Mergulhando em si mesmo: o processo intuitivo

Texto: Cláudia Sampaio | Imagem: Rose-Lynn Fisher
 
Photografer Rose-Lynn Fisher - Tears of Change

Photografer Rose-Lynn Fisher – Tears of Change

Acontecia sempre. Durante a tarde, depois da aula, batia uma vontade insana de tomar água de côco, ou comer pamonha, ou qualquer outra coisa por mais inusitada que fosse.

Sabe-se lá como, Papai, meu Docinho de Côco (cabelinhos brancos), num bairro distante, após o trabalho, de noite, voltava para a casa trazendo exatamente com aquilo que eu tinha desejado secretamente. “Como o senhor adivinhou de novo, meu Anjo?”

No processo intuitivo, nossa percepção dá saltos no tempo e no espaço e subvertendo o caminho linear da lógica, apresenta um panorama geral através da compreensão, impressão ou sensação prévia sobre algo, seja uma individualização, dinâmica, ou um contexto.

Neste Novo Ciclo, com o acesso à quinta dimensão, onde não há tempo, nem espaço, sem dualidades, nem arestas, tudo se integraliza, longe do medo, então a intuição encontra o campo fértil para crescer.

Não é à toa também, que esta é chamada a Era da Informação. Perceberam como emitimos e captamos informações o tempo todo através do nosso inconsciente? E todos os inconscientes se comunicam.

Para o Codex,

“Informação é energia e energia é informação”.Toda energia finaliza-se numa forma.Não existe nenhum tipo de energia emitida — e isto compreende ideias e sentimentos — que não vá se finalizar numa forma.”

Isto é tão verdadeiro, que fizeram um experimento criativo com nossas lágrimas, colhendo-as em momentos diversos, vertidas em função de várias emoções: raiva, alegria, expectativa de mudança.

As lágrimas são formadas por vários componentes sólidos. Tiveram a brilhante ideia de evaporar a água das lágrimas e fotografar a configuração do que restava. Cada emoção que é algo intangível gerou uma forma totalmente tangível. Uma forma física e manifesta nesta terceira dimensão.

“It’s as though each one of our tears carries a microcosm of the collective human experience, like one drop of an ocean.”*”É como se cada uma das nossas lágrimas carregasse um microcosmo da experiência humana coletiva, como uma gota de um oceano.”*

Bem, isto é uma das “n” consequências do sentir. Imaginem quantos sinais que não conseguimos racionalmente codificar, mas que nosso inconsciente sabe ler com propriedade?

Se cada informação (pensamento, sentimento, emoção) gera uma forma e todas elas estão imersas no Inconsciente Coletivo, onde todos os inconscientes se comunicam, como rios que desembocam num grande oceano, a intuição é como uma navegação.

Um navegar, na escuridão, por nossas águas do inconsciente, portando uma lanterna — a consciência.

Também, no Codex, pela Lei da Correspondência:

“Assim como é em cima, é embaixo, mas assim como é dentro, é fora. E assim como é no presente, é no passado e no futuro. E assim como é no futuro é no presente e assim como é no passado é no presente. E assim como é para um lado, é para outro.”

Pistas abundantes de nossa realidade.

Alguns boiam na superfície nebulosa, restritos, olhando de longe, contemplando reflexos. Outros pescam informações aqui e ali.

Outros mergulham nas águas abisssais, manancial de origens.

Na etimologia, intuição é o olhar para dentro. Guardar dentro.

Do latim intuitione, formato a partir da união de “in-” (em, dentro) e “tuere” (olhar para, guardar)[1] .

E o que fazemos quando amamos alguém? Guardamos dentro. Temos consciência de que este alguém está dentro de nós, bem guardado. A intuição sobre este ser é muito maior, pela conexão; que o diga o sexto sentido das mães! O que fazemos quando nos amamos? Olhamos para dentro de nós, com mais consciência e maior capacidade de percebermos nossa realidade.

Há um modo bem eficiente de se turbinar nossa lanterna.

É irradiar a Luz de nossa centelha sagrada, o coração, através do Amor que exercemos, que manifestamos, compreendendo que somos UM. Esta Luz tem um alcance muito potente. Ela torna a navegação bem segura e muito mais produtiva.

Um mergulho audaz e abençoado a você em você mesmo. Honre suas águas, com Amor.

Seja Luz!

P.S.: Convido a todos a praticarem o Exercício do Espaço do Coração e sentirem a diferença no seu padrão intuitivo.

** Citação da reportagem: http://www.smithsonianmag.com/science-nature/the-microscopic-structures-of-dried-human-tears-180947766/#0o50QSiOOt74uXi7.99
23 Comments
  1. Que lindo, Clau….
    Eu sempre pensei assim, que intuição era (é) aquilo que eu sabia sem que ninguém me contasse, ou seja que estava guardado em mim.
    Claro e transparente seu artigo, assim como tua luz se expandindo e nos envolvendo. Gratidão, querida flor!

