Os sete mergulhos

Foto de Amy M2012

Foto do usuário Amy – M2012 – no Flickr

Conta-se que no Tibete, região fria por demais, cada recém-nascido era, assim que saia da barriga materna, submetido a um teste de vida ou morte: era mergulhado numa tina de água com a temperatura da neve dos picos tibetanos.

Mas o processo não se restringia a isso; não era apenas um mergulho, eram sete!

A princípio, isso pode parecer aos “politicamente corretos ocidentais do Novo Mundo” uma sessão de tortura e duvido que, mesmo entendendo a causa, algum de nós, em sã consciência, permitiria que isso fosse feito ao seu próprio filho; porém, para eles, fazia todo o sentido, uma vez que, mergulho por mergulho, os pulmões se abriam cada vez mais e se, no final de tudo, aquele pequenino ser sobrevivesse, todos na aldeia tinham certeza de que seria abençoado, saudável e próspero; aclimatado e merecedor do dom da vida; parte do meio ambiente que com seu clima terrível não favorecia aos mais fracos.

Nós, nessa caminhada de mudança de Ciclo, estamos passando por algo parecido.

Quanto medo cada um desses mergulhos pode trazer, não?

E quantos de nós fugimos – pois temos pernas para correr, diferente dos recém-nascidos – na segunda tentativa?

O certo é que todos aqueles que escolheram evoluir, individualmente, passam pelas mais curiosas provas.

Seu mergulho pode ser familiar, de saúde, no âmbito dos relacionamentos; oriundo da confusão mental que os novos padrões provocam, financeiro, filosófico, energético, etc, etc, etc… Ou tudo isso, um a um, numa sequência que enlouqueceria até a Jó, o paciente servo do Altíssimo, personagem da história judaico-cristã, a quem provaram e provocaram até que…

Até que nada!

Nosso recém-nascido sobrevivente e Jó têm tudo em comum: vida e vida plena, abundante, com propósito. Parece até que podemos ouvir os dois pedindo: “- Só mais um mergulho, agora que já passei por sete… Só mais uma prova, agora que sei que passo com folga e fé por isso!”

Cada vez mais fortes e seguros, ambos continuam com o objetivo de passar pelas provas, pelos testes, pelos mergulhos. Se choram? E como! E será que se lamentam?

Não dá tempo de pensar em nada, a não ser em respirar o próximo quinhão de ar fresco, certos de que nada mais, em tempo algum, será tão difícil quanto a experiência do momento, a qual se torna o mestre mais valioso que poderiam encontrar.

Porque a prova é inevitável, podemos escolher o que sentir durante o teste; no instante em que nos conscientizamos de que não há meio de se modificar o externo, contamos com a luz do potencial interno que se prepara para dar o melhor de nós mesmos para saírmos disso, o quanto antes.

Então, são duas chaves: a consciência da prova e a certeza de que estamos à altura do desafio, ou pensando bem, não faz mesmo o menor sentido continuarmos vestindo um corpo e ocupando espaço; dito desse jeito, soa um pouco cruel, mas vá lá… analise o tanto de gente que luta por apenas mais um dia de vida e coloque-se a postos para quantos mergulhos forem necessários.

Quantos são?

Para os tibetanos eram somente os sete dos primeiros minutos de vida. Nunca mais um habitante daquela aldeia seria provado, porque depois daquilo, estava mais do que claro que deveria ser respeitado. Com Jó, foi a mesma coisa: testes e mais testes, e uma vida longa e feliz, refeita, plena.

Supondo, por isso, que estamos passando pelos mergulhos – figuradamente – é melhor que fiquemos firmes e permaneçamos no local. Não corra, não fuja, não empurre sua tina para os outros, o que não é nada difícil de acontecer.

Isso no nosso caso e quanto aos outros, os que vemos sendo mergulhados, pare de sentir pena. A solidariedade de que todos precisam ao passar pelas provas não se chama “dó”. Fique de braços abertos e toalhas em punhos, pronto para ampara-los quando acabarem seu próprio processo e entenda que isso é individual, não dá para fazer pelo outro, por mais que queiramos trocar de lugar com os nossos entes queridos.

