O jeito certo de entender a Alegria

Num Ciclo cheio de novos paradigmas, o conceito “alegria” é um dos que mais trazem desafios, junto com felicidade, paz, harmonia e até mesmo Amor.

Veja o caso desse grupo de músicos que trabalha para a alegria alheia: tocam para que os passantes se encham de música e poesia, para alegrar o dia de quem os encontra, tão rapidamente.

E olhe o que aconteceu! No vídeo acima, quem tornou o outro feliz?

Sempre imaginamos que é algo externo que nos faz ter a sensação de bem-estar. Pelo menos, o que vem de fora é prova concreta de que o entorno nos afeta. Não percebemos como a chama da alegria se acende em nosso peito, como ela vira combustão, por isso, é mais fácil entender que é de fora.

Mas e se for ao contrário?

Vamos lá: sabe aquele seu amigo de redes sociais que posta sempre as melhores piadas, os memes mais engraçados, as histórias  surpreendentemente felizes que te fazem abrir um sorrisão no ambiente lotado do ônibus matinal? Ou aquele outro que nas festas e reuniões sociais sempre aparece com a playlist mais descolada e alto-astral e as palavras corretas para tirar você do nível de preocupação cotidiano?

Esses dois seres do exemplo não são os seus vetores de alegria.

Ao contrário, você é a alegria deles!

Pense: cada vez que, conscientemente, provocamos um sentimento de bem-estar no outro, o fazemos por nós. É o nosso prazer interno que se multiplica ao ver que o outro sorriu, gargalhou, chorou de emoção, pensou profundamente em um conceito, ou mudou de direção para viver melhor.

Somos “viciados” na Luz e não poderia ser diferente. Somos a experiência da Luz em movimento, personificados e formados para vivenciar o Amor em todas as suas formas, cores, tamanhos, medidas e situações.

Você não é engraçado? Não sabe contar piadas? Tudo bem, mas como é que se sente ao preparar um prato que alguém de sua família adora? Como fica seu coração quando parabeniza um colega por uma conquista? É a música do show que te fez dançar alegremente, ou você fez o cantor se contorcer de alegria? O animal de rua que você abrigou está mais feliz agora, em sua casa, ou é você que está radiante por ter tomado essa atitude?

Daqui para frente, cada vez que se pegar tendo um momento de bem-estar provocado por uma individualização, seja ela planta, bicho, elemento ou gente, perceba a grandeza do ato, agradecendo a oportunidade de fazer o outro feliz. Nosso sentimento é reflexo da alegria que o outro recebeu.

Nada mais “causa e efeito” do que isso.

Seja Luz!

2 Comments
  1. Alexandra, uauuu..quanta inspiração neste texto, eu simplesmente adorei…”Nosso sentimento é reflexo da alegria que o outro recebeu.” Somos um e o mesmo! <3

  2. Oh!!!me mostrou o outro lado e..sim! é isso!Grataaaaa!!

Leave a reply

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Unaversidade