A busca pela harmonia e equilíbrio no lar

adole

Estamos vivendo momentos desafiadores em todos os sentidos, são situações das mais variadas que se apresentam a cada dia, seja em nosso meio pessoal, nosso País, no planeta de modo geral. Mudanças rápidas e constantes.

E surge a pergunta. Como manter o equilíbrio e a harmonia dentro de nossos lares? Já que somos bombardeados de todos os lados, jornal , tv, internet…

O medo começa a rondar nossos corações e neste momento se faz necessário o enfrentamento e a neutralização dessas situações, nos colocando por vezes como observadores e ao mesmo tempo orientadores para que possamos direcionar nossas crianças e jovens, pelas escolhas que fazem, sempre procurando mostrar-lhes todos os lados das questões.

Li outro dia um trecho de um artigo que dizia:

“Realizar debates domésticos é uma ideia interessante. Dialogar sobre fatos e acontecimentos externos, com críticas construtivas. O mais importante é lembrar que a necessidades devem ser supridas. Os adolescentes precisam ser ouvidos e os pais também. Ambos devem possuir um dialogo aberto, chave par um futuro de amizade e confiança.”

Gisele Brozeri

Reconheço que é um trabalho árduo e desafiador, pois que sabemos que eles – os filhos, nossos jovens – sempre tem seus próprios pendores e por vezes os confrontamos, pois segundo as nossas crenças classificamos como certo ou errado, como bom ou ruim, mas até que ponto estamos com a razão?

O que para nós é errado para eles é normal e nesta hora surgem os conflitos, por isso mesmo temos que sempre lembrar que somos todos individualizações em aprendizado constante e usar do amor como base para nossas ações. Aprender com as diferenças. E muitas vezes, essas diferenças são gritantes em nossas casas.

Somente colocando em prática as premissas básicas contidas no Codex, é que podemos aprender a conviver na harmonia e equilíbrio, lembrando também do Decreto da Reconciliação que decreta que devemos unificar as semelhanças e diminuir as diferenças entre si.

Que possamos refletir e agir através das respostas contidas em nossos corações.

Seja Luz!

Em tempo: agora que falei “como mãe”, queria dividir com vocês um vídeo bastante bem-humorado sobre como pensam nossos filhos adolescentes… Bom, nem é tãooooo bem humorado assim. Eu não achei! UMPF! 😀

2 Comments
  1. Reply
    Cláudia Sampaio 05/05/2015 at 1:00 PM

    Li uma pesquisa, há tempos, sobre a formação singular, muito específica da neuroquímica dos adolescentes. Não são só os hormônios que se apresentam em ebulição, mas toda a dinâmica cerebral de um adolescente é alterada, a ponto de ser classificada pela ciência à parte por suas interações diferenciadas (assim como primeira infância, menarca, andropausa, menopausa). É algo tangível e não modismo cultural. O que exige de nós adultos e sobretudo dos pais e educadores muito mais tato, lucidez e carinho e muito menos julgamento. Gratidão pela reflexão alinhada ao Codex, aos princípios da Nova Era, Zê Batista​ ❤

  2. Nem te falo nada..
    Os pais deveriam ter um seguro de vida especial com cláusulas para super stress, com direito a devolução da mercadoria nas épocas de maiores crises.

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Unaversidade