A comunicação

comunicarA linguagem é a forma com que nos comunicamos – neste espaço e nesta dimensão – com as outras individualizações. Essa linguagem não se restringe ao modo falado, mas abrange todas as demais maneiras de exprimirmos a nossa interação, utilizando os nossos sentidos, com a finalidade de nos fazermos entender e compreendermos o que nos é informado.

Essa comunicação não se restringe à palavra – escrita ou falada, mas se estende ao gestual, ao tato, ao visual e também ao emocional, pois muitas vezes, uma pausa – sem qualquer som ou movimento – pode significar aquilo que milhares de palavras seriam incapazes de traduzir.

Assim como tudo no Universo está em constante transformação e modificação, o nosso vocabulário, ao longo do tempo, também sofre alterações com o aumento de termos, o desuso de alguns, ou a ressignificação de outros.

A informática e todo o sistema virtual dela derivado, nos propiciaram uma grande abertura para aumentarmos nossa comunicação e atingirmos possibilidades infinitas de informações e interações, com as quais estamos redefinindo palavras e situações, adequando-as para que essa comunicação seja efetiva, eficaz e eficiente.

Para tanto, neste novo ciclo, faz-se necessário tratar com a devida importância, não só os elementos de linguagem, como também conhecer o significado dos termos que estamos usando, pois, neste primeiro momento, em que ainda desconhecemos toda a amplitude da gama de comunicações que surgirá num futuro próximo, devemos nos desapegar de conceitos que vigoraram até bem pouco tempo.

Poderíamos citar inúmeros exemplos, porém vamos nos ater a apenas duas palavras: Aprovação e Aceitação.

Fomos condicionados a lidar com a aprovação e a aceitação, como se fossem termos sinônimos e tivessem significados semelhantes ou complementares, sem questionar sua diferença. Essa mistura inconsciente deve-se ao fato de ambas estarem ligadas à atuação do grupo de convivência do indivíduo, onde é essencial ter uma acolhida confortável. Entretanto esse equívoco pode gerar estranhamentos, cujos resquícios ainda se fazem presentes no nosso cotidiano e o estamos transportando para a área de utilização das novas tecnologias.

Segundo a definição que encontramos no Dicionário Priberam da Língua Portuguesa, Aprovação significa: ”testemunho ou expressão de achar boa a prova dada; consentimento, adesão; aplauso; julgamento favorável”.

Por outro lado, Aceitação é uma derivação do verbo transitivo Aceitar, do latim acceptare, cuja tradução é receber. O significado de aceitar é: “receber o que é oferecido; estar conforme com; admitir; receber com agrado; obrigar-se a pagar (uma letra).”

O que se vê atualmente, e cada vez com mais frequência, é a ansiedade pela aprovação do que se publica nas mídias, não importando de qual forma se apresentem. É preciso “curtir”, aprovar o que foi colocado, mesmo quando não há o menor conhecimento do contexto. . Ocorre, porém, que não apenas queremos a aprovação, mas temos a necessidade da aceitação, com os comentários que se seguem às postagens. E quando não somos correspondidos nessa expectativa, surgem os desajustes.

Se a transparência que este novo momento planetário requer, estende-se a todos os níveis de relacionamento, por que não utilizá-la adequadamente na comunicação como um todo, tanto presencialmente quanto virtualmente?

Para cumprirmos o Decreto para este Ciclo, unificando nossas semelhanças e diminuindo as nossas diferenças, precisamos praticar uma linguagem mais ampla, que considere a reflexão, o olhar nos olhos, o reparar nos gestos, o estreitar no abraço.

Pode ser que num futuro, não tão distante, as palavras possam ser substituídas apenas por toques, por vibrações, por cintilações, ou qualquer outra possibilidade, mas enquanto isso não ocorrer, que sejamos precisos e busquemos exercer a Lei da Penetração, que nos recomenda “olhar com atenção e com qualidade para qualquer aspecto de energia, ou informação, faz com que esta energia ou informação penetre no coração e se expanda para a consciência global”.

