Gratidão

GratidãoDa série: “A primeira Colheita: gratidão”

Por Alê Barello

Se fizermos uma busca no grupo, as palavras que mais irão aparecer, nesta ordem, são: “gratidão, grata, grato, agradeço, agradecemos, obrigada, obrigado”.

O que isso significa?

Quer dizer que há meses, estamos trabalhando nossos processos de devolução de energia, isso, seguindo a maravilhosa Lei do Codex que diz: “Devolver a energia recebida”.

Essa devolução passa não apenas pelos agradecimentos que fazemos, constantemente, em função dos artigos, insights, comentários e material informativo que recebemos, mas principalmente, por causa do carinho e da atenção que temos ao nos colocarmos.

Uma sociedade que privilegia ainda o “ter”, ao invés do “ser” não abre muito espaço para a valorização dos pensamentos e dos sentimentos.

Afinal, não sendo medidos concretamente, não podem ser quantificados e parecem ser pertinentes a todos: eu penso, ele pensa, eu sinto, ele sente; é um bem comum, ou melhor, todos têm, então… não podem ser entendidos como raros, nem como importantes!

É isso mesmo?

Provamos diariamente que não!

O movimento que fazemos por aqui nos faz pensar e sentir, em proporções assustadoras.

Para alguns, o entrosamento do grupo parece até espaço terapêutico e não é incomum que nos inbox e mensagens trocadas entre os membros, os problemas pessoais venham à tona e verdadeiras sessões se estabelaçam, com aconselhamentos e procedimentos usados até pelos graduados.

Sim, o coração sabe como fazer isso e quando ele é posto para falar e para pensar, se revela um excelente e fiel orientador.

Mas nem isso é, ainda, o mais importante.

A gratidão que se estende como emissão de opinião, que por sua vez se revela como confiança, favorece o aparecimento de nossa identidade e não de nossa imagem.

Este grupo é especial porque partilha, acolhe e valoriza.

A base de conhecimento gerada aqui é alinhada com os valores do Universo, porque, de verdade, tanto faz se a informação é correta, confiável, útil ou atual. O que faz a diferença é que ela é verdadeira quanto à origem: se vem do coração e é colocada sem máscaras, sem ilusões, sem interesses, não esbarra na dualidade e essa chave, imperceptível enquanto estamos agindo, mas muito clara quando estamos refletindo, requer uma modificação de 180 graus no modo de existir.

Percebam o quanto fazemos a energia circular… Se eu revelo minha gratidão, devolvo a energia. Nem preciso expressar isso em palavras, mas levo daqui deste mundinho virtual, para minha vida lá fora; falo disso com outras pessoas; modifico meu olhar frente às situações diárias; sorrio para os problemas e até tem quem fale com os insetos, ultimamente!

Nada disso é em vão.

A gratidão colocada no dia a dia gera uma vida alinhada com o Todo. A Fonte pode nos dar mais porque sabe que não vamos reter absolutamente nada e quando estamos, além de agradecendo, conscientes de que fazemos isso, planejamos nossa existência em termos de recepção e benefício.

Avalio a gratidão gerada e espalhada pelo Movimento Era de Cristal como um dos frutos mais nutritivos deste ano de trabalho público.

Não é à toa que nossos braços que escrevem, nossos braços que abraçam e nossos braços que acolhem com confiança os participantes desta família cósmica, estejam mais fortes e saudáveis.

Então, toda vez que ouvir e ler a palavra “gratidão”, expressa por um de nós, devolva esta energia rapidamente, como já vem treinando fazer. Dê a quem quer que seja, a qualquer individualização que toque seu coração. Podemos dar um passo adiante e começar a espalhar a energia mais ainda pelo mundo e assim, estabeleceremos um projeto que ultrapassa os objetivos do grupo, porém alcança as diretrizes da Fonte: O TODO que tem TUDO.

Seja Luz!

* a série de artigos “A primeira Colheita” foi escrita em comemoração do primeiro ano de trabalho público do Movimento Era de Cristal. Originalmente os textos foram postados no grupo Era de Cristal do Facebook.

Artigos Relacionados

Seja o primeiro a comentar

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Unaversidade