Enquanto isso, tratemos nosso pseudo “algoz”, qualquer que seja, com a confiança que merece, chame-se ele câncer, vício, divórcio, luto ou desemprego.

Depois do sétimo mergulho, você terá a exata percepção de quem verdadeiramente é e estará pronto para testemunhar que a água gelada levou embora seu ego e suas ilusórias necessidades que nem eram importantes; de tanto que chorou e gritou seus pulmões podem respirar mais e melhor; sua vontade de viver é maior do que qualquer circunstância externa e principalmente: você é digno de pertencer a essa existência, o que poderá repetir incessantemente, com o sorriso de um verdadeiro vencedor.

Seja Luz!

21 Comments
  1. Reply
    Ruth Zappa Nassif 13/08/2013 at 3:24 PM

    Que Lindo… E real , somos testados contantemente em “N” situações de vida , mas o caminho é individual e cada um deve ter a coragem para proseguir e vencer todos seus medos e quando isto ocorrer encontraremos a Real felicidade !!! Seja Luz !

  2. Nossa quanta Luz, chorando de gratidão! Que venham quantos banhos forem necessários, para chegar aonde devemos e conosco mesmos. Gratidão…coração transbordando! ((((((( <3 )))))))

  3. muita gratidão por cada banho gelado que a vida nos dá! muita luz para sair desse banho com coração todo iluminado!!!!!

  4. Gratidão, Alê querida! Nosso primeiro mergulho é na carne, reencarnando, e o resto, bueno, é resto! Vamos mergulhando vida a fora, até tomarmos consciência que somos consciência pura! Abração de LUZ!

  5. Reply
    Tanita Campos Treadwell 13/08/2013 at 6:28 PM

    Fiquei realmente emocionada, Alê! Estou sentindo, principalmente nos últimos anos, a profundidade e a duração de cada “mergulho” e posso dizer que não é fácil … Mas quem disse que seria? O importante é a consciência de que, após cada mergulho, nos tornamos mais fortes, mais preparados para o próximo! E que venham, porque SOMOS LUZ!

  6. Reply
    Márcia Ramos Rodrigues da Cruz 13/08/2013 at 7:05 PM

    Alê certa vez em um dos nossos encontros você trouxe essa mensagem “Os Sete Mergulhos”, em função de um comentário que fiz sobre as minhas “aflições”. No momento, de forma bem superficial, refleti sobre o quanto tinha a ver comigo. Mas, nada melhor que o tempo, hoje lendo novamente consigo perfeitamente me enxergar nesse processo. Quantos mergulhos faltam? Realmente não sei, mas sei que a cada um me sinto mais fortalecida e capaz. E fico feliz em saber que você estará de braços abertos e toalhas em punho me esperando. Em breve nos veremos. Gratidão

  7. Reply
    Geraldo Rodrigues Bittenourt 13/08/2013 at 7:08 PM

    Uma choradinha, bem quietinha, mas com muito amor! Vlw.

  8. Reply
    Maria Aparecida Basso 13/08/2013 at 9:13 PM

    Mais uma vez quando eu mais preciso vem a resposta ,gratidão sempre ERA DE CRISTAL ,com muito amor e LUZ a todos vcs bjs no coração.

  9. Reply
    Neusa Maria Bizarro 13/08/2013 at 9:32 PM

    Grata pela mensagem. Somos testados todos os dias,cada mergulho é um sofrimento.Não é nada facil mergulhar,mas ao retornar a superfície respiramos aliviados com sentimento de gratidão a vida.E assim vamos aprendendo a mergulhar e agradecendo a cada minuto de mergulho, até tomarmos consciência que somos pura LUZ. Nós Somos LUZ LUZ SEMPRE Bjs

  10. Não temos tempo para chorar! Vamos usá-lo para viver! E a beleza está no caminho…desfrutar cada passo nos faz ver, sentir, descobrir o Deus que há em cada um de nós. Verdade, Justiça, Amor e Harmonia para todos 🙂

