O questionável mundo da Realidade

Ponto_de_interroga_oDepois da Transição — terceira semana de dezembro de 2012 à terceira semana de fevereiro de 2013 — a primeira pista de consolidação do Novo Ciclo era o rompimento do véu. Nos níveis pessoais, isto já estava acontecendo mesmo antes que a ativação da Kundalini começasse; estava mais fácil de perceber o que servia, ou não, às nossas vidas e o que se manteve depois, ficou porque não estava resolvido, aprendido, compreendido. Porém, nos círculos maiores que contém nossa existência na terceira dimensão, como a sociedade, a cultura, a política, a educação, a filosofia, a religião, a economia, e o próprio corpo planetário, o rompimento do véu parecia um plano distante e quase impossível. Sair do contexto, pensar amplamente, refazer os trajetos científicos e principalmente, achar novas perguntas, mais adequadas ao caminho da evolução — e tudo isso, globalmente — não poderia, aparentemente, acontecer, sem que algo muito extraordinário ocorresse. O extraordinário, contudo, é amigo da Verdade. A Realidade conta com tudo, menos com o mundo interno de cada individualização. Não há em seu plano estratégico de conquista, um manual de conduta que preveja alternativas para o que sentimos. E foi por isso, que de alguma maneira, alguns dos paradigmas mundiais mais importantes começaram a ser questionados. Sentimos, nas vísceras, a vontade de perguntar:

  • “Quanto vale nossa privacidade?”
  • “Por que estamos sujeitos a esse regime?”
  • “Esta tragédia ambiental tem que ser resolvida por quem a provocou, ou somos co-responsáveis?”
  • “Vinte centavos fazem, ou não, diferença?”
  • “Precisamos manter os mesmos combinados de antes, entre países, governos, projetos e corporações?”
  • “Darwin estava certo?”
  • “Um Papa humanista destruiria a estrutura eclesiástica?”
  • “Buracos negros existem?”

Cada uma dessa perguntas foi, ou está sendo respondida enquanto o buraco do véu da Realidade esgarça mais e mais. E o que é Realidade? O Codex explica:

7. A Lei da Realidade A realidade, apesar de poder ser aceita e compartilhada, é um conceito individual. Ela existe na mente de quem a formou e não depende de uma determinada dimensão. Isto vale para a terceira, para a quinta, para a vigésima quarta dimensão. Não existe um consenso relacionado à realidade. Em primeiro lugar, a realidade é apenas um conceito na mente de quem a formou. Muitos dos seres que formam a realidade têm um poder grande de convencimento e passam este conceito pelas gerações, que a entendem como algo real. Uma coisa, por ser material, não significa que seja real, no sentido de existir. Este é um conceito bastante avançado e vai demandar certa experiência na quinta dimensão para verem o contraste disso, frente às coisas que se desmancham, mesmo se achando que eram reais. Os seres deste plano e desta dimensão fazem uma confusão básica entre realidade e verdade. São dois conceitos diferenciados. Falaremos sobre cada um deles no decorrer das Leis. O fato de não concordarem com um conceito, ou com outro, significa apenas que ele não está exatamente traduzido para o que entendem em relação à terceira dimensão. Porém, nas Leis Universais, a realidade só existe na mente de quem a criou e não depende de nenhuma dimensão.

Mais uma vez, alerto quanto à necessidade de pensarmos nas perguntas. A ciência é feita de perguntas… a iluminação também! Se estamos atrás de respostas, caímos nas garras da doce conversa da Realidade, pois ela nos aponta o confortável caminho do “se você vê, existe”, enquanto que, quando focamos nas perguntas, somos obrigados a pensar em algo que ainda não se materializou na dimensão como consenso comum e provavelmente, está mais ligado à Verdade. “Provavelmente”… É importante ter isso em mente… Mesmo uma excelente pergunta pode trazer uma resposta fácil, torcida, adequada, estratégica, ideal para o sistema.

Talvez, tudo se resuma a uma pegadinha cósmica… Tem um dado que está sendo menosprezado, enquanto tentamos resolver o problema da “Vida, do Universo e de tudo mais”, como sugeriu Adam Douglas, na série de livros O Guia do Mochileiro das Galáxias. A continuação da explicação da Lei da Realidade fornece a pista:

Assim, e por tudo isto, a realidade só pode ser fixada como conceito de realidade, se tiver uma base de criação dentro da mente do indivíduo que possibilite que ela seja compreendida como realidade. Se querem avançar no processo de verificar outras coisas que existem além das que conseguem tocar, ver, ouvir ou cheirar, têm que formar essa dimensão em suas mentes.

Perceberam que, se não tiver um base dentro da minha mente, onde caiba o conceito que a Realidade propõe, a própria premissa desmorona?

Queridos amigos e leitores, essa chave é inestimável! O Codex aponta uma direção onde esvaziar da mente o que não nos serve e construir apenas o que queremos vivenciar, transforma, modifica, possibilita o aparecimento de uma nova realidade.

Agora, o passo final nessa nossa linha de pensamento… Se Realidade não corresponde, necessariamente à Verdade, porém, tem existência, forma, materialidade e constatação, poderia ela, nos servir? Sim? Não? Por que não podemos trazer para a Realidade toda a Verdade? O que os impede de fazer daqui, ou de onde quer que estejamos, o plano ideal para o nosso desenvolvimento?