    • Fátima, tenho aprendido muito com vocês, nesta Rede de luz, transparência e amor que compartilhamos, Beija Flor Querida. Gratidão por todo o seu carinho e sustentação de sempre.

  2. Magnifico Claudia, o meu inconsciente se conectou com o seu estamos na mesma sintonia! In Lak’Éch > (Eu sou o outro você)

    • Osvaldo, li sua postagem do kin, emocionada: “Águas primordiais profundas e escuras Sou eu. Suavemente caminho no seu mistério do tornar-se. Receba o alimento de minhas profundezas primordiais.” Gratidão, Querido Mestre e Amigo.

  3. Claudinha, minha flor, que lindo artigo.
    Mês passado meus pais queriam me enviar algumas coisas. Da Bahia pro Rio. E me perguntaram o que eu queria. Fiz uma lista! hahaha. Depois do envio, eu me lembrei de um biscoito que comia na infância e nunca mais tinha comido, nem tão pouco visto das vezes que voltei à minha cidade. No dia seguinte, eu me lembrei também, do café torrado e moído na hora, que uma senhora fazia, numa mercearia perto da minha casa. E me deu uma vontade… senti até o cheiro! Mas não falei nada pros meus pais. Já tinham enviado a encomenda. Três dias depois, ansiosa porque o ônibus atrasou, e eu desejava muito tudo que estava ali dentro daquelas caixas, fui até a rodoviária e comentei no carro, sobre os biscoitos e o café. Quando cheguei em casa, abri as caixas e levei um susto! Meu timo girou! De felicidade, claro. A tal bolacha palito estava lá. Bem em cima. Já imagina tudo que pensei naquele momento, não é? Continuei a retirar as coisas das caixas. E na última, lá no fundo, bem escondidinho, o pacote de café. O mesmo. Torrado, moído e com cheiro da minha infância. :-)))) Conclusão: O Universo sabe das coisas. E no fundo, fundo, “guardado”, a gente também sabe.
    Beijos. Muitos!

    • Gell, minha Joaninha Poetisa, que coisa mais linda. Sei o que sentiu. Senti o que sentiu. Gratidão, Irmana. Beijos, muitos tantos imensos!

  4. Reply
    Maria Emilia Nunes Oliveira 19/05/2014 at 11:24 AM

    Oi Cláudia, Oi Era de Cristal. Tenho tido muitas destas intuições. O Universo está conspirando a nosso favor. Namastê.

  5. Lindo…sempre sabemos… mas nem sempre damos o devido valor….quando o fazemos coisas maravilhosas acontecem…..que possamos confiar mais e assim tornar mais seguro nossos caminhos! gratidão!!

    • Caminhos seguros neste amor mútuo que sentimos. O que dizer de nossas conexões? Querida Zê Batista, meu Anjinho da Ametista!!!

  6. Gostei muito do artigo e da reflexão:
    “Pistas abundantes de nossa realidade.
    Alguns boiam na superfície nebulosa, restritos, olhando de longe, contemplando reflexos. Outros pescam informações aqui e ali.
    Outros mergulham nas águas abisssais, manancial de origens.”
    Beijos.

  7. mas que delicioso este texto Claudia!

    aprendendo e apreendendo, sempre!

    bj imenso

  8. que delicioso seu texto Claudia!

    apreendendo e aprendendo,sempre

    bj imenso

  9. “O que fazemos quando amamos alguem”?. Guardamos dentro . O que fazemos quando nos amamos? Olhamos para dentro de nós com mais consciência e maior capacidade de percebermos nossa realidade.”
    Amor e Luz. No oceano de nossas águas, a profundidade de um amor imenso, brilha como um Sol onde todas as possibilidades se fazem presentes: o amor incondicional a todos os seres do Universo.
    Mensagem magnífica Cláudia,perfeita,porque abre o coração e nos faz “honrar nossas águas”. Gratidão.

  10. Reply
    marcelle sampaio 20/05/2014 at 9:52 AM

    Clau, parabéns por este artigo tão profundo e expansivo para dentro de si. Lindo mesmo! Ai…só falando ao vivo! Grande beijo.

    • Reply
      Claudia Sampaio 29/05/2014 at 7:21 PM

      Só ao vivo, mesmo, Irmana, num multidimensional abraço <3 Beijo gigante em ti, Marcelle.

  11. Reply
    Isabel Cristina 20/05/2014 at 9:48 PM

    Quanta leveza e beleza, muita gratidão por tanta magia.

    • Reply
      Claudia Sampaio 29/05/2014 at 7:22 PM

      Agradeço seu carinho, Isabel. Fiquei muito feliz. Toda a magia mais abençoada na sua vida.

  12. Reply
    Valéria de Carvalho Pereira 22/05/2014 at 10:38 AM

    Magnífico texto! Tão leve e tão profundo! Sua leitura agregou luz em mim. Muito grata!!!

    • Reply
      Claudia Sampaio 29/05/2014 at 7:23 PM

      Fico tão feliz, Valéria. Agradeço a todo o aporte energético ao Movimento Era de Cristal e esta egrégora linda de Amor formada. Gratidão!!!

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Unaversidade