O mundo não está complicado: estamos em época de provas!

testeNão que concordemos totalmente com o sistema pedagógico corrente, mas é através da prova que o corpo docente valida o conhecimento de cada aluno.

Tem aquele que presta atenção e vai mal na hora do teste; tem o outro que estuda, estuda e a matéria não “entra” na cabeça. Tem o que nunca presta atenção, porém, veio de outra escola, ou tem ajuda dos familiares, ou é mais esperto mesmo… tem bases sólidas de conhecimento e vai muito bem, no final.

Prova surpresa, então… Que coisa ruim! Nunca estamos preparados para provas sem aviso, mas elas também acontecem e daí, não adianta nenhum cursinho extra, nenhuma aula particular, nenhuma cola, porque não dá tempo de preparar.

Já para os adultos, “prova” é sinônimo de dor, como em: “Passei por uma prova muito triste com minha família”…

Prova é prova, minha gente! Não tem nada de triste ou de feliz. Nunca é a prova que está fácil ou difícil, é sempre o aluno que está mal preparado, ou completamente seguro, tanto faz se ele sabe quando será o teste, ou se foi pego, como todos os outros, de surpresa, percebem?

Em 2012, explicávamos que toda a humanidade havia validado seu diploma num curso cujo Ciclo durara 13 mil anos.

Longe de estarmos fora do sistema de aprendizagem cósmico, entramos, todos nós, num patamar mais difícil, no qual a responsabilidade é individual, com vistas ao coletivo. Já estamos até “trabalhando”, em programa de estágio para a próxima etapa.

ESTAMOS FORMADOS: não existe um só canto, pelo menos deste planeta, onde não haja — de uma forma ou de outra — um currículo único, baseado no respeito a si mesmo, ao outro e ao Todo, que aí, sim, dependendo da escola pode ter o nome de Natureza, Tupã, Deus, Alá, Fonte, Luz, Grande Mãe e assim por diante.

Sem tutores formais, sem salas de aula quadradas e cobertas, sem material didático obrigatório, estamos em campo. Neste sistema, passamos por experiências e nos autocorrigimos; aqui, é o aluno que avalia sua performance e atribui sua nota. Nosso orientador tem o nome de Essência e a coisa toda é tão perfeita que cada um tem um!

E agora, eu pergunto: como vai indo seu processo de estágio?

  • Como estão suas notas?
  • Tem dado conta de sair-se bem nas provas surpresas, ou anda recorrendo à metodologia do Ciclo anterior, quem sabe, com saudades de ter um professor ao seu lado, que pegava em sua mão enquanto você aprendia a grafar Amor, Solidariedade, Respeito, Tolerância e Não-julgamento?
  • Quer ficar de “castigo” sem sair para o recreio, porque está fazendo bullying com o coleguinha? Quer dar um tempo na sala do Diretor, enquanto escuta um sermão?
  • Quer ser perdoado e ter mais uma chance? Quer que abonem suas faltas porque você simplesmente se recusa a olhar o conteúdo do dia e está na folga com um fone de ouvido, vendo a última coisa fútil da rede social, enquanto seu grupo de trabalho já está na ralação?

Bem, amigos de estágio; nada disso vai acontecer. Não tem castigo, não tem bronca e não tem ajuda, também.

Já sabemos o que fazer, como fazer, quando fazer e porque fazer.

A responsabilidade curricular é de cada individualização e assim, cada um se autopromove, ou se autoretarda.

Sugiro que, como eu, faça sua autoavaliação e a entregue na Secretaria do Espaço do Coração. Seu Orientador entrará em ação e suas atividades práticas serão reprogramadas.

Se acha que está demais, sinalize: férias são permitidas… e o período será compensado com atividades complementares quando você retornar.

Se acha que pode mais, peça tarefas extra: todos os proativos são beneficiados com dispensa de créditos.

Agora, lembre-se sempre: desistências não são permitidas e o estágio, apenas começou…

Bom trabalho!

1 Comment
  1. Reply
    maria aparecida basso 18/11/2015 at 3:49 PM

    Nossa Ale,melhor explicação impossivel.
    Chega de mimimi e mãos ao trabalho.
    Somos todos um,partimos da mesma fonte.SEJA LUZ!

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Unaversidade