No compasso do Outono

outono 2Fiquei intrigada quando ouvi Outono, de Vivaldi — As quatro estações —, pela primeira vez. Porque as folhas caindo e os pássaros nos dizendo adeus me faziam pensar num ritmo muito mais melancólico, o contrário do que Vivaldi compôs. Mas não… Dentro da minha limitada compreensão, o sentido se fez…. Outono é opulência também, celebração da fartura de frutos, das folhas resplandecentes como ouro, tingidas pelo Sol, como se guardassem luz dentro delas.

E na sábia Natureza, orquestra de afinação pura, cada uma das individualizações que nos cercam, conectadas a mais elevada e instintiva vibração do Amor sabe e aceita a sua parte nesta canção da Vida: entrada, presença, pausa e retirada.

Durante o Verão, o calor e luz do Sol forneceram a energia necessária à formação dos frutos, como ninhos quentes. Agora os frutos formados doam as sementes. O Vento, quase ausente no Verão, se faz presente para espalhar as sementes e desbastar a árvore de tudo aquilo que não lhe é crucial. Os pássaros e insetos, ansiosos pela busca de novas paisagens, em sua viagem, polinizam a maior extensão de terra possível.

Nosso caminhar ganha um creck creck das folhas pisadas, um som especial para comemorar nossa caminhada, como marcação de ritmo para trazer à nossa consciência de que é hora de andar, se mexer, se preparar para os novos desafios.

Como mãe amorosa, a Natureza nos sacia com as reservas necessárias de energia para suportarmos o inverno que se aproxima, que nos incitará ao recolhimento mais severo.

A colheita e a semeadura estão tão intrinsecamente ajustadas. Ponto. Contraponto. Outono é um compasso quaternário: maturidade – abundância – desapego – semeadura.

A exemplo das folhas que se douraram com o Sol, quando permitimos que a Luz da Fonte se impregne no nosso coração, obtemos energia para sentirmos plenitude. Abundância. Ficamos tão repletos de dons e potenciais que ancoramos a disponibilidade de servir. E nos sentimos inclinados a nos doar por Gratidão.

o u – t – o n – o:  até graficamente é uma palavra tão perfeita. Desenhada. O ‘o’ como sementinha, o ‘u’ lembra algo que acolhe (um buraco), o ‘t ‘ ato de enterrar, e o ‘n’ indicação que já se guardou (coberto) e vem a sementinha de novo… 🙂

Entre vários outros ensinamentos, a Natureza escreve com letras ainda mais lindas e garrafais:

  • Veja a semente focada no próprio desenvolvimento -> Amadureça!
  • Saboreie o fruto de seu crescimento -> Colha a Plenitude!
  • Seja leve como estas folhas carregadas pelo vento -> Desprenda-se de tudo que não é essencial!
  • Espalhe suas sementes de vida por onde passar, como os pássaros que migram -> Poliniza amor pelo teu caminho!

Você pode entrar no ritmo e celebrar melhor o outono se ouvir seu Coração***, pois ele está sempre afinado com a Fonte – e assim se descubra ainda mais maduro, pleno, leve, fecundo.

Dourado, também!

SEJA LUZ!

_________________________________________

*** P.S.: Como fez a Pocahontas (Disney) neste vídeo ->

9 Comments
  1. Que lindo texto, Claudinha! Gratidão!

  2. Reply
    Margareth Araújo 26/03/2014 at 2:30 PM

    Claudinha seu texto é lindo, claro e brilhante como o céu do Rio de Janeiro no outono, e me transportou para os outonos do hemisfério norte ao som do “Outono” de Vivaldi.

  3. Amei…..show de texto…boas reflexões…. ler e reler…. muitas lições para cada dia!! Gratidão querida !!

  4. Que belo texto e que graça a interpretação das letrinhas!

  5. Reply
    marilda benevides 26/03/2014 at 3:31 PM

    Parabéns Cláudia, lindo texto…gratidão!!!! Seja luz! Dourada!

  6. Que lindeza querida, parece uma sinfonia que tocou todas as cordas do meu coração! Parabéns… esplêndida e plena! Beijos

  7. Para continuar na musicalidade de sua reflexão vamos de Vivaldi a Tom Jobim: “São as águas de março fechando o verão, é promessa de vida no meu coração”. Mesmo que as águas pareçam dar fim ao melhor da festa do verão, na verdade, elas estão nos mostrando que a vida segue e novas estações virão! Sempre vale a pena se libertar para deixar nascer um novo tempo.

    Gratidão pela essa bela reflexão. Adorei o simbolismo da palavra o-u-t-o-n-o

  8. Linda sua percepção do outono e assim se encerra mais um ciclo.

    Gratidão pelo lindo texto. 😀

    ♥ Seja Luz!

  9. ah! que maravilhoso ler-sentir a sua reflexão e insight sobre a palavra outono…..tão perfeito..e me sinto abençoada por receber tanta inspiração! <3

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Unaversidade