No mundo das sombras

Texto: Gustavo Andriewiski | Ilustração: Gisele Caldas

Ilustração: Gisele Caldas

Ilustração: Gisele Caldas

O mundo das sombras é esse logo aí, na nossa frente.

Nesse mundo a verdade é um desafio que se confunde com mitos de vitória sobre si mesmo em um conto esquecido no tempo.

No mundo das sombras somos como Peter Pan, lutando indefinidamente contra nossa projeção na parede, acreditando que ela é algo diferente de nós mesmos.

É um mundo onde as palavras, as ofertas, os benefícios e malefícios, os prazeres e dores, as trocas, as experiências e tudo mais é vivido pela sombra na parede. É um mundo onde nós, assistindo por milênios nossas sombras sobreviverem dia após dia no sacrifício do que pensamos ser real, nos deixamos levar pelos enredos desses dramas, um após o outro, ansiando por aquele em que o final nos surpreenderá e fara tudo ter sentido.

Tudo nesse mundo é uma projeção.

Tudo nesse mundo é ilusão.

Nesse mundo quem estende a mão pedindo ajuda é a sombra de um ser multidimensional, experimentando uma aspecto temporal de necessidade. A mesma coisa acontece com quem estende a mão em solidariedade.

Atos pensados de caridade onde acreditamos estar fazendo algo por nossos irmãos mais necessitados ou temporariamente impossibilitados, quando estamos principalmente nos satisfazendo, enquanto aliviamos nossa iludida consciência que, cansada de observar sua própria sombra na parede, começa a virar levemente o rosto em auxílio às sombras ao redor.

De inicio não questionamos que alívio é esse e, daí, quando retornamos nossos olhares para nossos pequenos universos projetados na parede, percebemos que a satisfação de antes não existe. Descobrimos que observar nossos dramas de sobrevivência não basta e que, ao viramos o rosto em auxílio às sombras que nos cercam, encontramos mais satisfação e sentido.

Por um tempo não enxergamos ou não entendemos o porquê, até que percebemos que ao olharmos para o lado, ali pelo cantinho do olho penetra um raio de luz. Assim, começamos a lembrar.

Sim, a sombra só existe porque há luz. Agora eu lembro que em um momento virei as costas pra essa fonte de luz e me perdi na ilusão do mundo das sombras.

Cada vez mais nossos olhos se acostumam e nossos rostos se viram no exercício de desapego das nossas vidas ilusórias, ensaiando nas ilusões alheias para que aprendamos o verdadeiro valor da vida no mundo das sombras.

E então começamos a tomar coragem.

Coragem pra virar o rosto.

Coragem para encontrarmos nossa Fonte de Luz e nela, finalmente, nos encontrarmos.

11 Comments
  1. “Assim começamos a lembrar”: sombras projetadas pela Luz; frestas de luz ao redor até a plena Luz! Agradecida!

  2. Sensacionais vocês dois: Gisele e Gustavo. Gratidão, Queridos _/_

  3. Maravilhosa reflexão Gustavo…Quando viramos as costas para a Fonte com certeza nos perdemos… porém neste agora podemos escolher com coragem reencontrar a Fonte de Luz e nela, finalmente, nos encontrarmos.Gratidão!

    • Reply
      Gustavo Andriewiski 10/07/2014 at 9:40 PM

      E vamos juntos olhando para os lados e permitindo que luz entre! Muito agradecido pela atenção!

  4. Gisele…. nem falo nada viu..simplesmente amo isso tudo!!

  5. Gustavo Andriewiski, que baita insight! Gratidão! Abração de luz!

  6. Reply
    Uiara Andriewiski 24/07/2014 at 6:47 PM

    Minha sombra é você, pois de você vem a luz que ilumina meu caminho.
    Sempre obrigada.

  7. Reply
    marilda benevides 16/08/2014 at 10:56 PM

    “Tudo nesse mundo é uma projeção.” Então vamos escolher projetar luz, muita luz! Gratidao

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Unaversidade