Just do it!

Texto: Iara Bichara | Ilustração: Gisele Caldas | Música: Lenine

Just do it

Ilustração: Gisele Caldas

No plano desta dimensão em que nos encontramos agora, todas as escolhas são precedidas por um grande número de incertezas e de ponderações.

Até que se chegue ao momento em que a mente finalmente aceita o inevitável, o coração, que é de onde partem todas as propostas verdadeiras, teve que sacrificar e retardar o júbilo pela decisão tomada.

E isto acontece porque estamos sempre querendo esclarecer o inexplicável e justificar o que não possui medida.

Fomos projetados para a felicidade – que nada mais é do que a harmonia, o êxito, a ventura – e tudo em nosso corpo físico comprova essa certeza. Senão, vejamos: existe algo mais perfeito que o funcionamento do nosso sistema orgânico? Todos os seus componentes enquadram-se adequadamente e integram-se em funcionalidade, em trabalho e em aproveitamento.

E executam as funções independentemente do nosso comando e da nossa vontade.

Justamente quando intervemos na cadeia de harmonia que rege nosso corpo é que conseguimos desestabilizar o equilíbrio dessa máquina maravilhosa e em vez de nos contagiarmos com a felicidade que lhe é inerente, inoculamos em seu interior os vírus do descrédito, da tristeza, da inaptidão e minamos sua resistência.

Assim, por termos o livre arbítrio e sermos responsáveis por tudo que criamos e cocriamos, acabamos interferindo inadequadamente naquilo que seria o maior trunfo para cumprirmos a nossa missão neste planeta.

Ainda não compreendemos que nossa finalidade é fluir na energia com a qual fomos criados e para a qual estamos comprometidos por toda a eternidade.

Seria muito mais fácil se nos deixássemos levar pela possibilidade da experiência, confiando que a felicidade é o nosso início e o nosso fim e que não precisamos fazer qualquer esforço para alcançá-la, uma vez que ela nos pertence por natureza própria.

Qualquer individualização, em condições normais, não questiona se está ou não feliz, apenas segue o seu caminho, irradiando a energia que possui e compartilhando-a com os outros seres.

Assim agem os minerais, os vegetais, os fungos e a grande maioria dos animais. Da mesma forma, todo o Universo segue sua expansão…

E nós, que nos julgamos tão capazes de grandes feitos, trememos e relutamos em aceitar as mudanças e as transformações que surgem em nossa vida a cada minuto – como consequência do ritmo normal do ciclo planetário – colocando obstáculos e impedindo que a felicidade que essa energia carrega contagie os que nos cercam e se multiplique mundo afora.

Certa vez perguntei à minha avó (a pessoa mais alegre e feliz que já conheci) que chegara ao Brasil com 21 anos, recém-casada e que nunca mais voltara ao seu país de origem, se ela não sentia saudades da família que lá ficara, dos seus pais e dos seus irmãos.

Na sua sabedoria e simplicidade ela me respondeu:

“Não. Guardo no coração a família que lá deixei. Meus pais e meus irmãos, hoje, não são mais os que eu conheci. Eu também não sou mais a mesma, porque tudo se transforma. Para ser feliz é preciso saber dançar conforme a música”.

E continuou os seus afazeres cantando, como costumava fazer…

Confesso que naquele momento eu não compreendi muito bem o que ela queria me transmitir e fiquei até um pouco chocada com o seu desprendimento. Comecei a acompanhá-la na música que ela cantava e o assunto morreu ali, naquele instante, sem mais considerações.

Com o passar dos anos, e hoje com o conhecimento do Codex, posso constatar o tanto de lucidez e de harmonia que encerravam as palavras e as atitudes de minha velha avó.

Não resista. Faça. Siga o fluxo de felicidade do Universo!

Seja Luz!

Música Do It , Autoria, Lenine

13 Comments
  1. Iara, gratidão…. quanta sabedoria nas palavras de sua avó….realmente a todo instante tudo se transforma!! Que possamos aprender a fluir com a vida no fluxo da felicidade!!

  2. A música mais “humanamente verdade” que já ouvi…eh tão difícil enfiar isto em mentes tagarelas não eh? Rsrs

  3. Como tudo tem razão de ser… esta reflexão veio bem no momento oportuno para mim.

    Gratidão Iara.

    Beijos de Luz

  4. Dançando rindo e seguindo na Luz! Gratidão amada!

  5. Reply
    Claudia Dantas Fonseca 19/06/2014 at 5:17 PM

    Gratidão às nossas avós;

    Mulheres sábias.

    Que acolhiam o fluxo da vida .

  6. Reply
    Uiara Andriewiski 20/06/2014 at 9:36 AM

    Just do it… Reflexão… Codex… Gratificante escolha.
    Escolhi viver.

  7. Just shine!!! Que artigo lindo. Vivência e teoria unidas <3 Gratidão, Iara!

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Unaversidade