Microcefalia: o que podemos fazer

microcefalia

Eu sei, eu sei…

“O mundo é lindo, o planeta é abençoado, somos luz e devemos apenas nos focar para o que há de melhor, certo?”

Repense, por gentileza!

É por estamos num mundo lindo, abençoado e sermos luz, que devemos fazer com que ela se amplie, em todos os segmentos, principalmente, nos problemáticos.

Venho batendo nesta tecla e não é de hoje. Não concordo, de modo algum, com as pessoas que se colocam em cápsulas, feito aquelas das máquinas de café e que nem sabem, mas no final serão prensadas, aquecidas, escaldadas e de seu cerne, o extrato acabará servindo ao todo. Por que esperar, então? Por que não escolher quais são as condições pessoais que mais se ajustam ao bem comum?

O objetivo implícito no Novo Ciclo é o desenvolvimento individual com vistas ao coletivo. 

Tudo que é exclusivamente individual – sua evolução, seus estudos, seu desenvolvimento, sua iluminação, sua ascensão – ficou no Ciclo anterior. Agora, é seu trabalho individual com a meta de que ele reflita no todo.

E aí podemos falar sobre microcefalia, com base nos dados oficiais.

“O número de casos confirmados de microcefalia no Brasil chegou a 1.046. Ao todo, foram 6.906 notificações desde o início das investigações, em 22 de outubro, até 2 de abril. Segundo a pasta, 1.814 casos foram descartados e outros 4.046 casos ainda estão sendo investigados.Os dados são do boletim divulgado pelo Ministério da Saúde, em 05 de abril. Dos casos confirmados de microcefalia, 170 tiveram teste positivo para o vírus da zika.” (1)

“Em apenas uma semana, Pernambuco confirmou 5.548 casos de arboviroses (arboviroses são doenças transmitidas por insetos e incluem Zika vírus e dengue) e registrou 5.637 novas notificações de casos suspeitos das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. Nesse mesmo período de sete dias, o estado descartou 6.651 casos de dengue, febre chikungunya ou vírus da zika. Os dados integram o boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (SES) nesta terça-feira (3 de maio).” (2)

Não tenho a intenção de falar sobre repelentes, nem sobre limpeza doméstica. Também não pretendo discutir políticas públicas e uso do dinheiro para a saúde e a educação.

O que está bem claro para mim é que, em vista de uma situação desalinhada com o todo – e a isso damos o nome de problema, mas continua sendo apenas uma situação – temos condições de agir e influenciar, positivamente.

Como não sabemos o que isso vai acarretar ao longo do tempo, porque nem mesmo a ciência explica, ainda, os desdobramentos de uma epidemia de microcefalia, tudo o que temos a fazer é imaginar um futuro com aspectos diferentes.

Não há área profissional ou social da civilização atual que possa ser excluída da tarefa de pensar em melhorias.

Se vamos lidar com condições diferentes, é lícito pensar que devamos construir, nas mais diversas áreas, padrões que incluam o que chamamos de “diferentes”.

Não importa se você é um educador, um cientista, um técnico, um administrador, um jurista, um terapeuta, um artista, um artesão, um cozinheiro, um pai, uma mãe, um taxista. 

Em qualquer atividade que se encontre neste agora, sua participação neste pensar e neste construir é necessária e bem-vinda.

Que tal começar por si próprio e viabilizar mudanças e melhorias para estas crianças?

Elas crescerão. Algumas muito, outras menos, mas ocuparão este espaço comum e devem ser acolhidas, não com piedade e compaixão, mas com dignidade e condições para que desenvolvam seu máximo potencial.

Tão importante quanto nos preparamos para esse acolhimento é estarmos atentos às crianças “normais” que conviverão com as “diferentes”. 

Retirar estas etiquetas de normalidade e diferença é o primeiro passo e é por isso que os pais e educadores estão na base da pirâmide de construção do novo padrão. A condução amorosa do pensamento inclusivo é a pedra fundamental da transformação e é por aí que precisamos começar.

Microcefalia é a cabeça pequena…

E pergunto, com muita franqueza:

Nossa cabeça é grande o suficiente para compreender que é a partir de mim que a mudança começa e se reflete no todo?

Se for, vamos construir um novo padrão.

Se não for, vamos usufruir dele, porque os microcefálicos, somos nós.

Seja Luz!

(1) http://g1.globo.com/pernambuco/noticia/2016/05/numero-de-notificacoes-de-microcefalia-em-pe-sobe-para-1912.html

(2) http://g1.globo.com/pernambuco/noticia/2016/05/em-uma-semana-pe-confirma-5548-novos-casos-de-arboviroses.html

Matérias em sites e blogs

Microcefalia | Site Drauzio Varella

Microcefalia é uma condição neurológica rara que se caracteriza por anormalidades no crescimento do cérebro dentro da caixa craniana.

Seja o primeiro a comentar

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Unaversidade