Espaço do Coração: a série

Texto: Alê Barello | Ilustração: Gisele Caldas

ilustra_giselecaldas_EC_1_ www.gisele-caldas.blogspot.comJaneiro de 2012.

As primeiras informações sobre a Transição Planetária, no início canalizadas, chegavam a nós — Luiz Barello e eu — e estávamos, literalmente, de cabelos em pé!

Era tanta coisa nova e tantos paradigmas diferenciados, que usávamos os dias e noites nos dividindo entre as as tarefas obrigatórias e os ensinamentos.

Primeiro, eram só informações mesmo: mapas, procedimentos, locais, datas, como as coisas iriam acontecer; depois, começamos a enveredar pelo caminho dos processos: o veículo interdimensional, o alinhamento energético e o Exercício do Espaço do Coração.

Precisávamos saber de tudo e passar por tudo antes mesmo de contar aos outros três — Iara, João Alberto e Ricardo —, situação que perdura até hoje, ampliada do grupo central para os demais núcleos: não divulgamos absolutamente nada que não tenhamos vivenciado, em nós, primeiramente.

Enquanto eram informações estava tudo bem! Quem não gosta de saber das novidades cósmicas e das “fofocas” do Universo?

Mas e quanto aos processos? Daríamos conta de realizá-los a contento?

Foi isso que passamos exatos dois meses tentando fazer…

A primeira etapa era o contato com a quinta dimensão interna, via Espaço do Coração, por dois motivos: um, precisávamos explicar como isso era possível e dois: o meio de transmissão das informações, por parte deles, iria mudar de canalização, para comunicação, tudo isso, via Espaço do Coração.

E lá fomos nós, “tentar”. Confesso que achei que seria MUITO FÁCIL e nem perdi tempo aprendendo o procedimento, em si. Usei o que já sabia em termos de conexão e um pouquinho de meditação e parti para o resultado… que não veio…

O Luiz, por sua vez, focou nas etapas do Exercício: os batimentos cardíacos, do laríngeo, do chakra frontal; chegava no ponto de abertura do coronário e conseguia até mesmo fazer a energia começar a entrar e depois disso, dormia! Puf! Apagava e não sabia dizer o que acontecia na sequência.

O tempo passava e o prazo se esgotava. Já estava na hora de transmitir aos outros três para que eles também treinassem e nada de chegarmos a uma determinada chave, um ponto que não sabíamos qual era, mas que garantiria que tínhamos conseguido.

E aí surtei!

— Como assim, eu não consigo? — pensava e dizia em voz alta, muito frustrada.

Nenhuma resposta… nenhuma dica… nenhum tutorial, bula ou manual de instruções.

Só tinha uma coisa a fazer: deixar minha eterna rebeldia quanto aos procedimentos, de lado, e fazer a coisa toda na sequência, sem inventar.

Uma vez… duas vezes… dez vezes.

E quando menos esperava — e quanto mais diminuía a minha ansiedade — a tal chave apareceu e imediatamente tive a confirmação de que tinha conseguido a conexão com a quinta dimensão interna!

Contei ao Luiz e ele me disse, ingenuamente:

— Mas já vejo isso faz tempo…

UMPF! Ele estava me esperando. Era eu que não conseguia.

Missão cumprida, pudemos repassar o procedimento e aguardar que eles tabém chegassem à chave.

Muito mais rápido do que nós dois, os três deram conta do Exercício em aproximadamente uma semana e isso é mérito de pessoas disciplinadas e firmes em seus propósitos, que não estavam questionando, e sim, vivenciando uma proposta, com o coração aberto.

Na sequência, eu avancei meu treino para o contato com a quinta dimensão externa, para o processo de comunicação — recepção das informações — o que faço até hoje, com resultados bem lentos, mas promissores.

Não há mais nenhum obstáculo de minha parte, uma vez que superei a barreira do ego, em relação ao Exercício. A pergunta que muitos me fazem: “Como eu sei se estou em contato com a quinta dimensão interna, ou é coisa de minha cabeça?” tem uma resposta simples:

— Se você não sabe, não contatou mesmo. É impossível, completamente impossível ter dúvida, uma vez que se conseguiu.

Temos milhares de relatos de contato com a quinta dimensão interna, via Exercício do Espaço do Coração. O processo é para todos, não existem escolhidos ou pessoas predestinadas a conseguir.

