Gente de coração grande e neurônios gigantes

coraçãoPor Cláudia Sampaio

Você já deve ter tido o prazer de encontrar pessoas de idade beeem avançada e que apresentam uma postura, lucidez, memória e humor tão encantadores que parecem ter bebido da fonte da eterna juventude, não importando quantas cicatrizes ou rugas seus rostos iluminados comportem.

É singular também como elas pertencem a grupos heterogêneos: alguns bastante focados em dieta adequada, esportes e qualidade de vida. Outros que tem hábitos pouco ou nada convencionais à manutenção da saúde (fumam ou mais sedentários, por exemplo). Daqueles que tem várias graduações universitárias e também tantos que às vezes, nem tiveram a oportunidade de serem alfabetizados.

Todos eles, no entanto, não foram acometidos por doenças degenerativas, como o Alzheimer.

Há algum tempo, os cientistas descobriram que no cérebro destes senhores e senhoras incríveis, uma quantidade expressiva de um mega neurônio sempre era encontrada. “Esses neurônios são morfologicamente diferentes, longos e finos, com ramificações que se estendem por diversas regiões do cérebro.” ***Até hoje, sua utilidade ainda não foi desvendada, mas estão incontestavelmente atrelados à incomum juventude prolongada.

Nestas pessoas com mais de 80 anos havia “cerca de cinco vezes mais destes neurônios gigantes”*** , segundo a pesquisa. E mais mágico ainda, estes neurônios escolhem habitar justamente a região do cérebro associada entre outras funções: “à compaixão e à motivação”***

Dois componentes que funcionam realizando verdadeiros milagres quando trabalhados juntos: compaixão e motivação. Um equilíbrio delicado entre o eu e o ‘nós’, “a consciência e desenvolvimento individual com vistas a ampliação do desenvolvimento coletivo”, como nos orientaram os Irmãos do Aporte Energético sobre o Novo Ciclo.

A primeira lei do Codex é como um brado de motivação:

“Conhecimento e consciência de que cada ser existente tem do Universo todas as condições para desenvolver-se com pleno potencial, para crescer e para desfrutar, independentemente de sua forma de individualização”.

A lei seguinte é a do Amor e diz:

“A Lei do Amor coloca o bem estar, a ocupação e os sentimentos para com os outros, acima do eu.”

A respeito da compaixão e do amor, há esta bela reflexão do Dalai Lama:

“Podemos questionar se o valor da compaixão, de um coração compassivo é universal. Eu acredito que todos os seres humanos têm o mesmo potencial. Basicamente, o ser humano é voltado para a vida e comunidade. Assim, a semente da compaixão está lá, a semente do trabalho em conjunto está lá. É da natureza humana trabalhar em conjunto. O individualista não pode sobreviver.”

Compaixão e motivação modelam explicitamente a manifestação física de nossa configuração neural. Que espaço e tempo ocupam o exercício destes dois valores na sua vida? Que lá adiante, muitas e muitas colônias destes super neurônios habitem seu cérebro, sinal de que o amor que reside no seu coração iluminou e motivou muita gente, a começar por você mesmo.

Seja Luz!

*** Dados obtidos no post: http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/blog/espiral/post/o-segredo-dos-velhinhos-que-deram-ole-no-alzheimer.html

2 Comments
  1. Claudia, adorei seu artigo, e que muito interessante é que hoje postei sobre essas duas leis do Codex..será isso coincidência ou telepatia?? rsrs..sei lá o que importa é que essas leis são essenciais. gratidão!

    • Reply
      Claudia Sampaio 24/03/2015 at 5:04 PM

      Meu Anjo Zê, é conexão 😀 Abençoada e cristalina por ser verdadeira! Gratidão, Querida.

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Unaversidade