Enviando Luz em tempos de caos

Uma das grandes ocupações de nossos leitores é com a qualidade energética do entorno.

Não faltam, em momentos de crise, vibrações, bênçãos, orações e pensamento positivo. Estas aparentes gotas no meio do oceano energético são ouro puro para a realidade e muito necessárias ao planeta.

Mas, uma vez que nos dispomos a vibrar pela harmonia, será que existem meios diferentes de fazê-lo?

Há alguns anos, uma prática nos foi fornecida pelos irmãos cósmicos e mostrou-se, ao menos, coerente.

Para esse agora, podemos focar no estado do Espírito Santo, no Rio de Janeiro, nas tantas questões políticas e jurídicas de nosso país, lembrando sempre de COMPREENDER o propósito deste exercício: que a Luz se faça, não segundo a NOSSA vontade, mas que a energia flua para onde é necessária, sem julgamento de qualquer tipo.

Compilo aqui um texto postado no grupo do Facebook por Claudia Sampaio, que naquela ocasião referia-se ao terremoto no Nepal e agregava material de outros posts nossos, com o mesmo objetivo.

À prática:

“Proponho esta prática a aqueles que se sentirem confortáveis: é uma espécie de variação do Espaço do Coração em casos dramáticos assim, onde há muitas vidas envolvidas, com variáveis completamente fora de controle.

Claro que a nossa intenção é ajudar as vítimas e quem está lutando para socorrê-las. A diferença no processo de envio de vibrações recai no direcionamento da energia. Ela é enviada escolhendo uma formação geológica delimitada (no caso as Montanhas presentes ali) para acolherem estas vibrações.

Aqui está o ponto chave: serão os reinos mineral e vegetal que irão redistribui-las e alocar as energias (bênçãos/orações) a todos os necessitados com muito mais harmonia, força, precisão, constância e sabedoria, até aos cantinhos mais esquecidos e desprovidos de assistência. Isto porque os outros reinos mais sutis como o Mineral e Vegetal são muito mais integrados ao propósito da Fonte. Abaixo estão descritos alguns trechos do procedimento.
—————————————————————————————————–
1. Entre em seu espaço do coração, com o procedimento normal;
2. Visualize o local para o qual pretende enviar BÊNÇÃOS – isso é importante. Não pense nesse momento em escassez, em falta, em problema. Pense em abençoar, em aumentar a energia;
3. Tomando como exemplo uma cidade, visualize um monte, de preferência, o mais alto do local – […] por que um morro? Porque os minerais são vetores de energia que espalham a mesma e distribuem para a água, que por sua vez, redistribui para o solo, e assim por diante… [no caso, as Montanhas da região].
4. Do seu chakra tímico, emita energia de bênçãos ao morro, cuidando apenas da emissão. Não se ocupe de pensar em nada, apenas em bênçãos que você emite nesse agora.
5. Por fim, termine seu Espaço do Coração como de costume, agradecendo a oportunidade de contribuir no que for necessário.

Notem que não somos nós que decidimos o que fazer com a energia. Enviamos as bênçãos – energias de amor – para uma individualização mineral que, em consenso com o planeta, saberá o que melhor fazer com ela. Nós apenas emitimos, abençoamos, amamos naquele agora.

Tudo mais quem faz é a Fonte, em perfeição e com a Verdade como objetivo. Se escolhemos o que fazer, podemos nos perder nas pequenas peças do quebra-cabeça, não é, uma vez que nossa ínfima condição de sensibilidade não permite que vejamos o quadro todo. Quem sabe se precisamos de mais chuva ou de mais sol? Como avaliar prioridades quando tantas individualizações estão envolvidas? Deste ponto de vista fica difícil, mas com a ajuda dos minerais, do planeta e da Fonte é infinitamente fácil!” 

PARA FACILITAR:

MAIOR PICO DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO

PICO DA PEDRA BRANCA

MAIOR PICO DO ESPÍRITO SANTO:

PICO DA BANDEIRA

VOCÊ JÁ CONHECE O PROJETO PADRINHOS DE LUZ?

VISITE O SITE E VEJA COMO OS PARTICIPANTES DA UNAVERSIDADE E DO MOVIMENTO ERA DE CRISTAL ESTÃO TRABALHANDO, AGORA, NA PRÁTICA, PARA O NOVO CICLO!