VÍDEO UNAVERSIDADE

Mais informações sobre Memória

Mais informações sobre Memória

A live do dia 29 de julho de 2019 tratou do tema memória. E para não perder o costume, o Google colocou mais informações disponíveis nos nossos feeds de notícias e uma delas, nos chamou a atenção, por estar completamente relacionada ao assunto ...

A live do dia 29 de julho de 2019 tratou do tema memória.

E para não perder o costume, o Google colocou mais informações disponíveis nos nossos feeds de notícias e uma delas, nos chamou a atenção, por estar completamente relacionada ao assunto do vídeo, a começar pelo título: “Como é que eliminamos o lixo do cérebro?”

Reproduzimos aqui parte do texto que pode ser lido na íntegra no site: https://www.publico.pt/2019/07/31/ciencia/noticia/eliminamos-lixo-cerebro-1881627 O grifo no parágrafo sobre o lixo acumulado, é nosso.

(…) A descoberta sobre a existência de um sistema de drenagem linfática no cérebro é recente e, por isso, ainda se sabe pouco sobre o seu funcionamento. Agora, uma equipa de cientistas identificou a rota deste circuito que envolve uma complexa rede de vasos linfáticos meníngeos na base do cérebro. Os resultados do trabalho que podem ser úteis para o tratamento de doenças neurodegenerativas são publicados na revista Nature.


“Identificámos os vasos linfáticos meníngeos na base do crânio como hotspots (rota principal) para a drenagem do fluido cerebral (líquido cefalorraquidiano)”, explica ao PÚBLICO Gou Young Koh, cientista do Instituto de Ciência Básica e do Instituto de Ciência e Tecnologia da Coreia, em Daejeon, na Coreia do Sul. (…) “Isso é importante, pois os metabólitos tóxicos gerados pelo cérebro são despejados no líquido cefalorraquidiano através dos vasos linfáticos meníngeos. Ao comprometer-se esse processo, isso está associado a doenças neurodegenerativas, como a doença de Alzheimer”, refere.

Assim, os vasos linfáticos meníngeos surgem com uma espécie de agentes de limpeza que conseguem limpar metabólicos tóxicos gerados pelo cérebro do líquido cefalorraquidiano. E desde quando acumulamos elementos tóxicos no cérebro? Infelizmente, desde sempre. Em muitas das notícias que temos sobre os avanços no tratamento de Alzheimer, por exemplo, é insistentemente lembrado que esta doença neurodegenerativa surge com a acumulação moléculas tóxicas (beta-amilóide ou da proteína tau) no cérebro.

Este estudo confirma que a acumulação de moléculas tóxicas está associada a falhas no sistema de drenagem do cérebro, mas isso também não é nada de novo. “Já tinha sido demonstrado que a depuração deficiente do líquido cefalorraquidiano utilizando vasos linfáticos meníngeos leva à acumulação de proteínas patológicas, como proteínas as beta-amilóide e tau no cérebro, o que está fortemente associado à patogénese da doença”, confirma o cientista.

Também queremos acrescentar uma dica fornecida por Iara Bichara, sobre programas específicos para manutenção da memória, cada vez mais frequentes no mundo em função da longevidade dos povos.

Um deles é o Método Supera que promete melhorias significativas no desempenho cerebral através de exercícios e estímulos:

“A terceira idade é o público mais fiel do SUPERA. Em até seis meses, os alunos deste público relatam resultados concretos ligados à memória e à qualidade de vida.
Quando estimulado de forma adequada, e com acompanhamento de um profissional especializado, o cérebro ativa suas conexões sinápticas e melhora suas funções. A ginástica cerebral já é reconhecida por neurologistas e recomendada para idosos que querem se manter ativos e retardar o aparecimento de sintomas de doenças como Alzheimer.
Exercitar o cérebro é fundamental para preservar a memória, uma das funções que mais orientam o ser humano na sua vida cotidiana. As atividades que estimulam as conexões neuronais mantêm o cérebro bem conectado e saudável, garantindo um desempenho efetivo da memória e do pensamento.”

https://metodosupera.com.br/

Sugerimos que continue pesquisando sobre o assunto, limpando e mantendo seus arquivos de memória em ordem e praticando o Alinhamento Energético conforme sugerido por Alê Barello na live.

Você pode entender o procedimento a partir desse artigo.

Seja Luz!

1 Comment
  1. Temos muito a descobrir sobre as funções do cérebro. E todas essas descobertas, certamente, influenciarão na qualidade de vida das individualizações.
    Gratidão pelas informações!

Deixe uma resposta para Iara Bichara Cancel reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Unaversidade