Seja Luz!

11 Comments
  1. Reply
    neuza maria lima vieira 09/05/2014 at 6:12 PM

    Perfeita a explicação para o objetivo que foi proposto. Pra mim não tenho dúvidas de nada que postam.Tem a minha aprovação e eu aceito as colocações como formas de expansões para a energia grupal e também do trabalho interno que meu coração vai pedindo. Vou peneirando e assim ampliando os espaços necessários dentro e fora de mim. Gratidão!!!

    • Neuza, grata pelo comentário. Perfeita sua atitude em peneirar e ampliar, deixando que o coração decida!. Beijos

  2. Reply
    Claudia Regina Sampaio 09/05/2014 at 7:08 PM

    Se tem algo que precisa ser trabalhado num nível profundo são os conceitos: aceitação e aprovação. Principalmente, nestes tempos em que este ícone: ” curtir ” , para muitos que vivem algum nível de desajuste emocional deixou de ser saudável e meramente desejável, para se transformar numa obsessão, perseguida a qualquer custo… Uma patologia virtual que se alastra como epidemia. Mas, seu lindo Artigo, Querida Iara Bichara vai mais além… É sempre uma comunicação com o nosso coração. Gratidão!!

    • Cláudia, realmente, as pessoas se tornam quase que dependentes, obsessivas, como você bem observou. A atenção é o melhor remédio para essa epidemia!. Beijos.

  3. As vezes não aceitamos algo e as pessoas lutam pela nossa aprovação,insistindo e, algo que não foi liquidificado ainda em nossa consciência, muito valido seu texto,Querida Iara, estamos evoluindo muito rapido,mas ainda curto muito mais um grande e amoroso abraço.Gratidão.

    • Monica, estamos evoluindo rapidamente no campo tecnológico, mas os noticiários atestam quanto ainda temos que evoluir em termos comportamentais. Grata pelo comentário. Beijos.

  4. Reply
    Valéria de Carvalho Pereira 12/05/2014 at 8:07 PM

    Legal! Penso muito nesse tema.
    Procuro ficar atenta para aceitar tudo e todos como uma forma de não resistir a eles. Pois a aceitação genuína leva a uma expansão da consciência.
    Já a aprovação precede um julgamento.

    • Valéria, trabalhar a não resistência não significa aceitar tudo. O fluxo deve seguir, porém se não concordamos, podemos e devemos nos desviar, não entrando na frequência. O melhor caminho é esse que você está seguindo de estar atenta. Grata pelo comentário. Beijos.

  5. Reply
    Cristina V Haas 12/05/2014 at 9:38 PM

    Tão oportuno seu artigo que relembra-nos quão necessário é que olhemos para dentro de nós com amorosidade consciente, frente ao que nos é proposto, apresentado intensamente, antes que alguma opinião expressemos. – Confio e admito preferir o relacionamento presencial, o olho no olho, as palavras, as emoções e o abraço trocado… Gratidão e Amor, Iara Bichara !

    • Querida Cristina, grata pelo comentário. Continue abraçando, pois o seu abraço apertado conforta e transmite muito carinho. Beijos.

  6. Reply
    Uiara Andriewiski 13/05/2014 at 7:36 PM

    A pouco, precisamente no dia 23 de abril, passei por uma situação, onde ao não concordar com gracejos vulgares sobre São Jorge ou Ogum, como vinha de uma sobrinha e que é de outra crença, achei me no direito de recrimina lá. Não foi aceito o que lhe falei e ela só sossegou quando lhe disse que as postagens dela, visitavam outras páginas. Dessa forma mostrei a ela que pode postar o que quiser como ela mesmo disse “A página é minha e eu posto o que quase”mas que seja com respeito pois o que postamos visita outras paginas.
    Bem lembrado esse texto sobre comunicação e a mim mostrou o quanto precisamos ser cauteloso na nossa comunicação. Nem sempre haverá aprovação.

    Obrigada, Iara. Luz, muita Luz.

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Unaversidade