Caridade: o caminho de volta

Texto: Gustavo Andrieviski | Ilustração: Mulher em frente ao Espelho, Pablo Picasso

mulher-em-frente-ao-espelho-picasso-cubismo-noticiasEm algum lugar, no espaço que existe entre nossas culpas e o nosso altruísmo.

Entre os breves momentos de desapego e a incessante busca por alívio.

No ponto de equilíbrio em que aceitamos o que somos e aprendemos a compartilhar nossa essência.

Ali, na intercessão da estrada das nossas vidas com o caminho de volta, se encontra nossa amiga a caridade.

Quantas vezes ela nos vê passar batido pela sua frente, incapazes que somos de desacelerar de nossas rotinas e olhar pela janela.

Tão incomodo esse momento em que nos deparamos com nós mesmos, e esse outro eu precisa de algo que eu tenho pra repartir, porém tenho medo de precisar mais tarde, incapaz de perceber a ilusória linha do tempo que separa essas duas frações de mim mesmo.

Mas o que eu tenho realmente pra oferecer?

A caridade, mais do que ter o que doar, é a oportunidade de praticar a Lei do Amor.

Se enxergar naquele que se coloca diante de você e ser honesto. Deixar cair a máscara de “caridoso” e ser amoroso.

Oferecer sem culpa. Compartilhar sem julgamento.

Aceitar que é você mesmo que recebe a oferta. Seja pão ou sorriso, seja água ou abrigo, toda a oferta é uma garantia de retorno.

É isso que praticar a Lei do amor nos oferece:

É naquele instante, em que aproximamos de verdade o nosso “eu que precisa” desse nosso “eu que oferece”, que temos a deliciosa oportunidade de experimentar, aqui mesmo na dualidade, um breve sentimento de unidade.

E por alguns instantes enxergamos, na intercessão da estrada das nossas vidas com o caminho de volta, uma plaquinha escrito “caridade” apontando a direção.

4 Comments
  1. Que maravilha Gustavo! Seguindo a placa!! “E por alguns instantes enxergamos, na intercessão da estrada das nossas vidas com o caminho de volta, uma plaquinha escrito “caridade” apontando a direção.”

  2. Que delícia de artigo, Gustavo! Lúcido, claro, simples e consistente! Grata, querido, minhas lágrimas de emoção também agradecem a oportunidade de se manifestarem!

  3. Reply
    Uiara Andriewiski 12/09/2014 at 6:21 PM

    Lindo! Obrigada pela caridade praticada com os dizeres desse texto.

  4. Reply
    Cristina de Araujo 19/10/2014 at 10:23 PM

    Gustavo, obrigada pelas suas palavras cheias de luz e consciência.
    Tenho percebido que muitos ditos “caridosos” faz isso por ego, acreditando que assim será considerada uma pessoa boa, mas seu ato não contém AMOR, ato que é a maior expressão de altruísmo.

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Unaversidade