A convocação para a tomada de Poder

anonimoVocê já ouviu falar de Alexandre, o Médio?

Acredita-se que ele tenha nascido por volta do ano 350 a.C, na Grécia e tenha tido muitas boas ideias de como conquistar o mundo.

Ele treinava suas habilidades dois minutos por dia, deixando o restante do tempo para fazer planos que nunca colocaria em prática.

Internamente, Alexandre, o Médio, tinha consciência de seu potencial e lutou a vida toda para que a força pessoal, bem como suas ideias e planos, ficassem no terreno abstrato e do intangível.

Alexandre, o Médio acreditava firmemente que o que planejava era possível. Era mesmo!

Tudo o que Alexandre, o Médio, traçou durante seus dias na Terra foi realizado por seu xará, Alexandre, o Grande, aquele que merece a alcunha e passou para a história como o maior estrategista e conquistador de todos os tempos…

 

Os Ciclos terrestres estão repletos de energia/informação e cabe aos participantes daquele tempo e daquela dimensão, colocá-los em prática.

Quantas vezes você teve uma ideia, grandiosa, perfeita e alcançável, ideal para o Todo e a deixou de lado para, algum tempo depois, vê-la realizada por alguém, que não você?

Isso é bem frequente e, a menos que tomemos posse do nosso poder, nem cumpriremos o nosso propósito de essência, nem colaboraremos no grande plano do Ciclo.

Voltemos agora à definição de poder, sob o ponto de vista cósmico:

Poder é o melhor de si mesmo aplicado a qualquer situação.

 

Note bem: não é comparativo, “melhor que alguém, mais importante que outro, mais eficiente do que ele”.

O melhor de si, a sua capacidade, ou habilidade, ou talento, ou movimento, ou energia, aplicado a qualquer situação.

O termo “qualquer” faz uma diferença incrível!

Poder não é adquirido em uma situação esporádica, e sim, ao longo das várias situações pelas quais passamos, diariamente. Em cada agora, a possibilidade de exercer o poder se apresenta: enquanto você caminha e controla precisamente seus movimentos; quando você respira e tem ciência de que o ar preencheu seus pulmões; quando você lê este artigo e está com a mente aberta e pronta para compreender, investigar, questionar, analisar.

A pergunta que fazemos é:

Você é sua melhor versão?

 

Têm coisas que fazemos por fazer e se isso representa 90% do seu tempo, há algo de muito errado com sua existência…

O poder que move e define os Ciclos é pessoal e não comparável. O pedido é que você seja a sua melhor versão, não Alexandre, o Médio!

Sabemos o quanto estamos nos dedicando a algo. A busca pela perfeição deve ficar, também, no nível pessoal; só nós mesmos podemos ter consciência do quanto estamos distantes de nossa melhor versão:

  • Essa é a melhor salada que posso preparar com as condições que tenho, ou joguei as folhas no prato e “é o que temos para hoje”? Essa é minha melhor versão de preparador de salada?
  • Estou fazendo o meu melhor enquanto descanso, ou estou deitado e minha cabeça trabalha em outra coisa? Essa é minha melhor versão de alguém descansando?
  • Esse relatório é o melhor que posso fazer ou estou cumprindo tabela? Essa é minha melhor versão de produtor de relatório?
  • O momento com o meu filho demonstra minha melhor versão de mãe/pai?

Vamos abstrair… Meu melhor, mais o seu melhor e a melhor versão de cada um fariam, ainda assim, um mundo perfeito?

Não. Os Ciclos anteriores provam isso, mesmo que poucos tenham usado adequadamente o conceito de poder.

Grandes benfeitores e grandes tiranos usam perfeitamente o conceito de poder.

Um ditador que ordena um genocídio em massa trabalhou muito todos os aspectos envolvidos na situação. Se superou nas habilidades de comando, de imposição; usou seu intelecto plenamente para arranjar um sistema de leis que justificasse mortes, por exemplo. Atraiu multidões para sua causa e colocou à prova sua capacidade de influenciar. O tirano, é sua melhor versão de si mesmo e a coloca primorosamente em qualquer situação.

Assim, o uso do poder sem toda a consciência de integridade, não representa ganho para o Ciclo, mas quando esta é incluída, faz toda a diferença!

Se temos a noção de integridade e estamos trabalhando na nossa própria individualização para consertar as rachaduras no nível individual e estender isso ao coletivo, temos que usar o poder tal qual descrito universalmente.

A partir do seu centro de poder a influência começa a acontecer. Sua melhor versão altera a percepção do outro e ativa o desejo dele de ter o mesmo “brilho” que você tem, não importa o aspecto selecionado, pois quando alguém é visto como exemplo em determinada área, influencia todos ao seu redor e desperta a Luz interna dos demais.

Estamos falando de conquistar o mundo, ou de acabar com a fome e com a miséria?