Gosto também de lembrar a todos que este é um processo, não o único processo. O Universo não pode ser visto sob a ótica da pequenez humana que escolhe alguns e privilegia informações para grupos isolados. Não é preciso diplominha, cursinho, ou guru. Seu TREINO, sua VONTADE, seu FOCO, sua CONSTÂNCIA, DISCIPLINA.

Nossa troca com os pleiadianos nos forneceu um caminho de contato, simples, acessível e temos consciência e ciência de que todo aquele que resolver verdadeiramente alcançar a quinta dimensão interna por este caminho, chegará ao destino.

Hoje já entrei no piloto automático! Tem hora que nem me dou conta que já estou na quinta dimensão interna, enquanto converso calmamente sobre uma receita de pudim! Em outros momentos, enquanto ouço o descontentamento alheio, a bronca, a dor, a reclamação do outro, já me coloco em posição e entro deliberadamente no Espaço do Coração, deixando que as soluções perfeitas se apresentem. E como elas vêm rápido! E como são satisfatórias para ambas as partes!

Quem me conhece há mais tempo pode atestar que minha modificação em termos de comportamento, reação e paciência é visível: da água para o vinho. Se cheguei ao ponto que eu quero? Estou bem longe, ainda, mas caminho de mãos dadas com o que para mim é mais precioso: a Luz!

O Exercício do Espaço do Coração é um presente que, se recebido, pode modificar sua permanência neste tempo e neste espaço.

Desejo que todo aquele que já achou sua conexão avance cada vez mais e quem não começou faça isso logo: o mundo que você vê nunca mais será o mesmo, depois disso.

Seja Luz!

Comments

  1. Anita

    Aleeeeee, só digo uma coisa: ME IDENTIFICOOOOOO!!!!! kkkk

    ” deixar minha eterna rebeldia quanto aos procedimentos, de lado, e fazer a coisa toda na sequência, sem inventar.”

    Gratíssima e beijo no coração!

  2. Claudia Sampaio

    Gratidão, Gisele, sempre conectada, via EC – seus desenhos maravilhosos e totalmente sintonizados com cada texto sem que vc os tenha lido são uma das manifestações mais lindas da sua própria conexão com a 5d. Fico de queixo caído, toda vez. É um dom do seu coração.

  3. Claudia Sampaio

    Ale, agradeço este compartilhar da sua experiência com o Luiz. E por cada orientação sobre o Espaço do Coração que recebemos durante os Encontros Presenciais, com todo o carinho, especialmente da Iara Bichara. Esta série de textos é um presentão.

  4. Monica Moreira Pereira

    Segui fielmente a primeira vez , na segunda fiz com um irmão e foi incrivel,minha mãe resposndeu minha pergunta, e agora ,basta eu fazer um circulo mental na testa ,para eu entrar na quinta dimensão ever coisas incriveis,

  5. Cristina V Haas

    Gratidão por compartilhar este inicio de “trabalhos”, Alê e Luiz. É uma alegria celular este nosso reEncontro com o Conhecimento e com a Luz via nossos amigos Pleiadianos. Amor e Luz!

  6. Uiara Andriewiski

    Já mudei muito meu eu…falta ainda muito, mas não tenho tanta pressa, mas o mais interessante de tudo isso é como percebo a minha mudança interna. As coisas ficaram muito mais simples. E assim vamos nos.

  7. Ieda

    Muito oportuna sua colocação, Alê Barello. Ao compartilhar sua experiência percebo que no inicio tentei todos os procedimentos ,mas nada. A incerteza de estar fazendo o certo ou errado acaba impedindo de se continuar tentando… ai a gente acha que não é a hora,se não entendeu,se não deu resultados então não é pra ser. E ai se deixa de continuar tentando obter resultados.Ainda bem que você continuou e continua indo alem da escuridão,realmente acredito que a Luz se faz presente neste trabalho que sinto como uma verdade conquistada!

  8. Rosi Santos

    Eu sempre recomendo o espaço do coração, ja obtive resultados impressionante, mas acho que nunca usei da melhor forma. Depois de ler as palavras TREINO, VONTADE, FOCO, CONSTÂNCIA E DISCIPLINA, vou começar uma nova relação com o espaço do coração e espero me tornar mais consciente de mim e do próximo.