Perdão é uma decisão, não um sentimento

Perdoe. O perdão gera consciência. O exercício da consciência (“separa a ilusão da verdade”*) gera paz. Passamos o último Ciclo, almejando termos mais consciência para só então, perdoarmos as pessoas. Inverta este processo. Simplifique.

Dê o primeiro passo, perdoe. O perdão é ação efetiva.

Por mais desafiadora que seja a convivência ou a lembrança de uma individualização – a verdade é que ela partiu da Fonte tanto quanto você.

“Somos um e o mesmo” diz o Codex – e todos os Avatares de Luz do Velho Ciclo também, mesmo que a gente tenha passado milênios torcendo o nariz para esta máxima, ela é verdadeira.

Toda a vez que não perdoa ‘o outro’, encarcera, cria um confinamento para si mesmo. Quando se é humilde e exerce a Misericórdia é possível se enxergar no outro, ‘o outro’ é você mesmo. Literalmente, você se expande, cresce, liberta já que é um com tudo e todos – com quem se reconcilia.

Por menos provável que lhe pareça, naquele momento, a pessoa – ou você mesmo estava fazendo o melhor que poderia segundo o próprio nível de conhecimento e consciência. Este nível não é estático. Por isto, não se compare nem consigo mesmo, já que é um ser em constante transformação e modificação – como todos e tudo o mais no Universo.

Não é à toa, que não julgar, ser humilde, não fazer nada contra a Lei do Amor, não resistir, quatro premissas precedem o ‘não fazer nada contra a Lei da Misericórdia’. Estas premissas são facilitadoras do perdão. Quanto mais aplicá-las, mais fácil será perdoar.

Cancele e esqueça O VÍNCULO em relação à situação, isto é perdão para o Codex.

Quer dizer, entre outras coisas, que a situação não servirá de pretexto para a próxima discussão, que não será usada como gatilho de acusação eterna. Remova esta munição. Com isto aprendemos a viver o Agora, a tornar nossa presença uma bênção e não uma prisão.

Perceba que a ênfase está no conceito de vínculo. Você pode se lembrar da situação. Talvez, tenha que trabalhar muito o alinhamento energético no quarto corpo (memórias) para se sentir melhor. É é mais produtivo realizá-lo dentro do Espaço do Coração. Mas, o perdão só é efetuado quando o VÍNCULO é cancelado e esquecido.

As lutas desgastantes cessam quando não nos perdemos na dualidade, nas divisões, nas fragmentações.  O perdão da situação resgata a noção da Unidade, e assim “negando a ilusão e se rendendo à Verdade”, experienciamos a tão almejada paz.

Perdoar é a decisão que seu coração sempre sussurra.

Já dizia Cora Coralina: “o mais importante é o decidir”. Decida-se.

Seja Luz.

SÁBADO, DIA 22 DE OUTUBRO, ÀS 15:00 HORAS, TEM ESTUDO DO CODEX ONLINE VIA YOUTUBE! ACESSE O CANAL ERA DE CRISTAL E ACOMPANHE.

2 Comments
  1. Parabéns Claudia, uma bela reflexão, para ser usada sem moderação, para as mais diversas situações que passamos. Gratidão. ” Toda a vez que não perdoa ‘o outro’, encarcera, cria um confinamento para si mesmo. Quando se é humilde e exerce a Misericórdia é possível se enxergar no outro, ‘o outro’ é você mesmo. Literalmente, você se expande, cresce, liberta já que é um com tudo e todos – com quem se reconcilia.” Perfeito!

  2. O perdoar trás mais para si do que para o outro, e o não perdoar tira mais de si do que do outro.

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Unaversidade