  11. Reply
    Adriana Fagundes 13/08/2013 at 11:06 PM

    Muito tempo lendo textos sobre ascensão e testando cada uma das ferramentas, sempre me questionava se estava no caminho, se meu esforço era suficiente, se estava me dedicando tanto quanto necessario, até se merecia receber tudo o que era “prometido”. Olhava pra mim e para as pessoas ao meu redor, e via que enquanto sofria, me sentia sozinha e tudo ruia na minha vida, os demais continuavam suas vidas trabalhando, ganhando dinheiro, viajando, se divertindo, amando, comprando e gargalhando, pensava: “Será que não estou ficando maluca me dedicando a algo que nem se quer consigo ver e tocar? Será que estas pessoas é que estão certas e eu é que estou viajando na empada? Não estou vendo nenhum benefício nisso, porque continuo nisso?” Mas algo dentro de mim me dizia para persistir, que eu ia sair do outro lado e que as comportas da graça abrissem, tudo que eu almejava seria colovado à minha frente. São textos como este que me acalentam, por me mostrar que todo meu esforço não foi e não é em vão. Consigo até já vislumbrar que as bênçãos estão já na minha frente, na distância de um braço, só falta agora firmar mais um pouquinho o meu amor incondicional por mim, o que na verdade, é a finalidade de todo trabalho. Já estou quase lá, a um braço da Verdade e tudo que vier depois é consequencia! Alegrias indescritiveis! Gratidão a todos, deste plano ou não, conhecidos e desconhecidos, que me ajudaram, apoiaram e protegeram durante a jornada. Beijossss no coração.

  12. Nos perdoe, mas precisamos responder a isso. Justamente, completamente alinhado com a verdade. Seu depoimento nos representa. Gratidão, gratidão, gratidão. Seja Luz!

  13. Que lindo – e divinamente inspirado – texto !!!!
    O melhor de tudo isso é que estamos juntos e, realmente, tudo, tudo, tudo fica mais fácil!
    Agradeço com todo meu amor!

  14. Que maravilha reconhecermos em cada “mergulho” um re-nascimento, como seres mais conscientes e mais fortalecidos.
    Sou muito grata por tudo o que o Era de Cristal trouxe à minha vida.
    Beijos de Luz à Alê e equipe e a todos os membros que sintonizados na busca reconhecemos a nossa LUZ!

  15. Que maravilha! Textos assim sao tao importantes. Me lembram que estou no caminho… Desenvolvendo o meu potencial infinito. Mergulhos tem sido muitos: saude, adaptacao a esse novo ciclo e re-adaptacao a ‘novas’ terras. Nos ultimos meses ando germinando, caladinha, quietinha e principalmente praticando auto-compassion e amor incondicional comigo mesma. Finalmente percebo que sem isso nao consiguirei praticar ‘la fora’ pois o ‘aqui dentro’ ainda precisa de alguns cuidados. Com muita paciencia e amor todos descobrirao a luz que ja sao!

    Gratidao imensa ao grupo Era de Cristal. E que venham mais mergulhos…

    Bjs no coracao ☺

  16. Reply
    Maria Emilia Nunes Oliveira 14/08/2013 at 10:20 AM

    MEC- Movimento Era de Cristal- ou Movimento Espaço do Coração.
    E o que sinto lendo este e todos os artigos enviados por vocês. Uma união da mente, palavra e coração. Sintonia total. ………….. Mais uma vez, parabéns!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  17. Que artigo inspirador! Parabéns!

  18. Que lindo artigo, tão centrado e lúcido, palavras de grande sabedoria colocadas com maestria. No processo de superar o obstáculo está o crescimento, ele serve para isto mesmo, forja a força. A gente chora de dor sim, mas a vontade de continuar é muito maior. Grata grata, amor e luz!

  19. Reply
    carolina amelia de assis 24/05/2014 at 9:43 PM

    Olá! primeira vez que visito o site e me deparo com textos que se encaixaram como peças que faltavam para muitos questionamentos e através de um compartilhamento tomei conhecimento do site estou maravilhada com o conteúdo, parabéns e gratidão. Grande abraço!

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Unaversidade