Espaço do Coração: minhas milhas interdimensionais

Texto: Claudia Sampaio | Ilustração: Gisele Caldas

ilustra_giselecaldas_EC_5_ www.gisele-caldas.blogspot.comDa adolescência, me recordo de um momento significativo… Eu me centrei com as mãos no coração e tive uma sensação difícil de ser traduzida, uma percepção não intelectual, não puramente mental ou emocional, era algo maior que isto – ecoou de algum espaço dentro de mim: “A Fonte está em tudo, a Fonte está comigo, dentro de mim. Somos Um”. Sim, todos chegamos a uma conclusão semelhante, mas é diferente, na falta de um verbo mais exato, de quando a experimentamos.

Foi tão avassalador que mal consegui sustenta-la por uma ínfima fração de tempo. A imaturidade (que nada tem a ver com a idade) não me permitiu usufruir mais – era como ligar uma espaçonave e não saber pilotá-la.

Na primeira vez em que fiz um Espaço do Coração (EC), resgatei esta experiência. Mas, não tragada por um assombro descomunal, me encantei ao percebê-la suave, acolhedora como um abraço. Achei lindo. A pulsação se harmoniza por instinto com a própria frequência da Terra, que nos faz vibrar na mesma sintonia do Universo.

É um exercício que se atém à essência do que somos: Luz. Mas, não uma luz ociosa, é um espaço de trabalho – digno do próprio coração, que bate sem cessar. Mas, apesar da empolgação inicial, comecei a ficar bem relapsa.

Hoje, sei que isto aconteceu porque criei expectativas: esperava ver uma paisagem cor de rosa, principalmente dentro de mim. E vi cenários devastados, paisagens desoladoras. Oscilava entre um vazio nebuloso ou tanta tralha que queria desistir. Porém, o coração sempre nos aponta o que é primordial a ser compreendido. Especificamente, no meu caso, eram questões emocionais.

Nem tão complexas. Sabia o que fazer, a resposta sempre surge dentro do EC, mas e a disposição para agir? O que me incomodou no início do Espaço do Coração era o fato de não ter mais desculpas para prolongar atitudes que não colaboravam com meu desenvolvimento. A consciência se expande. Isto não significa que não seja amorosa – simplesmente nunca será conivente com ilusões preguiçosas, miragens da dualidade que nos levam a empacar no caminho, porque a Luz tem que circular.

Entrar no Espaço do Coração era simples, não o fechava (conforme as instruções), mas podia sair facilmente dele. E a gente sabe quando está operando a partir dele, de dentro. Por isto, apesar da satisfação com que sinto o processo de entrada, sei que meu grande desafio é nele permanecer. Ou ter a humildade de reconhecer o momento em que o deixei e a disciplina de ingressar de novo. E de novo… Quantas vezes forem necessárias.

Mesmo tendo que melhorar muito na prática, já noto diferenças significativas de insights, sincronicidades, conexões e na capacidade de cocriar com Fonte realidades mais condizentes com as possibilidades incríveis que se apresentam quando temos disposição e responsabilidade.

Para mim, o Espaço do Coração são as Milhas Interdimensionais que posso percorrer com meu chacra tímico (veículo interdimensional), não como passageira ou copiloto, sou capitã e portanto, responsável por minha Nave, aplicando as Leis do Codex. Vivê-lo me oferece uma chave de ignição para girar o timo e conectar-me com a Fonte.

Foi muito legal aprender a dirigir, acelerar, há anos, mas a exemplo da maioria, me senti desafiada nas aulas de baliza. Neste sentido, o Codex é a minha referência, é com base em suas 5 premissas que balizo a manutenção da permanência no meu Espaço do Coração, onde tudo e todos são Sagrados. E se vacilo, ouço/sinto de novo: – “Somos Um, não desista desta baliza!”

Seja Luz!

**** Para relembrar – bases do Codex:  1. Não julgar.  2. Ser humilde.  3. Não fazer nada contra a Lei do Amor.  4. Não resistir ao mal.   5. Não fazer nada contra a Lei da Misericórdia.

8 Comments
  1. Amei essa viagem… e essa frase é para mim certamente ou melhor escolhi para mim.
    “Ter a humildade de reconhecer o momento em que o deixei e a disciplina de ingressar de novo. E de novo… Quantas vezes forem necessárias.”… perfeito…gratidão Claudia.

    • Reply
      Claudia Sampaio 08/08/2014 at 6:20 PM

      Agradeço, Querida! E sei que você está sempre dentro do EC, por tanta paz que nos transmite. Beijos!!!

  2. Claudia, é isso mesmo, não devemos desistir. O caminho é longo, mas a Luz é intensa.
    Gisele, maravilhosa a cada ilustração!
    Beijos de luz para as duas.

    • Reply
      Claudia Sampaio 08/08/2014 at 6:20 PM

      Gratidão pelo carinho e incentivo, Iara, Mestra Querida de Espaço do Coração. Beijos de Luz!

  3. Reply
    Claudia Sampaio 08/08/2014 at 6:21 PM

    Esta ilustração sua, Gisele é muuuuuito sublime, te agradeço , Querida! Quanta Luz!

  4. Reply
    marcelle sampaio 15/08/2014 at 8:32 AM

    Claudinha ótimo artigo! Aproxima qualquer um que esteja começando a usar o EC, como também aos já praticantes de voo que muitas vezes se perdem no caminho. Vivi algo parecido ao lidar com espectativas demais, ilusões demais e foi lá dentro mesmo que fui aprendendo a olhar, enxergar sem medo a verdade dentro de mim e de cada EC. Beijo grande e um lindo Encontro amanhã!

    • Reply
      Claudia Sampaio 17/08/2014 at 8:08 PM

      Amada, gratidão!!! Feliz porque nossos Reencontros no Rio, SP, Suzano e Piracicaba foram muito abençoados! Saudade imensa de você. Beijo grandão!!!

  5. Reply
    Monica Moreira Pereira 20/10/2014 at 6:45 AM

    Puxa , Clau , que explicação maravilhosa do EC – Exercicio do Espaço do Coração . Minhas milhas estão pequenas , pre iso aumenta-las . Acho que meu avião entrou em manutenção um tempo, agora ele voa muito. Gratidão querida , temos arquivos valiosos na Nossa LUPA , é só procurar o que desejamos .
    E este desenho lindo nasceu aqui , Parabens Gisele .

Leave a reply

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Unaversidade