Um mundo em luta

manisfestoTensão, agitação, brados.

Posicionamento, escolha, opinião.

Estamos participando de um momento de convulsão planetária. Não que ela nunca tenha existido: pelo contrário, parece estar diminuindo no curso do tempo, mas agora, somos nós os coadjuvantes; não lemos nos livros de história que algo foi feito, estamos fazendo, cada um de nós.

E não há um dia sequer que um motivo deixe de se apresentar; tanto faz se é pelo aumento ou pela diminuição de algo, por mais ou por menos, por muito ou por pouco e até por por tudo ou por nada, protestamos e reclamamos.

Será que as duas coisas têm o mesmo sentido?

Reclamação vem do latim reclamatione, que designa o ato de “desaprovação manifestada por gritos”, e do verbo reclamare (reclamar) que significa exigir ou reivindicar; protesto vem do latim protestor, que significa, genericamente, declarar em alto e bom som, e do verbo protestare (protestar) cujo sentido etimológico é de afirmar solenemente ou declarar publicamente um fato.
A reclamação é uma ação reivindicativa do que se considera como um direito. *

A análise das duas palavras já nos explica bastante: protestar, reduzindo o conceito é posicionar-se desaprovando; reclamar é reivindicar um direito usurpado.

Juridicamente, tribunais não verificam protestos. Trata-se pura e simplesmente de sua opinião quanto a alguma coisa… Já as reclamações são os objetos dos julgamentos, por exemplo e estas, sem dúvida, são levadas em conta.

Assim, depois de desfeito o nó da compreensão, podemos passar ao termo que parece coligado aos dois vocábulos: luta, pois aqueles que protestam e reclamam, normalmente, têm uma “luta” para empreender.

Acontece que o termo luta vem também do latim lucta, primitivamente luita; “luta, pugna, esforço”, de luctare, “lutar”, originalmente um termo desportivo. Se é desportivo, é também lúdico. A princípio, a luta era uma diversão para medir forças e fazer vencedores, vitoriosos, exemplos de superação.

O Codex é claro quanto ao conceito de luta:

“toda forma de luta é sempre contra si mesmo, em qualquer nível e qualquer dimensão”.

Faz sentido se visto pela origem da palavra. Um atleta não está superando o outro; antes, está sendo o máximo que ele mesmo pode ser.

Este “vencer” que envolve a luta do Codex e da etimologia do vocábulo é pessoal e intransferível, não contra alguém, mas vindo de si e terminando no próprio sujeito.
Ao penetrarmos profundamente no tecido social vemos que ele nunca está separado de nós mesmos. Em primeiro lugar, porque nada existe em separado; depois, porque, justamente pela ligação, nos vemos “protestando, reclamando e lutando” sem consciência nenhuma, levados simplesmente pelo movimento que a energia e a informação geram.

redeÉ como a rede no mar, levada pelas ondas. Se somos a rede? Não, individualmente somos os fios. A sociedade é trama e o mar é pura e simplesmente a energia que, em ondas, representa a informação.

Isso quer dizer que se de um lado “lutamos” pelos “protestos” que nem sempre são nossos, por outro, estamos envolvidos, quer queiramos ou não.

Então, a paz ideal é impossível no contexto da rede. Sempre haverá um protesto, sempre acontecerá uma reclamação. Tem milhões de pessoas neste momento, lutando… Contra si próprios, é bem verdade e talvez não tenham a menor ideia disso.

Contudo, no seu núcleo formado pelos fios, pode haver harmonia.

No centro de cada furo da rede há um depósito de perfeição e você está livre para absorver o quanto quiser.

Quanto mais maleável for, menor resistência oferecerá e apenas movimentando-se contra o fluxo é que a dor pode aparecer.

Como fio da rede, escolha qualquer direção: olhe para o céu e abasteça seu reservatório de pura Luz; olhe para o mar e informe-se, sentindo a energia e percebendo a origem dos fatos; olhe para o centro e busque o poço de perfeição. Olhe para os fios e conte a eles que não precisarão mais lutar quando souberem o quão fortes, plenos e perfeitos são…

Seja Luz!

* reclamação/protesto. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2013. [Consult. 2013-10-22].
Disponível na www: <URL: http://www.infopedia.pt/$reclamacaoprotesto>.
11 Comments
  1. Conhecimento e consciência…. Lei Universal/Codex….uma das primeiras leis, que nos liga a todas as outras.”Olhe para os fios e conte a eles que não precisarão mais lutar quando souberem o quão fortes, plenos e perfeitos são…”

  2. Reply
    neuza maria lima vieira 22/10/2013 at 11:36 AM

    Se nos conscientizamos o mundo á nossa volta e o nosso próprio torna-se mais suave, com menos intensidade de desarmonia por lutas muita das vezes sem nexo.Que tornemo-nos co-criadores do bem , da luz e da harmonia , não lutando e sim buscando serenamente tecer os fios sendo. Assim conheceremos a paz e a vivenciaremos com certeza. O termo LUTA tem que sair do nosso vocabulário diário, ser substituido por SER, melhor e não de lutar por melhorias, conforme falamos e vivenciamos. Boa colocações Alê Barello, para nos ‘enfronharmos” nessas conquistas.Grande abraço e LUZ para expandirmos como tal!!!
    Neuza Lima/ Arcos.MG.

  3. Reply
    Uiara Andriewiski 22/10/2013 at 11:52 AM

    No final de tudo…TODOS SOMOS “UM”

  4. Quatro pontos de uma mesma situação, somos todos eles, mesmo escolhendo uma direção todas as outras vão junto. Gratidão pela lindeza das imagens do texto. Beijos!

  5. Reply
    pedro costa campos 22/10/2013 at 4:43 PM

    Este é o caminho…Sejam LUZ.

  6. Reply
    Alexandre Magno 22/10/2013 at 9:59 PM

    Temos que ir junto vibrando na mesma frequência de AMOR, através dos exercícios nos mantemos alinhados afim de perceber os movimentos, se informando e trocando experiências, Seja LUZ! ^_^

  7. Quanto mais maleável for, menor resistência oferecerá e apenas movimentando-se contra o fluxo é que a dor pode aparecer. gratidão!

  8. Estar desperto é ser congruente. Informação é Luz e Amor é Criação. Consciência revela-se poderosa com Plena atenção e Atitude coerente!
    Gratidão, Alê! Somos Um, Fios da Rede nos movendo na evolução planetária. Somos da Família de Luz, aprendendo a atuar no, com, por Amor, sem resistência!
    _/_

  9. Não oferecer resistência, simplesmente deixar fluir o amor e a luz! Gratidão, Alê querida!

  10. Difícil…especialmente nesse momento…
    Posso fazer isso enquanto estou comigo. Mas quando vejo o movimento…ainda é muito difícil para mim. O que não significa que eu não creia absolutamente que a não resistência é o caminho. Mas vou aprender.

  11. Reply
    Doralice A. Martins 14/02/2014 at 10:46 AM

    Ñ lutes contra o mal, vc o estará reconhecendo!

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Unaversidade