Quando Buda disse que “tudo era ilusão”, confirmava que tudo ao nosso redor poderia esvanecer, o que não nos impede de deduzir que, mesmo assim, a Verdade permanece além da ilusão e com o desaparecimento de uma, resta apenas a outra…

Seja Luz!

Para saber sobre:

15 Comments
  1. “O que os impede de fazer daqui, ou de onde quer que estejamos, o plano ideal para o nosso desenvolvimento?” Muitas vezes o medo nos impede de fazer o melhor…. por isso mesmo aqui no sempre lembramos, longe do medo e perto do amor… dessa forma estaremos mudando nossa realidade e mais próximos da verdade..As ferramentas estão ao nosso alcance…mas queremos usa-la?? Isso só nós mesmos poderemos responder… mais reflexão….e ação!! grata Alê

  2. Reply
    Elaine Fernandes 30/01/2014 at 10:26 AM

    Talvez a nossa realidade seja um termômetro que mensura como estamos em relação à Verdade.

  3. O CODEX nos dá a chave para abrirmos a porta, é preciso coragem para girar a fechadura e abrir. O que iremos encontrar?
    O Medo do desconhecido, é parecido como comer algo que nunca se comeu e se tem medo do gosto que vai ter.
    Como diz a Zeneide, se o Amor é a perfeição e não existe o mal, Longe do Medo perto do Amor. O que está se esperando para ir ao encontro dessas premissas e gerar ondas de novas frequências, dentro, fora, em cima, em baixo?

    Maravilhoso Alê, bebendo da sua sabedoria! Beijos!

  4. Texto fantástico Ale Barello, vale lembrar que, basta simplesmente seguir o coração, estar disponível e fazer tudo, ao próximo e a si mesmo, com muito amor.

    Seja Luz!

    Grato. 🙂

  5. Reply
    Valéria de Carvalho Pereira 30/01/2014 at 11:04 AM

    Grata Alê! Descortinando ainda mais nossas possibilidades. No meu caso, reconheço, pelo que aprendi, a minha potencialidade. Mas ainda não consegui sair do meu autoconceito de pequenez…rs Mas tenho me empenhado estando alerta para todas as possibilidades de vivencia plenamente a verdade em realidade. Bjo no teu coração!

  6. Maravilha de texto, Alê querida!
    Entendo que verdade, seja nosso sentimento amoroso em relação a todos e a tudo! É o resumo de tudo! Basta que espalhemos amor, e estaremos em VERDADE!!! Abração de luz! a todos!

  7. Muito grata! depois que descobri que o que é real ,na verdade é bem diferente de tudo que vivenos nessa realidade ,me sinto muito feliz de viver na mais plena verdade ,depois de anos de luta interior, ,e me aprimorando a cada dia. bom ver que muitas pessoas tambem estão vivendo essa realidade. já ñ me sinto só. bjs a todos com amor!

  8. Muitas perguntas nos deixam com duvidas ,mas eu tenho minhas certezas qto a vivencia atual..E dificil conviver com nossa realidade e a ilusao de outros , o povo continua querendo viver nas crencas criadas pelo Cristianismo ,pela Igreja ,e tudo que falamos ,se torna louca ou invencao. Nestas duas semanas um pensamento sempre volta na minha mente ,da existencia dos seres extra terrestres que nos somos. Quantas linguagens e escritas temos na Terra ..mais uma pergunta para comprovar nossas teorias.

  9. grata Alê! Este é o trabalho amoroso a seguir: – Com oque me identifico, oque tem significado no meu Ser e oque busco, e então fica “tudo” mais leve e luminoso, intensa e tranquila amorosidade da Verdade. Mas antes!!! sim foi atravessado lá trás, o medo com a Coragem de buscar a Paz no Amor e Luz.

  10. Gratidão pelos textos, gratidão por não estar só nesta busca pela minha verdade, pelo meu verdadeiro ser
    Criar coragem para a verdade tem sido um exercício diário, já que fui criada em um ambiente de medo e culpa. O trabalho do Era de Cristal tem me ajudado muito neste caminho novo que se abre para o meu ser. Sei que não estou sozinha nesta jornada!

  11. Reply
    marcelle sampaio 31/01/2014 at 2:29 PM

    Excelente, inspirado e inspirador esse texto! Dentro desse contexto de pensamento, tenho pesquisado a chamada nova ciência e encontrado muitas novas saídas para dilemas da velha realidade.No momento tenho me deliciado e apreendido com o físico quântico Amit Goswami e sua proposta de ativismo quântico, onde tenho encontrado muitas perguntas que fazem belas pontes com o Codex. Sim, vejo, sinto, percebo as muitas aberturas do véu! Está claro e nítido à meu ver . Gratidão ao Movimento Era de Cristal por estar no seu propósito! Grande abraço tímico cheio de amor!!!!

  12. Reply
    Lisandra Jardim 02/02/2014 at 9:28 AM

    A Realidade é um conceito individual e existe na mente de cada individualização, isso nos mostra que vivemos na ilusão da separação? Que podemos compartilhar a Realidade mas que no fundo cada um tem sua interpretação dela?
    Por que não podemos trazer para a Realidade toda a Verdade?
    Será por causa dessa ilusão de que somente existimos individualmente e somos separados de todas as outras formas de individualizações.

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Unaversidade