Bondade: a começar por você

Artigo: Ale Barello | Ilustração: Gisele Caldas

ilustra_giselecaldas_CARIDADE_1 www.gisele-caldas.blogspot.comA bondade é uma generosidade de espírito. Ele vem à tona quando damos de nós mesmos e do nosso tempo sendo úteis aos outros, sem esperar nada em troca. Ao mostrar bondade para fazer o melhor de si mesmo, há um “efeito colateral” de clareamento da situações, colocando o que antes parecia dividido – bom e mau, a escolha que poderia ser feita – no mesmo aspecto da Verdade.

Quando somos o que a nossa essência é, não há mais divisões e somos/estamos bons!

Preste atenção aos efeitos que seu comportamento tem sobre os outros e observe seus próprios sentimentos, em associação com as suas reações. Pense sobre como você se sente quando alguém mostra bondade. O que você dá, volta para você a mais. Quando você é gentil e bondoso – e parece que não há como fazer distinção entre uma coisa e outra -, você não só obtém um reembolso imediato em termos de uma sensação de bem estar, como também receberá a bondade dos outros, e pode acontecer disso ser completamente inesperado e não relacionado ao ato a que você deu início.

É tão fácil encontrar maneiras de ser bondoso com os outros e mesmo assim, algumas pessoas ficam protelando e esperando que uma possibilidade de ato heroico se apresente para que ela aja; enquanto isso, se perde oportunidades de dizer algo que encoraje o outro quando se sente, instintivamente, que alguém precisa ouvir; oferecer ajuda sem ser solicitado; sorrir indicando confiança; engolir sua crítica; ouvir sem julgamento; deixar de ver os erros de uma situação e ajudar o outro a focar na solução; fazer pequenos sacrifícios para alguém em necessidade…

A grande regra de ouro que aplico na minha própria vida é fazer aos outros o que gostaria que fizessem para mim, e eu faço isso a mim mesmo como faria outros. A última parte é tão importante quanto a primeira. Não é bom ser sempre bondoso com os outros e esquecer-se de ser você. Você vai perder força e sentir-se menos capazes de mostrar bondade para com os outros, se não reconstituir a sua própria mente, corpo e energia em uma base regular de auxílio a si próprio.

Ser gentil com você mesmo significa obter suas necessidades; ser gentil com você mesmo é diminuir as críticas e evitar julgamentos quando você sente que não está executando o seu melhor; perdoe a situação na qual está diretamente envolvido quando surgir a necessidade, em vez de bater em si mesmo!

Quando você adquirir o hábito de tratar-se com carinho,será muito mais fácil estender o sentimento às outras individualizações.

Não há nada que precise ficar no escuro…

Seja Luz!

4 Comments
  1. Reply
    Cristina V Haas 15/09/2014 at 3:55 PM

    Quão importante é também ter carinho, paciencia, respeito e compaixão conosco, vejo, como desafio. O desequilibrio trás consequencias ao longo da Vida. Todo nosso esforço em autoconhecimento e consciencia constroem o Caminho do Meio, Paz interior e então convivemos generosos com nossos irmãos e o planeta. Gratidão!

  2. É verdade este retorno da bondade que temos com outras individualizações! Já passei por várias situações de retorno, e peguei-me pensando: será que é mérito meu? Foi pelo fato de eu ter ajudado fulano e beltrano? E, realmente, esta bondade retorna sempre multiplicada! Impressionante!
    Amei o artigo, Alê querida!
    Abração de luz!

  3. Sem dualidade, sem divisões -> inteiros no Amor. Gratidão pelo texto e pela ilustração 🙂 Lindezas.

  4. Reply
    Monica Moreira Pereira 20/09/2014 at 12:13 AM

    Sempre ouvia de outras pessoas , Monica , qdo vc vai cuidar de você ? Ser Feliz ? E eu me perguntava , será que se dedicar aos outros para elas é ser infeliz ? Ah como é gostoso se doar por inteiro, com amor , a Bondade é a cura da violência,do preconceito e de tudo que atrapalha o AMOR . Lindo este tema Ale . Adorei .
    Nossa artista Gisele se supera sempre .

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Unaversidade