ou se desenvolvam” *;

– “comportamento de antecipação e de responsabilização pelas próprias escolhas e ações frente às situações impostas pelo meio.” **

A ilusória proatividade do Velho Ciclo esteve majoritariamente centrada no ego, motivada por gratificações pessoais e competitividade, no poderio sobre o outro e holofotes. No cenário profissional, isto muitas vezes se refletiu em disputas, onde longe de ser estimulada para realizar o bem a outra individualização, se restringiu a ações que em seu âmago, eram desprovidas de compaixão.

Nas quais as diferenças aumentavam e as semelhanças diminuíam. Ou ainda num desajuste psicológico em que a ação era ressentida e precipitada, cuja base era o julgamento arrogante de que o outro não seria capaz de realizar isto ou aquilo.

Porém, é um conceito que não pode ser confundido e reduzido a uma competência desejável no mundo coorporativo, nem relegado à banalização e distorção. A proatividade requerida no Novo Ciclo é antes uma postura global que se estrutura sobre pilares como as Leis do Amor, Coragem, Mudança e Paradoxo***, a responsabilidade pela autocorreção, a maestria e o princípio básico da não resistência.

“Não resistir é mover-se, não ficar parado. Não resistir é agir. Dessa maneira, significa ir de encontro ao seu verdadeiro fluxo de energia, e movendo-se pelas situações.” – Codex.

“… ir de encontro”, uma Pró-Ação… Por falar em mover-se, vamos inverter algumas letrinhas? Delete o P da precipitação, lance o R de responsabilidade logo adiante da “Ação”, e evoque um C de criatividade caprichada que resulte num óoooohhh !!! Percebem o que forma? Pró-ação vira Coração.

É alicerçado nele, que a Lei da Coragem desbrava as vastas possibilidades de nossas mentes, contorcionistas, malabaristas (nada enferrujadas), e aplicada em atos efetivos, cujo foco resulta em mais ajuste, nos mais variados e improváveis âmbitos da vida.

Ao contrário da ilusória proatividade, que provoca cisões externas e fragmenta o próprio ser, a verdadeira emerge como um dom inerente a todos, brilha em integração, fluência e saltos audaciosos de Consciência – obtendo a sinergia entre os sonhos e flexibilidade de nossa criança interior e a disciplina e sabedoria da maturidade.

Na proatividade, nos redescobrimos criativos e inovadores. Nossa individualização percebe a si mesma e às demais, cada vez mais unas e únicas: em coração, mente, corpo e Fonte. Capazes de realizarmos com responsabilidade e excelência, ações que promovam mais e mais Amor.

Seja Luz!

* Dicionário Priberam.
** Wikipedia.
*** Codex.
2 Comments
  1. “Na proatividade, nos redescobrimos criativos e inovadores. Nossa individualização percebe a si mesma e às demais, cada vez mais unas e únicas: em coração, mente, corpo e Fonte.” Sendo unos com a Fonte, podemos agir cada vez mais alinhados, sem resistência, e sim com o Amor.gratidão..

  2. Gisele..lindos seus desenhos….Mesmo quando tudo parece escuro, a Luz sempre se manifesta. Assim interpretei suas ilustrações da semana.Gratidão!

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Unaversidade