Claro que não! Estamos falando de conquistar o mundo ou de resolver seus problemas se você quiser fazer isso. O assunto é mais banal, aos olhos dos apressados (porque a vida é isso, uma série de “aparentes trivialidades” que constroem o Universo) … É o poder de servir maravilhosamente bem às plantas que você cultiva; de arrumar a melhor mesa para almoço de uma terça-feira; de colocar com atenção a comida no pote do cachorro; de realizar a melhor apresentação para a equipe de vendas; de entregar um copo de água a quem pediu, com consciência da entrega, da água, do copo, do gesto; de olhar nos olhos de quem fala com você; de verdadeiramente abrir os ouvidos quando te contam algo; de dar a melhor resposta num fórum de internet; de vender da maneira mais amorosa, alegre, transparente e honesta o cosmético da Avon…

O SEU MELHOR, nunca o melhor, em comparação a outro ser.

Você está convocado a tomar posse de seu poder. Vamos dar adeus ao Alexandre, o Médio, de nossas vidas, pois não é ele quem vai nos alertar sobre o que é maestria.

O padrão da maestria espera por cada um de nós, neste agora e será o tema de nosso próximo e último artigo.

Enquanto espera, SEJA LUZ!

Em tempo: consegue entender melhor o que isso quer dizer? 🙂

No próximo artigo: Excelência, Maestria e Iluminação
10 Comments
  1. Reverberando as lições destes artigos….”O SEU MELHOR, nunca o melhor, em comparação a outro ser”. preciosa convocação, de se autoconhecer, de saber que temos em nós rachaduras sim….mas que temos também qualidades que podem e devem ser usadas a cada instante aplicando o nosso melhor, nas coisas mais simples que fazemos.. minha gratidão eterna por essas instruções!

  2. Reply
    neuza maria lima vieira 25/04/2014 at 11:48 AM

    Que sejamos “O GRANDE”!!! Que tenhamos paciência com nossa individualidade dando a ela condições de mover e tornar-se mais elevada. Que tenhamos propósitos para essa melhoria. Eu lavo o meu prato e faço questão disso como proposta. Mas a algum tempo,também como proposta , lavo o que sujo e mais três.Dai fui observando que em cada um que não lavava eu tive que ir renovando minha proposta. Agora já lavo o que sujo mais 8 em locais onde me encontro,isto é fora de minha residência. Dai tenho me sentido mais consciente do meu mundo como proposta de ser melhor e também de ver o desarranjo de outros quando nem do lugar tiram oque usaram.E assim vamos nos mínimos gestos com consciência ,nos transformando em uma possibilidade de “O GRANDE” Como foi mencionado ai, vale para todas as nossas mínimas atividades diárias como também nas mínimas paradas de reflexões!!. E assim vamos caminhando com atenção e aumentando nossas ações ‘capacitosas”

  3. Vamos juntos! Refletir sobre isso é o único começo possível. 🙂

  4. Esperando chegar em casa pra ler todos com a minha melhor atenção possível, e só comentar Quando eu sentirque tenho poder para isso. Grata.

  5. Reply
    Valéria de Carvalho Pereira 25/04/2014 at 12:35 PM

    Sou imensamente grata! Sem palavras!

  6. Reply
    Uiara Andriewiski 25/04/2014 at 1:30 PM

    Tenho o poder, pois tenho consciência de que faço com honestidade tudo “O QUE FAÇO”…E um “FAZER” que aprendi com HONESTIDADE, foi a olhar qualidades em todas as criações…e honestamente sei que para o meu Alexandre deixar de ser médio falta apenas ser o GRANDE…e para isso, falta apenas fazer me ser entendida.

  7. Reply
    janice valeria pedro 25/04/2014 at 7:11 PM

    Grandes com a consciencia de nossa pequinhez= humildade
    Grandes com a responsabilidade da verdade= integridade
    Grandes com a certeza do auto-conhecimento= o seu melhor
    Grandes com a serenidade da aceitaçao= gratidao
    Grandes por que somos o melhor do criador em relaçao a sua propria criaçao= Eu Sou
    Agradeço ao universo por ser quem sou! Neste espaço de tempo, neste momento de amor! Namaste!

  8. Quantas vezes você teve uma ideia, grandiosa, perfeita e alcançável, ideal para o Todo e a deixou de lado para, algum tempo depois, vê-la realizada por alguém, que não você?
    My gosh , nem posso enumerar ,de tantas que foram . E todos os dias eu penso e realizo ,pois sei que o tempo ,nao vai me esperar mais.

    A partir do seu centro de poder a influência começa a acontecer.
    Me impressiona muito que agora que sei do Universo para mim, as coisas que penso e desejo ,acontecem rapido, a lampada de Aladim me pertence e hoje estou no comando dela ,é a minha lampada.

    Sua melhor versão altera a percepção do outro e ativa o desejo dele de ter o mesmo “brilho” que você tem, não importa o aspecto selecionado, pois quando alguém é visto como exemplo em determinada área, influencia todos ao seu redor e desperta a Luz interna dos demais.
    Meu marido influenciou e continua fazendo o mundo mudar a sua volta ,porque ele acredita em si mesmo, e eu partilho dos sonhos dele e aperfeiçoo, ah maravilha viver tudo isso.

    O SEU MELHOR, nunca o melhor, em comparação a outro ser.
    Sempre o meu melhor !

    Adorei este texto ,completando todos os anteriores , Tem mais ?

  9. Preciosas pérolas de sabedoria! Gratidão Alê!

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Unaversidade