À primavera do Corações

Texto: Claudia Sampaio | Ilustração: Gisele Caldas

À primavera do CoraçõesUma das definições que mais me fez refletir sobre o significado de bondade foi: ” é a qualidade correspondente a ser bom, ou seja, a qualidade de manifestar satisfatoriamente alguma perfeição, que se pode aplicar a pessoas, coisas e situações”*.  Neste sentido, bondade atrela-se à perfeição: inteireza, integridade, a ser único e ainda assim harmonizado com o Todo. Exemplo: Uma rosa seria considerada boa (= perfeita) se cheirasse a jasmim e desejasse ter as sementes de um girassol?

Mas, assim agimos, desconexos, quando nos punimos sendo quem não somos. E ao mutilarmos partes de nós mesmos, menos perfeitos, menos inteiros, sem bondade alguma conosco. Quantas vezes uma semente de Amor que existe em nós – dentro do coração, claro! –  encontra incompreensão? Restritivos e despóticos em nossas concepções de bondade, logo a rotulamos como má. São aquelas que nos desafiam crenças e dogmas arraigados.  Uma semente de Amor é uma semente de Verdade. E trará a Verdade à tona, do mesmo modo como reagimos a ela: com serenidade, se fluímos. Com espinhos, se resistimos…   E assim foi comigo…

Espelhando minha escolha: a dualidade. Quanto mais tentava ferir a semente Amor incompreendida, mais ferida ficava, com sua pontiaguda proteção. Na minha ilusória classificação de bem e do mal, os espinhos eram ainda piores. Não percebia a sutileza de sua missão, um recurso delicado da Natureza que tentava me mostrar algo desalinhado: eles feriam ilusões, e isto era o suficiente para maldizê-los como o doente que se revolta equivocadamente com a febre, sem consciência de que ela pretendia alertá-lo sobre um desequilíbrio.

Após tanto medo da minha parte, os espinhos e as flores já se cobriam com meu orvalho triste e teimoso de “sangue, suor e lágrimas de lamentos”. Foi aí que uma voz interior questionou: pra que tanta luta? Tem certeza de que a semente é má? De que os brotos e seus espinhos são maus? Você é má?

Aquilo me fez sorrir, enternecida, e lágrimas de misericórdia verteram. Sobre mim, na semente que crescia, a despeito da minha hostilidade, e até pelos espinhos. Abdiquei do julgamento e da vitimização. Mais consciente e menos reativa, com mais bondade, compreendi que: “Qualquer luta é travada contra mim mesma***”.

Que eu era a semente, a flor, os brotos, o perfume e até mesmo seus espinhos. Pela primeira vez, não reagi mais, deixei que fluíssem e se ramificassem – sem resistências. Renunciei àquela batalha. As flores se alinharam felizes à decisão, injetando uma misteriosa seiva: um bálsamo cicatrizante, através dos espinhos cravados que me curaram de ilusões e me tornaram mais íntegra. E só foram absorvidos pela haste, após transmitirem sua lição. Pouco a pouco, as flores surgiram sem espinho algum.

Por causa disto, os polinizadores vindos de outros corações floridos conseguiram pousar também no meu coração: as abelhinhas resgataram o zelo e a doçura.  As borboletas, metamorfoses e leveza.  Os passarinhos, canções de liberdade. Trocando informações, tecendo teias de energia, e criando vínculos multidimensionais, perfumados e coloridos pelo Amor. Não me senti mais só, nem ferida.  Apenas abençoada e agradecida por integrar este Jardim cristalino que é a Terra. Apenas mais inteira e louvando pela perfeição na singularidade que encontro nos outros seres. Nesta Primavera, desejo que você seja bom consigo mesmo, não se esquecendo do que você verdadeiramente é: LUZ!

* Wikipedia.

*** Lei da Unidade – Codex: “Sendo que tudo parte da mesma Fonte e tudo é Um, não há contra o que se lutar. Qualquer tipo de luta é sempre contra si mesmo, em qualquer nível e qualquer dimensão.”

12 Comments
  1. Sempre travamos lutas conosco… que bom entender que essa luta não faz sentido, e deixar de resistir e seguir abençoando cada situação e aprendendo a Ser Luz!…. gratidão por esse compartilhamento de suas vivências.. que também relembra as nossas… Somos um.

  2. Perfeito, amada irmã….

    “… os polinizadores vindos de outros corações floridos conseguiram pousar também no meu coração: as abelhinhas resgataram o zelo e a doçura. As borboletas, metamorfoses e leveza. Os passarinhos, canções de liberdade. Trocando informações, tecendo teias de energia, e criando vínculos multidimensionais, perfumados e coloridos pelo Amor. Não me senti mais só, nem ferida. Apenas abençoada e agradecida por integrar este Jardim cristalino que é a Terra. Apenas mais inteira e louvando pela perfeição na singularidade que encontro nos outros seres. Nesta Primavera, desejo que você seja bom consigo mesmo, não se esquecendo do que você verdadeiramente é: LUZ! ”

    Seguindo na construção de dias melhores…. de dentro prá fora e na frequência mais abençoada que nos permite “enxergar” além.

    Gratidão! <3

  3. Lindo depoimento, querida! A serenidade que a bondade para conosco proporciona é que nos permite ter clareza e acertividade nas nossas ações. Primavera total em sua vida! Beijos

    • Reply
      Claudia Sampaio 19/09/2014 at 8:08 PM

      Ah minha Querida, agradeço este carinho. E sei que esta é a estação na qual você reina, com suas mãozinhas de Anjo para as todas as flores. Uma Primavera muito muito linda pra você. Beijos.

  4. Reply
    Maria Aparecida Basso 20/09/2014 at 9:18 AM

    Claudinha querida ,sabemos o quanto é difícil as batalhas que travamos conosco,e o quanto somos cabeça dura até entendermos que toda batalha que travamos é contra nós mesmos .Então vc nos brinda com a sua experiência nos mostrando o encanto e a magia que existe quando nos abrimos para o AMOR ,A BONDADE E A LUZ que todos temos ,afinal somos todos um e partimos da mesma fonte !!!
    GRATIDÃO!SEJA LUZ !

  5. Fez -me muito bem começar meu dia lendo essas delícias que refrescam o espírito ..acalmam muito… e ainda mais quando estamos meio exaustas de tantas outras coisas…obrigada por proporcionarem um dia mais levinho !!

    • Reply
      Claudia Sampaio 22/09/2014 at 3:48 PM

      Gratidão, Celia por suas palavras. Espero que esta leveza se torne uma presença constante na sua Primavera.

  6. Reply
    Gustavo Andriewiski 22/09/2014 at 3:33 AM

    Adorei seu texto! Adorei a profundidade e a beleza com que você expressou limitações que todos nós carregamos enquanto insistimos em nos manter resistentes, julgando os fatos que se apresentam em nossas vidas. Luz pra você!

    • Reply
      Claudia Sampaio 22/09/2014 at 3:52 PM

      Gustavo, que lindeza, que bênção! Gratidão. Que a Primavera seja muito abençoada pra vc e sua família linda. Luz pra ti.

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Unaversidade