Despertando a centelha da bondade

Artigo: Zeneide Batista | Ilustração: Gisele Caldas

Ilustra_giselecaldas_Bondade_3_-www.gisele-caldas.blogspot.com_Todos nós trazemos a centelha da bondade em nosso íntimo; em alguns ainda está em estado dormente, enquanto em outros já se encontra aflorada de tal forma, que suas ações diárias são permeadas pelo amor, pela bondade e compaixão pelos seus semelhantes.

Quando aqui chegamos passamos a receber as influências do meio onde vivemos, e essas qualidades acabam ficando soterradas por outros valores que são colocados como mais importantes. Porém, quando de alguma forma despertamos para as verdades do ser, passamos a relembrar desse conhecimento, e agir de maneira diferente.

Nesta caminhada, o Codex se mostra como um guia muito útil para esse crescimento, pois ele traz até nós, as  premissas que já conhecemos e que ficaram esquecidas no tempo de nossas existências. Não julgar, ser humilde, não fazer nada contra a Lei do Amor, não resistir ao mal e não fazer nada contra  Lei da Misericórdia. Lições há muito tempo trazidas pelos mais diversos Mestres e Iluminados que passaram pelo mundo.

Agora temos em nossas mãos as possibilidades de escolher o melhor para nossa vida; é tempo de sermos bons conosco, de exercer a nossa maestria, de usar ao máximo o decreto da Reconciliação, unificando as semelhanças e diminuindo as diferenças, colocando sempre o amor como base para nossas ações. Como nos fala Paulo Apostolo em Gálatas 5*22, cultivar os frutos do espírito.

Ele apresenta três sinônimos para frutos do Espírito que guardam relação muito próxima entre si.

São elas: amor, benignidade e bondade:

O amor é um sentimento a ser aprendido e que se caracteriza pela entrega incondicional sem espera pelo troco.
A benignidade é a qualidade que uma pessoa tem de fazer com que os outros se sintam à vontade em sua presença; tem a ver, portanto, com empatia e simpatia.
A bondade é uma virtude interior que inunda todas as ações.

Meu desejo neste agora é que cada ser possa relembrar sua essência e passe a trabalhar internamente no seu crescimento, para que, do seu individual, auxilie o coletivo.

“Colocando o bem estar, a ocupação, os sentimentos para com os outros acima do eu”.  Sim, é a Lei do Amor que deve permear o nosso caminho neste momento, para que a grande rede de luz se fortaleça.

Seja Luz

2 Comments
  1. Reply
    Claudia Sampaio 17/09/2014 at 1:24 PM

    Doçuras: texto e imagem… Gratidão, Queridas Zê e Gisele!!

  2. Gratidão Claudia! Realmente linda a imagem!

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Unaversidade