O que te impede de mudar?

Os velhos hábitos são auto-sabotantes.

Você percebe que o indivíduo quer experimentar resultados diferentes, mas ele vive fazendo as mesmas coisas!

O problema é quando essas nossas manias, esses nossos velhos hábitos, começam a prejudicar nossa vida, porque, via de regra, a gente acha que está melhorando, mas muitas vezes, estamos estagnados e nos corrompendo.  Fazer coisas erradas também se tornou um hábito… Algumas ações são feitas no automático, sem a menor consiência envolvida.

Como é que a gente faz para tentar mudar o hábito?

A nossa única chance de mudar um hábito é focando no gatilho, naquilo que nos leva a entrar no modo automático.

Então, por exemplo: você tem o hábito de reclamar nas redes sociais. Alguém posta alguma notícia e você já se lembra de um dado, de um número, de mais casos iguais e dos aterrorizantes. “É o governo, é o partido, é a economia, é o brasileiro, é o mundo, é o ser humano”… Assim por diante.

Você pode tentar parar de reclamar, apenas. Mas é o seu hábito, será difícil… Por que não para de ver notícias? Ou por que não bloqueia posts daquelas pessoas que despertam em você o hábito de reclamar? É mais fácil! Tire o gatilho e o hábito vai perdendo força.

Você tem o hábito de comer mais do precisa. Mude o gatilho: altere o tamanho do talher para servir e o tamanho do prato.

Você tem o hábito de estacionar em vagas para idosos. Mude o gatilho: vá fazer compras a pé, ou de bicicleta.

Você tem o hábito de dormir vendo televisão. Mude o gatilho: tire a televisão do quarto, ou se não estiver no quarto, escolha a cadeira mais dura para sentra-se, até que se acostume a ir para a cama quando o sono bater.

Existem muitas coisas que queremos mudar em nós. Não acredito que alguém se ache 100% perfeito em sua avaliação pessoal.

Você tem a possibilidade de mudar, de crescer e se desenvolver .

Podemos fazer diferente do que estamos fazendo agora e fazer diferente significa, acompanhar um mundo que está em constante mudança; significa inovar, parar de achar que o mundo que tem que mudar, em vez de você; parar para pensar somente nas coisas que estão sob seu controle.

E aqui chegamos num ponto importante: se você pega um Universo inteiro e avalia com base na Verdade, vai descobrir que nada está sob seu controle. Somos totalmente insignificantes no que diz respeito à mecânica do Universo. Pode diminuir o campo de observação! O planeta não depende de você para funcionar; nem o continente, nem o país, nem a cidade, nem seu bairro, nem sua casa. Não, nem sua casa. Sua famíla não vai morrer se voê não lavar a louça, ou deixar de guardar a roupa, ou não tirar o lixo.

A natureza, o entorno, o meio ambiente – chame como quiser – é auto-regulado.

Seu próprio organismo é auto-regulado. Quanto menos atrapalharmos, melhor ele funcionará!

Ficou deprimido com a constatação?

Pois pense nisso como algo libertador! A única coisa que você tem que dar conta de cuidar nessa existência é de sua essência.

Só podemos mudar com certeza absoluta o que existe em nosso mundo interno, composto por sentimentos, pensamentos e vibrações. Quando conseguimos esse feito, o resultado se exterioriza em forma de COMPORTAMENTO.

Não podemos mudar “o mundo”, porém, o nosso comportamento colabora para que ele seja harmônico.

Reflita comigo: todas as coisas das quais não gostamos, ou com as quais não concordamos, partem sempre de uma interferência deslinhada com a auto-regulação do Universo, sob nossa ótica pessoal. Isso é individual, não é consenso.

Ao alinharmos o nosso comportamento ao fluxo universal de perfeito funcionamento – e isso vale para as relações, para o corpo, para o meio-ambiente, etc – colaboramos para a harmonia e para o bem-estar geral.

Ninguém pode mudar os seus hábitos. É por isso que é totamente injusto, no mínimo, culpar alguém pelo que não funciona na sua vida. Acabou o tempo de “Ele é meu karma…”. Esqueça disso e bola prá frente. Responsabilize-se, sujeito!

Invista tempo em mudanças de sentimentos, pensamentos e vibrações. Pense nisso como uma poupança para que o resultado seja um comportamento novo.

O Universo, que não precisa de nós, mas que nos acolhe tão amorosamente, agradece.

Seja Luz!

3 Comments
  1. O hábito que nos habita e que, muitas vezes como hóspede indesejado – ou nocivo, precisa ser despejado! Trabalho constante e consciente! Gratidão!

  2. Em estado estático.

Leave a reply

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Unaversidade