O desperto e a bolha temporal

bolha temporalA pergunta se repete:

Como pode tudo continuar do mesmo jeito? Como podem os médiuns continuarem incorporando, os “trabalhadores da luz” continuarem batalhando contra as sombras e tudo mais tão característico da dualidade ainda acontecer, quando a transição planetária implica num fim pra tudo isso?

Como pode, cada vez mais intranquilidade e medo refletirem tão intensamente nas mídias e a desconfiança de que um poder oculto governa nossa sociedade com seus interesses escusos ser algo tão palpável, até para aqueles que nunca desconfiaram? Como pode?

A transição já ocorreu.

É uma percepção clara para aqueles mais sensíveis e atentos às manifestações espirituais ou transcendentais à realidade material cotidiana. É também o maior desafio que esses mesmos têm que enfrentar pois, são os mais capazes de, a curto prazo, superarem a ilusão das bolhas temporais.

O que é a bolha temporal?

A Terra, ou a consciência planetária, se encontra, desde o despertar da kundalini do planeta, totalmente estabelecida na 5a dimensão, tendo sido esse o último estágio de um processo que se iniciou há milênios.

O primeiro desafio no estabelecimento da percepção pentadimensional para os seres conscientes do planeta é a dissolução das bolhas temporais.

Imagine-se observando o planeta de fora do tempo…

Perceba que o planeta deixa de ser uma esfera vagando no espaço e passa a ser uma linha, um feixe de luz azul percorrendo o espaço, sendo cada ponto dessa linha um momento temporal diferente existente a todo o momento, no agora.

Cada um dos seres existentes no planeta estão, consciente ou inconscientemente, observando essa linha. A percepção da realidade está atrelada unicamente a que ponto do feixe de luz azul sua consciência se conecta, seja em nível individual ou coletivo.

Isso faz com que o agora seja percebido como individualidades ou coletividades experimentando a realidade através de seus apegos temporais. Esses apegos são como bolhas ou cápsulas, compostas basicamente de energia emocional, que transforma a realidade experimentada em uma manifestação temporal do momento emocional a que ele se conecta e, consequentemente, a tudo que aquilo representa, manifestando, no agora, uma percepção passada assim como uma expectativa futura.

Olhe ao redor e isso ficará mais claro.

Socialmente, vemos vários exemplos de pessoas cegas aos abusos governamentais por apego emocional a uma ideologia, enquanto outros, querem instituir a retomada de um passado de ditadura que, comprovadamente, foi desumano. Constantemente vemos o slogan “retornar à glória do passado, ou aos bons tempos” assim como “construir o país do futuro”. Apelos emocionais incompatíveis com a consciência planetária no agora.

Vemos os amantes de suas crenças religiosas esperarem ansiosamente pelo iminente cumprimento de suas ancestrais profecias apocalípticas e por uma intervenção de tão benevolente divindade, que exterminaria os impuros e salvaria os fiéis.

Vemos espiritualistas de todos as vertentes, certos de que chegou o momento em que todos vão finalmente perceber que tudo que sempre acreditaram e pregaram em suas várias vidas é o correto, incapazes de se desapegarem do passado e vivendo até o último instante suas rotinas terapêuticas, mediúnicas ou qualquer uma das milhares de formas possíveis de conexão com um deus ou um mensageiro que seja externo a ele. Enquanto isso, os deuses e messias, habitantes da linha temporal, pacientemente aguardam que seu discípulos e seguidores compreendam que o que ele foi ou será não mais importa e sim o que todos são, no agora.

Tal é o tamanho da responsabilidade do desperto: praticar efetivamente o tão aclamado desapego. Desapego daquilo que lhe é mais caro, seu passado, suas expectativas, tudo o que foi ou o que será, tudo que existe no mundo da ilusão.

E quando tal prática for plena, a bolha se desfará e o desperto, pela primeira vez, vislumbrará a manifestação perfeita de sua existência no único lugar possível de verdadeiramente existir, o agora.

Luz!

4 Comments
  1. Ainda nao sei como a isso fazer… ainda e tao dolorido. Talvez seja a inseguranca do que vira depois, do que nao sei como e e que nos tornaria ( nas concepcoes atuais…) tao vulneraveis. Racionalmente entendo perfeitamente o que tudo isso quer dizer… mas o sentir…ah o sentir… este me torna crianca novamente.

  2. Maravilhosa Explanação do Nosso Despertar , adorei Gustavo , como sempre vc nos ajuda a intensificar nossas certezas de nosso papel na 5 dimensão !

  3. Reply
    Maria lucia galgani 10/03/2016 at 2:42 PM

    Maravilhoso…veio de encontro ao que falei a semana passada sobre o ritual da umbanda que fui assistir…..eu vi em outra dimensão simultaneamente acontecendo tudo diferente…ai comentei com ele que tudo que vi aqui na umbanda foi um teatro….porque na outra dimensão tudo era diferente….ai achei essa explanação que bateu com o que penso..QUE BOM.BJOS A TODOS

  4. Vejo como agravante o fato de que tenho que viver no agora com modo de ver diferente do entorno e ter o cuidado de não afrontar os que ainda estão no passado/futuro.

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Unaversidade